NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Administração Trump atribui à Rússia a culpa pelos ataques cibernéticos contra infraestrutura básica

Pela primeira vez o governo Donald Trump acusou oficialmente à Rússia de realizar ataques cibernéticos contra a infraestrutura crítica, na forma de usinas nucleares, estações de energia, água e eletricidade, tanto nos Estados Unidos como na Europa. Em um relatório do Departamento de Segurança Nacional dos EUA (U.S. Department of Homeland Security – DHS*), publicado no dia 15 de março, o Governo norte-americano alertou para a ocorrência e atribuiu os atos de sabotagem cibernética ao governo russo e/ou a grupos ligados ao Kremlin.

Um dos documentos no relatório do Departamento de Segurança Nacional Norte-Americano

 

Em outras oportunidades já tinha levantado suspeitas de envolvimento da Rússia em ataques realizados à infraestrutura básica de alguns países. A diferença deste caso é que, pelo relatório do Departamento de Segurança Nacional, os norte-americanos alegam ter confirmado a extensão na qual supostos hackers russos conseguiram acesso ao sistema. Conforme apontam, conseguiram isso por meio de uma série de capturas de telas e outros relatórios obtidos com a ajuda do setor privado.

Eric Chien, diretor de tecnologia da Symantec, que havia alertado inicialmente a respeito do envolvimento russo, comenta: “Pelo que podemos ver, eles estiveram lá. Eles têm a habilidade de desligar a energia. Tudo que falta é a motivação política”.

Brasão do U.S. Department of Homeland Security

O relatório não identifica como e nem quais foram as infraestruturas detectadas, mas afirma que, em 2015, hackers russos comprometeram operadores das redes de energia dos EUA e da Europa, e, em 2017, obtiveram acesso ao controle crítico de sistemas de plantas elétricas, de água e até mesmo de plantas nucleares. Como também comenta Eric Chien, “Agora temos evidências de que eles estão nas máquinas, conectados à infraestrutura de controle industrial, que permitem que eles efetivamente desliguem a energia ou provoquem sabotagem”.

O Documento do Homeland Security vem acompanhado de propostas de sanções ao Governo russo pela alegação que fazem de ter havido envolvimento nas eleições norte-americanas de 2016 e pelos ataques cibernéticos direcionados à infraestrutura crítica do país. No entanto, não é a primeira vez que sistemas e infraestrutura básica dos Estados Unidos são focos de ataques cibernéticos. Um dos mais recentes foi relatado em novembro do ano passado (2017), no qual o sistema bancário estadunidense foi alvo de atos de agressão no domínio cibernético.

Conforme a sociedade atual passa a depender cada vez mais do domínio cibernético, essa dependência pode ser explorada por uma diversa gama de atores, com ou sem ligação à governos, mas dotados de capacidade para explorar a vulnerabilidade das sociedades, que se origina da crescente dependência de sistemas de energia, de armas, de comunicação, sistemas eleitorais, sistemas emergenciais e críticos, os quais estão interconectados no ciberespaço.

———————————————————————————————–                    

Nota:

* O U.S. Department of Homeland Security (DHS), ou Departamento de Segurança Nacional dos EUA, é um órgão do governo norte-americano destinado à proteção e securitização interna do país. Criado após os atentados de 11 de setembro, está envolvido com anti-terrorismo, segurança cibernética, segurança de fronteiras e prevenção de desastres.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Putin e Trump” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File%3AVladimir_Putin_and_Donald_Trump_at_the_2017_G-20_Hamburg_Summit_(9).jpg

Imagem 2Um dos documentos no relatório do Departamento de Segurança Nacional NorteAmericano” (Fonte):

https://www.us-cert.gov/sites/default/files/publications/MIFR-10135300_TLP_WHITE.pdf

Imagem 3Brasão do U.S. Department of Homeland Security” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=988960

Related posts
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataques a capacetes azuis no Mali

ECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Rússia apresenta reservas financeiras maiores que saldos devedores

ÁSIAEURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Rússia compete com China por influência no Sudeste Asiático

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

ONU HABITAT estimula a gestão dos resíduos nas cidades

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by