Agora nossos podcasts também estão no Spotify e Deezer. Em breve voltaremos  com os áudios! Para receber nossas atualizações em seu whatsapp clique no botão ao lado ou envie um whatsapp com seu nome, cidade/estado para 11 35682472

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Aprofundamento das relações comerciais entre Argentina e Rússia

Agora, no mês de agosto, foi anunciado que o comércio entre Argentina e Rússia cresceu 15% entre os meses de janeiro e abril deste ano (2018). O resultado é bastante positivo em comparação ao ano de 2017, quando ocorreu apenas um aumento de 1,5%. Por conta desse cenário extraordinário, o recém apontado embaixador russo à Argentina, Dmitry Feoktistov, destacou sua positividade quanto à dinâmica comercial entre os dois países.

De acordo com Feoktistov, há vários projetos econômicos em discussão entre ambos os Governos e, caso eles sejam de fato implementados, o comércio entre Rússia e Argentina poderá avançar para a casa de bilhões de dólares. Tais planos incluem a participação da empresa ferroviária russa RZD na construção de uma ferrovia para o depósito de petróleo em Vaca Muerta, e o financiamento de um porto no rio Paraná, pela companhia russa Gazprombank.

Logo oficial da Corporação Estatal de Energia Nuclear Rosatom

Ademais, em janeiro (2018), quando ocorreu um encontro oficial entre os presidentes Vladimir Putin, da Federação Russa, e Mauricio Macri, da Argentina, fechou-se um acordo de exploração e produção de urânio no país sul-americano. Em meio a tal cenário, há um projeto de construção de uma usina nuclear em parceria com a estatal russa Rosatom, porém, essa ideia está temporariamente suspensa pelo lado argentino.

Apesar de o plano estar estagnado no momento, as empresas russas de energia ainda procuram aumentar sua parceria com as companhias argentinas da área e, neste mês de agosto (2018), surgiram novas oportunidades para que isso ocorra, visto que o Governo argentino dispôs várias propostas de licitações ao fornecimento de equipamentos para as instalações de geração de energia pelo país. Sendo assim, as companhias russas irão participar na competição, tentando oferecer as melhores propostas com os termos mais favoráveis.

O Ministério da Indústria e Comércio da Federação Russa anunciou que “os fabricantes russos de máquinas de energia e aqueles da indústria elétrica estão atualmente vendo uma oportunidade para aprofundar a cooperação com a Argentina. Em particular, empresas russas participam de licitações para entrega de equipamentos russos para salas de turbinas, equipamentos hidromecânicos e sistemas auxiliares para usinas hidrelétricas argentinas que estão em construção ou que estão em processo de modernização”.

Assim, o cenário das relações comerciais entre a Argentina e a Federação Russa é bastante favorável no momento. Há inúmeras propostas de parceria entre as companhias de ambos os Estados nas mais diversas áreas. Pelo lado argentino, isso é favorável, visto que é um modo de o país receber ajuda para desenvolver sua infraestrutura e seu parque tecnológico e energético. Já a Rússia se beneficia ao garantir que suas empresas se internacionalizem cada vez mais e garantam retornos financeiros positivos, além de ser uma oportunidade de maior aproximação diplomática com a América do Sul, a qual já foi demonstrada pela recente parceria com a Bolívia em pesquisa nuclear.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Encontro oficial entre o Presidente da Argentina, Mauricio Macri, e o Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/Category:Vladimir_Putin_and_Mauricio_Macri#/media/File:Vladimir_Putin_and_Mauricio_Macri,_26_july_2018_(5).jpg

Imagem 2Logo oficial da Corporação Estatal de Energia Nuclear Rosatom” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Rosatom#/media/File:Rosatom_logo.png

About author

Bacharela em Relações Internacionais e em Ciências Econômicas, ambas pelas Faculdades de Campinas (FACAMP). Participou da Newsletter do Centro de Estudos de Relações Internacionais (CERI) da FACAMP como redatora e corretora de artigos. Fez sua tese de conclusão de curso sobre as relações diplomáticas entre a Rússia e os Estados Unidos no pós Guerra Fria. Tem grande paixão pela escrita e por assuntos relacionados à Segurança Internacional e Diplomacia.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

A Tragédia de Brumadinho: desconsideração sobre as experiências internacionais e impunidade

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Japão e Coreia do Sul discordam sobre decisão a respeito de trabalho forçado

ÁfricaCOOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

A cooperação norueguesa com a União Africana

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

O fechamento da fábrica da Goodyear na Venezuela

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá!