AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Estudo revela contração das exportações da América Latina e panorama para 2015

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) lançou um estudo[1] sobre as estimativas das tendências comerciais da América Latina em 2014, incluindo dados detalhados de 18 países latino-americanos. O relatório aponta que a região acumula três anos de estancamento das exportações e, em 2014, ocorreu a primeira contração de 1,4%.

O BID destacou que, por seu tamanho, o Brasil foi a economia que mais contribuiu para a queda total do desempenho das exportações. Argentina e Peru apresentaram as maiores taxas de contração, seguidos por Venezuela e El Salvador. Colômbia, Chile, e Panamá tiveram quedas moderadas. O aumento das exportações do México é o mais importante por seu peso relativo. As exportações de Nicarágua, Bolívia, Equador, Guatemala e República Dominicana foram as mais dinâmicas. Em Honduras, Paraguai e Uruguai, as vendas externas cresceram, ainda que em menor ritmo. Por fim, na Costa Rica também se expandiram[1].

A debilidade da atividade econômica na Europa causou uma queda de 4% em sua demanda por produtos latino-americanos. As importações de produtos da América Latina pela Ásia tiveram uma contração de aproximadamente 5%, devido à desaceleração do crescimento dessa região e à reorientação do modelo de crescimento da China para o consumo interno.

Para 2015, o estudo[1] indica que uma demanda mais firme dos Estados Unidos deve beneficiar a região, em especial o México e a América Central, enquanto as menores taxas de crescimento esperadas para a China continuarão afetando os principais exportadores de produtos agrícolas e minerais da América do Sul.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://services.iadb.org/wmsfiles/images/0x0/-31872.jpg

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/6731/Latin-American-Trade-Trend-Estimates-2014.pdf?sequence=3

AMÉRICA DO NORTEAMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

BID doa US$55 milhões para o Haiti expandir Parque Industrial

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou[1] uma doação de US$55 milhões e um cofinanciamento do Governo dos Estados Unidos de US$15 milhões para expandir as instalações de empreendimentos no Parque Industrial de Caracol (PIC), projetado em 2011.

De acordo com informações do BID[1], esta operação busca apoiar a ampliação da base industrial e urbana no Haiti dentro de um contexto de sustentabilidade ambiental. As autoridades haitianos tem como prioridade fomentar o crescimento econômico do país por meio da geração de postos de trabalho nas zonas mais vulneráveis, incentivando o investimento privado.

O Banco destaca que a taxa de desemprego no país chega a 40,6% e 71% da população vive com menos de US$2 por dia[1]. Para enfrentar esses desafios, o financiamento será direcionado à construção de edifícios e fábricas para abrigar atividades industriais. Também ocorrerá a ampliação de vias e redes de serviços públicos na região.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://1.bp.blogspot.com/-66md5tYF1vA/UNhuIKnb1nI/AAAAAAAABfM/9C4YB3l4kes/s1600/caracol+industrial+park+1.jpg

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.iadb.org/en/news/news-releases/2014-12-12/caracol-industrial-park-and-haiti,11020.html

—————————————————————————

Ver Também:

https://www.youtube.com/watch?v=C3s_mtWViWw

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Desafie especialistas do BID na COP20

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o QuizUp, maior jogo de perguntas para celulares do mundo, se juntaram para adicionar questões relacionadas à mudança climática na categoria ciências do jogo[1]. Cada partida inclui sete perguntas cronometradas, desenvolvidas por especialistas do BID. O aplicativo pode ser baixado no iphone, ipad e android.

Esta é a primeira vez que o BID utiliza um jogo de celular para atingir diferentes públicos e alcançar a conscientização sobre os desafios na área de mudança climática. Os jogadores poderão competir com pessoas do mundo todo, testando o conhecimento próprio e de amigos. O tema aborda questões como a inovação tecnológica, política climática, eficiência energética, transporte urbano, gestão da água e saneamento, dentre outros.

Hilen Meirovich, especialista do BID, afirmou que decidiram “inovar e aumentar a conscientização sobre a importância da mudança climática em nossos países membros através de um jogo de trivia com componente social. Sabemos que essas plataformas não só ensinam, como também divertem. Que melhor maneira de tornar os nossos cidadãos conscientes dos desafios da nossa região na área de mudança climática que de forma lúdica e acessível?[1].

