ANÁLISES DE CONJUNTURAEUROPA

A Europa pós-pandemia

Depois de um longo período de quarentena, a Europa volta aos poucos a retomar suas atividades. A chamada ‘nova normalidade’ se estabelece em um cenário econômico e contexto social adverso, com 500 mil habitantes a menos, vítimas da doença, e seu impacto no cotidiano do continente”.

Foram mais de 60 dias de quarentena na maioria dos países europeus, que, neste mês (junho), voltam à normalidade, de forma gradual e controlada. Porém, muita coisa mudou no dia a dia dos europeus. O desemprego retorna a assolar as economias e antigos problemas de alinhamento político, migração e circulação de pessoas adquirem novas expressões.

Cartaz para entrar em local comercial em Madri – Canal: RTVE.es

Se, por um lado, a Europa luta por estabelecer um determinado patamar de normalidade, por outro, os efeitos colaterais da pandemia são cada vez mais visíveis. Diversos setores econômicos afetados pela crise instam as autoridades a buscar soluções. Grandes multinacionais abandonam o espaço europeu ou reduzem ao máximo sua produção, assim mesmo, setores como o agrícola e o turismo sofrem com a oscilação de oferta e demanda, buscando novas vias de financiamento sem alternativas internacionais, devido à situação em muitos países emergentes e no próprio Estados Unidos.

O gasto público ultrapassou os limites impostos pela União Europeia, e países tais como a Espanha, França e até mesmo a Alemanha buscam auxiliar uma população ameaçada pela pobreza e afetada pelo desemprego.

O medo de uma nova onda de contágios no final do ano é conhecido, porém minimizado pelas autoridades em uma tentativa de restabelecer o funcionamento das instituições e da sociedade. Assim mesmo, as dúvidas em relação ao conturbado cenário internacional diminuíram a circulação de investimentos e fluxos externos.

A “nova normalidade”, como é chamada em diversos países da Europa, de fato reflete que a realidade já não é a mesma que existia antes da pandemia e que será necessário um sobre-esforço, tanto das autoridades como da população, em se adaptar a este novo mundo.

A ocupação do espaço urbano, o uso dos serviços públicos, as relações laborais, a circulação de pessoas e todos os aspectos da cidadania foram moldados nos últimos dias. Assim como o papel do Estado na alocação e distribuição de recursos e como ele atua perante as evoluções do mercado.

Margrethe Vestager Wikicommons

Na Comissão Europeia ecoa o discurso da vice-presidente Margrethe Vestager sobre um novo capitalismo e uma nova relação entre os atores públicos e multinacionais, da mesma forma que Angela Merkel mudou seu discurso, até então austero e neoliberal, para um maior envolvimento do Estado na busca do bem-estar social, porém sem abdicar do livre mercado.

Conceitos pós-capitalistas, tais como a economia circular, economia verde ou pós-capitalismo global, ganham força e até mesmo exemplos reais, a exemplo da mudança estrutural que vem acontecendo na Holanda.

Temas externos ao Bloco, tais como as manifestações raciais ou o aumento do conservadorismo, ressoam nessa nova Europa, pese as restrições ainda vigentes, adquirindo tonalidades locais e regionais, sendo a questão da imigração e o avanço dos grupos extremistas uma preocupação paralela a esse estado de anomia que se expande pelo globo.

Não se pode desprezar aspectos em relação às mudanças que ocorrem na Europa e posicionar a mesma dentro de um espectro político ou ideológico, mas, sim, entender o processo como o fruto de uma reflexão e experiência sobre o sistema internacional e o capitalismo que não é exclusivo do bloco europeu, mas defendido por diversos economistas, políticos e especialistas em relação a um novo capitalismo ou reformulação do sistema financeiro internacional, cuja semente surgiu após a disseminação da Crise Financeira de 2008 por todo o globo.

O cidadão europeu aos poucos recupera sua rotina, volta às ruas e revê sua família e amigos, porém, sabe que o mundo já não é o mesmo e que “a nova realidade” não é apenas uma nomenclatura citada pelo governo, mas uma realidade cristalizada em seu dia a dia.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Coronavírus EU” (Fonte):

https://elglobal.es/wp-content/uploads/2020/04/Coronavirus-Europa-scaled.jpg

Imagem 2 Cartaz para entrar em local comercial em Madri – Canal: RTVE.es” (Fonte):

https://img2.rtve.es/v/5590540?w=800&preview=1591451975187.jpg

Imagem 3 Margrethe Vestager Wikicommons” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/17/Hearings_of_Margrethe_Vestager_DK%2C_vice_president-designate_for_a_Europe_fit_for_the_digital_age_%2848865071413%29.jpg

About author

Atuou como consultor internacional na área de Paradiplomacia para o Escritório Exterior de Comércio e Investimentos do Governo da Catalunha. Formado em Negociações e Marketing Internacional pelo Centro de Promoção Econômica de Barcelona, Bacharel em Administração pela Universidade Católica de Brasília, especialista pós-graduado em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP, MBA em Novas Parcerias Globais pelo Instituto Latinoamericano para o Desenvolvimento da Educação, Ciência e Cultura e mestrando em Polítcias Sociais em Migrações na Universidad de La Coruña (España). Fundador do thinktank NEMRI – Núcleo de Estudos Multidisciplinar das Relações Internacionais. Especialista em paradiplomacia, acordos de cooperação e transferência acadêmica e tecnológica, smartcities e desenvolvimento econômico e social. Morou na Espanha, Itália, França e Suíça.
Related posts
ANÁLISES DE CONJUNTURAEUROPA

A Reforma Constitucional russa

AMÉRICA LATINAANÁLISES DE CONJUNTURA

Transporte aéreo e turismo latino-americanos afetados pela pandemia

ANÁLISES DE CONJUNTURAORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Justiça social e infância: campanha entre UNICEF e União Africana

ANÁLISES DE CONJUNTURAORIENTE MÉDIO

Turquia e Irã promovem ataques ao Curdistão iraquiano

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by