ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

A candidatura olímpica da Suécia e Letônia para 2026

O Comitê Olímpico Internacional (COI) é a autoridade responsável pela organização dos Jogos Olímpicos de verão e de inverno. O COI recebe e analisa as candidaturas dos diversos Estados para a realização das Olimpíadas. A cidade sede dos jogos é muito disputada, pois, sediar uma competição deste porte contribui para a economia, além da visibilidade que passa a ter a cidade e o Estado anfitrião.

A Suécia e a Letônia submeteram candidatura conjunta para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2026, às quais compartilhariam da logística de atividades esportivas. Todavia, a escolha das cidades suecas de Estocolmo e Are, e da cidade letã de Sigulda não foram apreciadas para o evento. Possivelmente, a questão contrária foi o entendimento pelo COI da baixa intenção dos atores.

As cidades sedes escolhidas para os próximos Jogos de Inverno de 2026 foram Milão e Cortina d’Ampezzo, na Itália, às quais venceram a disputa por 47 votos em relação a seus rivais suecos e letões, que obtiveram 34 votos. Poucas candidaturas foram recebidas pelo COI, e somente os italianos, suecos e letões permaneceram na busca pela Olimpíada de Inverno. A principal razão de déficit no interesse foram os altos custos do evento, os quais contribuíram para a declinação dos demais concorrentes.

Arcos olímpicos

O jornal The Baltic Times trouxe a afirmação de Christophe Dubi, Diretor de Esportes do COI, sobre a preocupação com a proposta sueca e letã pouco tempo antes da decisão final: “Recebemos várias cartas de intenções e garantias não vinculantes, que não representam compromissos vinculantes e, portanto, colocam em risco a entrega das aldeias olímpicas”.Mas, conforme o The Baltic Times, o porta-voz sueco da candidatura afirmou em sua resposta ao COI: “Temos um diálogo contínuo, positivo e construtivo com o COI”.

Os analistas compreendem que as políticas de austeridade empregadas por muitos Estados é um indicativo da retirada de diversas candidaturas, visto que as populações destes Estados entenderam por correto que os custos de uma Olimpíada seriam altos demais para o contexto atual. Em relação a candidatura sueca/letã, a quantidade de votos sinaliza boa assertividade do marketing, todavia, é possível que a negativa tenha ocorrido por indisposições políticas internas, às quais podem ter levado o COI a escolher a Itália.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Competição de Curling nos Jogos Olímpicos de Inverno” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2b/2010_Winter_Olympics_-Curling-Women-_GBR-SWE.jpg

Imagem 2 Arcos olímpicos” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3e/IOCrings.jpg

About author

Mestre em Sociologia Política (2018) e Bacharel em Relações Internacionais (2014) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ vinculado a Universidade Cândido Mendes. Atualmente incorpora o quadro do CEIRI Newspaper, onde atua na qualidade de colaborador voluntário na produção de notas analíticas e conjunturais na área de política internacional europeia com ênfase nos Estados Nórdico-Bálticos e Rússia.
Related posts
ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Oleoduto entre Angola e Zâmbia

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Conselho de Direitos Humanos da ONU discute projeto de Tratado sobre a Responsabilidade de empresas e Estados pelo respeito aos Direitos Humanos

NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Laboratório da Samsung na Rússia na vanguarda dos “deepfake”

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Extinction Rebellion toma conta das ruas de Londres, em protesto pelo clima

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by