Como parte do lançamento do tema de mudança climática, o BID criou um estande com acesso a QuizUp na COP20, a conferência sobre mudança climática que está sendo realizada em Lima, Peru. Para jogar contra os participantes da COP20 ao vivo, basta desafiar o usuário BIDcambioclima e talvez você jogue contra especialistas do BID. A Conferência e este desafio ficarão ativos do dia 1o ao dia 12 de dezembro de 2014.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 http://blogs.iadb.org/cambioclimatico/files/CCS-QuizUp_blogsidebannerEN.jpg

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1]Ver:

http://www.iadb.org/en/news/announcements/2014-12-01/quizup-trivia-game-and-climate-change,10997.html

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Agência de Risco rebaixa o rating da dívida soberana do Japão

No dia 1o de dezembro, a agência de classificação de risco Moodys rebaixou[1] o rating da dívida soberana do Japão para o nível A1. Após o anúncio, a moeda do país, o Iene, teve a maior desvalorização frente ao dólar, em sete anos. A Agência informou que o aumento das incertezas sobre a capacidade do país cumprir sua meta de redução de débito influenciou na decisão de rebaixamento.

A Moodys ressaltou que o déficit e a dívida do Japão continuam altos e a consolidação fiscal se tornará cada vez mais difícil de ser atingida com o tempo, isso se deve em especial aos gastos governamentais em programas sociais associados à população em envelhecimento que, com o tempo, só tende a ampliar.

O anúncio de rebaixamento ocorreu um dia antes do início da campanha para as eleições antecipadas para a Câmara Baixa do Japão. O atual primeiro-ministro japonês Shinzo Abe tentará renovar seu mandato e as Eleições foram convocadas[2] por Abe como tática para obter apoio em sua estratégia econômica para tirar o país da deflação crônica, por meio de estímulos fiscais, flexibilização monetária e investimentos públicos.

A Agência de Risco indicou que as medidas propostas por Abe podem até ajudar a economia no curto prazo, mas torna mais difícil para o Japão alcançar sua meta de equilibrar o Orçamento até 2020.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

Wikipedia

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.bbc.com/news/business-30279644

[2] Ver:

http://oglobo.globo.com/economia/primeiro-ministro-japones-anuncia-dissolucao-de-parlamento-eleicoes-antecipadas-14588865

ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

Rússia fecha Acordo de Cooperação para construção de usinas nucleares na África do Sul

A empresa estatal russa de energia nuclear Rosatom formalizou um histórico Acordo de Cooperação com o Governo da África do Sul para a construção de uma rede de usinas nucleares no país focadas na geração de energia. O acerto foi formalizado por Sergei Kirienko, Diretor-Geral da Rosatom, e por Tina Joermat-Peterson, Ministra de Energia sul-africana.


De acordo com Kirienko, “o acordo lança os alicerces para o desenvolvimento de um programa de geração de energia nuclear de grande escala na África do Sul com a construção, até 2030, de uma rede de oito usinas nucleares equipadas com reatores russos VVER, gerando o total de 9,6 GW[1].

A Rússia e a África do Sul também aprovaram um Acordo de Cooperação Bilateral com objetivo de promover a pesquisa e o desenvolvimento em outros setores da indústria nuclear e programaram a construção de um reator de pesquisa de múltiplos usos com tecnologia russa, para o desenvolvimento e modernização da infraestrutura nuclear sul-africana.

De acordo com o Plano Integrado de Recursos (IRP, na sigla em inglês) da África do Sul para 2010-2030[2], para garantir a segurança energética de todos os sul-africanos, o país precisa utilizar diversas fontes de energia, incluindo a nuclear. Dessa forma, continuará comprometido a adicionar novas plantas nucleares de geração à sua matriz energética.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 Wikipedia

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.monitormercantil.com.br/index.php?pagina=Noticias&Noticia=161715&Categoria=INTERNACIONAL

[2] Ver:

http://www.atividadesnucleares.com.br/materia.asp?id=1501

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

BID aprova empréstimo para fomentar inovação das empresas no Uruguai

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou um empréstimo de US$ 40 milhões para financiar um Programa que contribuirá para a melhora da produtividade e competitividade das empresas no Uruguai. O país terá 24 anos de prazo para pagar o empréstimo e 6 anos de carência[1].

De acordo com informações disseminadas pelo BID, o Programa de Inovação para o Desenvolvimento Produtivo contribuirá para fomentar a inovação, promover o conhecimento científico e tecnológico e ampliar as capacidades da Agência Nacional de Pesquisa e Inovação para a implementação de políticas públicas de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A expectativa é que as empresas beneficiadas aumentem em pelo menos 10% sua capacidade para exportar e amplie pelo menos 20% de sua produtividade. Também se espera que ocorra um aumento de 20% nos investimentos privados em pesquisa e desenvolvimento.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 http://demalaecuia.net/wp-content/uploads/2013/10/inova%C3%A7%C3%A3o-vem-da-necessidade-Marcos-Hashimoto.jpg

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.iadb.org/es/proyectos/project-information-page,1303.html?id=UR-L1096

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Tribunal de Contas do Rio Grande do Norte assina Acordo para auditar contratos firmados com o BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) assinou Protocolo de Entendimento com o Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE/RN) para permitir que a Instituição realize auditorias nos contratos de empréstimos e…

Read more