Agora nossos podcasts também estão no Spotify e Deezer. Em breve voltaremos  com os áudios! Para receber nossas atualizações em seu whatsapp clique no botão ao lado ou envie um whatsapp com seu nome, cidade/estado para 11 35682472

EURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Armênia e Azerbaijão retomam negociações de paz em Genebra

A negociação para a paz no conflito de Nagorno-Karabakh ganhou mais um capítulo na última segunda-feira, dia 16 de outubro, quando os Presidentes da Armênia, Serj Sargsyan, e do Azerbaijão, Ilham Aliyev, reuniram-se na cidade suíça de Genebra. O último encontro oficial havia ocorrido em junho de 2016, logo após a maior escalada de violência na região desde o cessar-fogo que interrompeu a guerra entre os dois países em, 1994.

Mapa de Nagorno-Karabakh

Em uma declaração conjunta ao fim da reunião, os Ministérios de Relações Exteriores dos dois países reafirmaram o compromisso de “tomar medidas para intensificar o processo de negociação e promover esforços adicionais para reduzir as tensões na Linha de Contato”, além da promessa de “organizar sessões de trabalho com os Ministros em um futuro próximo”. Contudo, não foram anunciados detalhes acerca de quais seriam os próximos passos do processo de reconciliação.

O encontro contou com a participação de membros do Grupo de Minsk, que por mais de duas décadas vem sendo o principal meio de interlocução entre as duas partes. Ele foi instituído, ainda em 1992, pela Conferência sobre a Segurança e a Cooperação na Europa (CSCE), agora Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), com o objetivo de buscar alternativas para a resolução pacífica do conflito e, em seu formato atual, conta com França, Estados Unidos e Rússia como membros permanentes.

Mesmo que a paz permaneça longe de ser alcançada, a retomada do diálogo direto entre os dois mandatários pode representar um alívio nas tensões que vinham se acumulando na região ao longo de todo o verão europeu. Entretanto, apesar do aparente equívoco nas análises que previam a renovação dos conflitos ainda em 2017, a indisposição de ambos os lados em realizar concessões e a ausência de resoluções mais contundentes por parte dos membros do Grupo de Minsk prometem continuar a relegar a contenda a um impasse.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Presidentes Aliyev e Sargsyan em Genebra” (Fonte):

http://www.president.am/files/pics/2017/10/16/26496_b.jpg

Imagem 2 Mapa de NagornoKarabakh” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Artsakh#/media/File:Republic_of_Artsakh_map.png

About author

Mestrando no programa de Pós Graduação em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e graduado em História também pela UFRJ. Atua na área de Política Internacional, formação de alianças e segurança regional. Desenvolve pesquisas com enfoque específico no estudo dos países do Cáucaso do Sul, Eurásia e espaço pós-soviético. É membro do Grupo de Pesquisas de Política Internacional (GPPI/UFRJ) e do Laboratório de Estudos dos Países do Cáucaso (LEPCáucaso).
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

A Tragédia de Brumadinho: desconsideração sobre as experiências internacionais e impunidade

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Japão e Coreia do Sul discordam sobre decisão a respeito de trabalho forçado

ÁfricaCOOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

A cooperação norueguesa com a União Africana

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

O fechamento da fábrica da Goodyear na Venezuela

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá!