ECONOMIA INTERNACIONAL

A China anima, mas preocupa investidores

Segundo estimativas, neste ano de 2012 o PIB chinês pode atingir a marca dos 8%, mas existem dúvidas sobre os dados oficiais publicados pelas autoridades competentes daquele país.
Alguns pesquisadores dizem que o governo chinês busca os pontos favoráveis nas estatísticas. Assim pensam os pesquisadores do “Federal Reserve de Dallas”, Jian Wang e Janet Koech, citados pelo jornal “O Globo”. Suas ideias são sustentadas por números de que a produção industrial do país expandiu de 5% para 7,5% em alguns meses. Mesmo existindo um desconhecimento de tais informações, um pesquisador afiliado ao “Conselho de Estado da China” afirma que o país pode crescer entre 7,5% e 8% neste ano.

 

Notícias oficiais como esta e outras emitidas pelas entidades do Governo são bases para os economistas e investidores realizarem suas projeções econômicas, as quais podem determinar os seus futuros tanto no mercado asiático, como em seus países e no cenário internacional.
Tal qual ocorre em outros países em que estatísticas econômicas nem sempre são totalmente precisas, a saída adotada é buscar informações no exterior. Assim, os dados econômicos chineses obtidos fora do país podem ser avaliados de forma a permitir avaliações, como, por exemplo, é o caso dos investimentos chineses no Brasil.

Neste caso, no ano de 2011, os chineses investiram mais de 3,5 bilhões de reais (aproximadamente, 1,75 bilhões de dólares) no mercado de capitais do país, dados que são confirmados pela “BM&F Bovespa”, e são muito importantes para abrir novas portas no mundo de negócios Brasil-China.
———————
Fontes:

Ver:

http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,pib-da-china-deve-crescer-75-a-8-diz-pesquisador,924890,0.htm
Ver:
http://oglobo.globo.com/economia/maquiagem-em-estatistica-na-china-preocupa-brasil-5976934
Ver:
http://www.macauhub.com.mo/pt/2012/09/03/china-investiu-35-mil-milhoes-de-reais-no-mercado-de-capitais-do-brasil-em-2011/

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Oleoduto entre Angola e Zâmbia

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Peru sedia concurso mundial de azeite de oliva

ECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Rússia apresenta reservas financeiras maiores que saldos devedores

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Cientistas chineses criam grão de soja que tornará o país mais resiliente durante guerra comercial

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by