Agora nossos podcasts também estão no Spotify e Deezer. Em breve voltaremos  com os áudios! Para receber nossas atualizações em seu whatsapp clique no botão ao lado ou envie um whatsapp com seu nome, cidade/estado para 11 35682472

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

A candidatura olímpica da Suécia e Letônia para 2026

O Comitê Olímpico Internacional (COI) é a autoridade responsável pela organização dos Jogos Olímpicos de verão e de inverno. O COI recebe e analisa as candidaturas dos diversos Estados para a realização das Olimpíadas. A cidade sede dos jogos é muito disputada, pois, sediar uma competição deste porte contribui para a economia, além da visibilidade que passa a ter a cidade e o Estado anfitrião.

A Suécia e a Letônia submeteram candidatura conjunta para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2026, às quais compartilhariam da logística de atividades esportivas. Todavia, a escolha das cidades suecas de Estocolmo e Are, e da cidade letã de Sigulda não foram apreciadas para o evento. Possivelmente, a questão contrária foi o entendimento pelo COI da baixa intenção dos atores.

As cidades sedes escolhidas para os próximos Jogos de Inverno de 2026 foram Milão e Cortina d’Ampezzo, na Itália, às quais venceram a disputa por 47 votos em relação a seus rivais suecos e letões, que obtiveram 34 votos. Poucas candidaturas foram recebidas pelo COI, e somente os italianos, suecos e letões permaneceram na busca pela Olimpíada de Inverno. A principal razão de déficit no interesse foram os altos custos do evento, os quais contribuíram para a declinação dos demais concorrentes.

Arcos olímpicos

O jornal The Baltic Times trouxe a afirmação de Christophe Dubi, Diretor de Esportes do COI, sobre a preocupação com a proposta sueca e letã pouco tempo antes da decisão final: “Recebemos várias cartas de intenções e garantias não vinculantes, que não representam compromissos vinculantes e, portanto, colocam em risco a entrega das aldeias olímpicas”.Mas, conforme o The Baltic Times, o porta-voz sueco da candidatura afirmou em sua resposta ao COI: “Temos um diálogo contínuo, positivo e construtivo com o COI”.

Os analistas compreendem que as políticas de austeridade empregadas por muitos Estados é um indicativo da retirada de diversas candidaturas, visto que as populações destes Estados entenderam por correto que os custos de uma Olimpíada seriam altos demais para o contexto atual. Em relação a candidatura sueca/letã, a quantidade de votos sinaliza boa assertividade do marketing, todavia, é possível que a negativa tenha ocorrido por indisposições políticas internas, às quais podem ter levado o COI a escolher a Itália.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Competição de Curling nos Jogos Olímpicos de Inverno” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2b/2010_Winter_Olympics_-Curling-Women-_GBR-SWE.jpg

Imagem 2 Arcos olímpicos” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3e/IOCrings.jpg

About author

Mestre em Sociologia Política (2018) e Bacharel em Relações Internacionais (2014) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ vinculado a Universidade Cândido Mendes. Atualmente incorpora o quadro do CEIRI Newspaper, onde atua na qualidade de colaborador voluntário na produção de notas analíticas e conjunturais na área de política internacional europeia com ênfase nos Estados Nórdico-Bálticos e Rússia.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Julgando os combatentes estrangeiros do Estado Islâmico

COOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

A cooperação cibernética de Estônia-EUA

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Corte Internacional de Justiça julga o caso Jadhav

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Presidente da Rússia realiza visita oficial à Itália

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by