ECONOMIA INTERNACIONALFÓRUNS INTERNACIONAISNOTAS ANALÍTICASSociedade Internacional

[:pt]Analistas da China apresentaram boa impressão do Presidente do Brasil, Michel Temer[:]

[:pt]

Durante o encontro da Cúpula do G20, em Hangzhou, nos dias 4 e 5 de setembro de 2016, domingo e segunda-feira passada, os analistas chineses apresentaram na mídia boa impressão sobre o atual Presidente do Brasil, Michel Temer. Os observadores chineses entenderam que Temer “elogiou o crescimento econômico da China, como exemplo para o mundo”. Que ele “considerou que o Brasil precisa da experiência de sucesso da China em tempos de crise econômica; [pois] a China tem mantido por muito tempo o crescimento econômico a um nível elevado, o que é grande coisa e pode fornecer muita experiência para o mundo. Alem disso, Temer afirmou “que a cúpula Hangzhou irá beneficiar todos os membros do G20, especialmente o Brasil. E que o G20 é a plataforma principal do mundo para a cooperação econômica, [já que é a ] cúpula com o maior número de países em desenvolvimento participantes, e cujo ponto alto seriam as discussões acerca da inovação, alterações climáticas e outras questões de grande preocupação para o Brasil”.

Com fama de gentleman em seu país, o Presidente do Brasil teria demonstrado boa etiqueta, ao “admitir durante o jantar que era um ‘fã ardoroso’ da culinária chinesa”. Certamente, motivado pelo fato de a China ser o maior parceiro comercial do Brasil, acrescido do objetivo de intensificar a parceria comercial com o gigante asiático, o Presidente brasileiro causou boa impressão na imprensa chinesa ao enfatizar a importância econômica da China para o mundo e por reconhecer, mesmo que sutilmente, a sua influência no desenvolvimento de várias economias.

A recíproca elogiosa também ocorreu, porque o parque industrial da China se beneficia do petróleo, minério-de-ferro, proteínas e grãos do Brasil, razão pela qual a mídia chinesa, predominantemente estatal e sob rígido controle ideológico e informacional do Governo, ressalta as boas relações diplomáticas entre esses dois países do BRICS, considerando-se que, provavelmente, isso deve ser um dever.

———————————————————————————————–                    

Imagem (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/2016_G20_Hangzhou_summit    

[:]

About author

Graduado em Direito (2000) pela Universidade da Amazônia, é diretor da Montax – Inteligência & Investigações e autor de Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa. Pesquisa Marketing de serviços, Guerra Econômica, Economia Política e áreas afins. Como Advogado criminalista, tem foco em ações antilavagem de dinheiro para Recuperação de ativos desviados de fraudes.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Egito, Etiópia e Sudão: desavenças pela maior hidrelétrica da África

DEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

Índia procura fortalecer defesas aéreas para se equiparar à China, em meio a tensões na fronteira

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Crise oriunda da COVID-19 poderá lançar até 326 mil crianças ao trabalho infantil

MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

ONU celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente em meio à Pandemia

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by