MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

A gestão da água em Israel, exemplo para o Brasil

Israel é um país desprovido de recursos naturais, incluindo a água. Com um território em sua maioria desértico, utiliza a tecnologia, o empreendedorismo e a inovação para vencer as adversidades naturais e garantir o abastecimento de água potável à sua população e desenvolver a agricultura. O sul do país é desértico e o norte, a parte mais úmida, corresponde ao semiárido brasileiro. Mas o solo desértico ou semiárido não é impedimento para que os israelenses desenvolvam a agricultura para abastecer o mercado interno e para a exportação[1].

A escassez de água não é uma crise temporária, mas a realidade do país. Isto tem sido um desafio que, ao longo dos anos, vem sendo superado através da aliança entre investimentos para a descoberta de novas tecnologias, o empreendedorismo e a cultura da população. Hoje, 40% da água consumida em Israel é extraída do mar, através do processo de dessalinização. Esta tecnologia tem avançando significativamente e tem como meta, até 2050, atingir o patamar de 75% de água potável de origem marítima[2]. Recentemente, o projeto foi apresentado às empresas brasileiras de saneamento, em São Paulo, durante um evento que teve como objetivo mostrar o exemplo israelense nos processos de captação e tratamento de água[3].

Atualmente, Israel é destaque mundial na gestão de tratamento e de reciclagem de água, pois aproximadamente 72% da água no país é reutilizada, sendo que a coleta para a reutilização é captada de esgotos e serve para irrigar as plantações através de gotejamento, uma inovação tecnológica criada por Israel no anos de 1960[4]. A capacidade israelense para reutilizar água corresponde à maior taxa de reaproveitamento hídrico do mundo, acompanhada pela Espanha com 12%[5].

A questão hídrica é prioridade em Israel que, em 1959, aprovou a Lei da Água para assegurar o abastecimento à população. A partir dessa lei, segundo o Cônsul de Israel em São Paulo para os Assuntos Econômicos, Boaz Albaranes, definiu-se “que se um proprietário possui terra e um rio passa por ali, a água pertence ao Estado. É ilegal fazer poços artesianos, por exemplo. E cabe ao governo definir o preço da água…[6]. Ainda de acordo com o Cônsul, “em Israel 100% da água é monitorada, a tecnologia ajuda muito a ver onde tem vazamento. E, por lei, os medidores de consumo têm que ser trocados a cada cinco anos, para garantir que estão sempre bem calibrados[7].

Para além das várias medidas adotadas pelo Governo, Israel conta com um trabalho de fundo que compreende investimentos prioritários em pesquisa e inovação e, também, de conscientização permanente da população, que envolve os adultos e as crianças[8]. Dentre todas as soluções apresentadas por Israel em São Paulo para resolver o problema da escassez de água, e que são referências mundiais, destacam-se a reciclagem e a dessalinização. No Brasil, a utilização destas técnicas é insignificante e, segundo especialistas brasileiros, o alto custo de implantação dessas tecnologias é o responsável pela não utilização[9].

O Brasil passa por uma crise hídrica, principalmente nas regiões sudeste e nordeste do país. As tecnologias poderão ser um recurso indispensável para garantir o abastecimento de água potável à população e, para isto, poderá tomar como exemplo Israel que, através da tecnologia de ponta nesta área, tem superado a carência de água, em condições bastante desfavoráveis se comparado com o Brasil, que tem um clima e índices pluviométricos favoráveis na maior parte do território nacional, possui o Aquífero Guarani, que é a maior reserva subterrânea de água doce, e a maior bacia hidrográfica do planeta, a Bacia Amazônica.

————————————————————————————-

Imagem Rahat, a maior cidade beduína no deserto do Negev” (Fonte):

http://en.wikipedia.org/wiki/Negev_Bedouin#/media/File:PikiWiki_Israel_10539_Settlements_in_Israel.jpg

————————————————————————————-

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR78100-6014,00.html

[2] Ver:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/03/1608189-ate-2050-israel-quer-ter-75-de-sua-agua-potavel-vinda-do-mar.shtml

[3] Ver:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/03/1608189-ate-2050-israel-quer-ter-75-de-sua-agua-potavel-vinda-do-mar.shtml

[4] Ver:

http://oglobo.globo.com/sociedade/as-licoes-de-israel-que-sofre-com-escassez-de-agua-ha-67-anos-para-sao-paulo-15995107

[5] Ver:

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR78100-6014,00.html

[6] Ver:

http://oglobo.globo.com/sociedade/as-licoes-de-israel-que-sofre-com-escassez-de-agua-ha-67-anos-para-sao-paulo-15995107

[7] Ver:

http://oglobo.globo.com/sociedade/as-licoes-de-israel-que-sofre-com-escassez-de-agua-ha-67-anos-para-sao-paulo-15995107

[8] Ver:

http://www.mma.gov.br/index.php/comunicacao/agencia-informma?view=blog&id=859

[9] Ver:

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/03/1608189-ate-2050-israel-quer-ter-75-de-sua-agua-potavel-vinda-do-mar.shtml

About author

Possui graduação em Filosofia (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná (1999), com revalidação pela Universidade de Évora (2007), e mestrado em Sociologia (Poder e Sistemas Políticos) pela Universidade de Évora (2010). É doutoranda em Teoria Jurídico-Política e Relações Internacionais (Universidade de Évora). É professora da Faculdade São Braz (Curitiba), pesquisadora especialista do CEFi – Centro de Estudos de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), e pareceirista do CEIRI Newspaper (São Paulo).
Related posts
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Participação da mulher moçambicana na política

COOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

A Dinamarca pede a ONU nova cota de refugiados

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

A militarização do estreito de Hormuz

EURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Observadores apontam que explosão em base militar na Rússia apresenta caráter nuclear

Receba nossa Newsletter

 

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by