AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

A ONU contra o histórico embargo econômico de Cuba

Pela vigésima terceira vez, a Assembleia Geral das Nações Unidas votou com 188 votos a favor (de um total de 193 nações na Assembleia) para uma resolução tituladaNecessidade de Terminar com o Embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba[1]. Assim como em anos anteriores, somente os EUA e Israel cotaram contra e outras pequenas nações ilhas do Pacífico se abstiveram[1].

O Ministro de Relações Exteriores de Cuba discursou na Assembleia Geral apelando que os Estados Unidos removesse o embargo que somente causou grandes danos à população de Cuba, com um custo econômico avaliado em mais de 1 trilhão de dólares[1]. O Ministro ainda enfatizou: “nós convidamos ao governo dos Estados Unidos a estabilizar relações mutualmente respeitosas, nós podemos viver e lidar um com o outro de maneira civilizada apesar das nossas diferenças, Cuba nunca irá renunciar a sua soberania[1].

Apesar do forte chamado da ONU, Washington defende que as sanções são necessárias para obrigar o Governo cubano a respeitar os direitos humanos e para que se criem mais oportunidades econômicas para a população[2].

Ao contrário do que critica Washington, um crescente número de vozes, entre eles meios de comunicação, como o New York Times[3], e especialistas em Cuba afirmam que as reformas recentes em Cuba têm mudado gradualmente a forma como vivem os cubanos[3]. Assim como o grande esforço da ilha contribuindo com um grande número de profissionais da saúde na África para o combate ao Ebola.

A administração de Obama, em 2009, tomou pequenos passos para minimizar os efeitos do embargo, autorizando cubanos-americanos a visitar e enviar remessas de dinheiro à Ilha. Obama também abriu os caminhos para as licenças de telecomunicações em Cuba. No entanto, nada mais tem sido feito e desde então o Presidente tampouco tem recordado ao Congresso sobre o embargo[3].

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

https://redaccion.lamula.pe/2013/10/29/la-onu-condena-de-nuevo-el-embargo-a-cuba/tamaralasheras/

—————————————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://uk.reuters.com/article/2014/10/28/uk-cuba-un-idUKKBN0IH1R520141028

[2] Ver:

http://cnnespanol.cnn.com/2014/10/28/asamblea-general-de-la-onu-vota-contra-el-embargo-de-ee-uu-a-cuba/

[3] Ver:

http://www.nytimes.com/2013/12/13/opinion/lift-the-cuban-embargo.html?_r=1&

About author

Mestre em Relações Internacionais- IHEID (Genebra, Suíça) e Mestre em Estudos Avançados de Organizações Internacionais- UZH (Zurique, Suíça). Bacharel em Relações Internacionais -Unilasalle (Canoas, RS), intercâmbio na UNICAH (Tegucigalpa, Honduras). Especialidades: direitos humanos, direito internacional humanitário, segurança e paz, democratização e América Central. Experiências profissionais: ONU (DPA- MSU), BID (segurança cidadã) e ONG Geneva Call – Suíça.
Related posts
AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Colômbia inaugura maior túnel latino-americano

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!