AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

Ações Conjuntas Brasil-União Europeia sobre Crescimento Azul

De acordo com nota oficial enviada por e-mail ao CEIRI NEWSPAPER, a Delegação da União Europeia no Brasil participará, no dia 11 de novembro, em Recife (Pernambuco) do evento Tour do Brasil. A iniciativa organizada pela Finlândia tem como tema as Ações Conjuntas BrasilUnião Europeia sobre Crescimento Azul.

Representantes de universidades, empresas e governos apresentarão projetos, planos, políticas e possibilidades de cooperação em pesquisa, ciência e inovação relacionadas ao crescimento azul, ou seja, apresentarão como as novas tecnologias podem colocar os recursos marinhos para uso produtivo e para gerar emprego e crescimento sustentável, ao mesmo tempo em que garante que esses recursos possam ser desfrutados pelas gerações futuras.

A iniciativa é uma parceria entre o Estado de Pernambuco e a Intercity Collaboration of SouthWest Coast da Finlândia. O evento será realizado pelo Departamento de Ciência e Tecnologia de Pernambuco (SECTEC) e pelo Ministério da Educação, Ciência e Cultura da Finlândia, juntamente com União Europeia e Estados-Membros, como a Bélgica, a França, a Alemanha, a Irlanda, Portugal e Noruega.

A estratégia de Crescimento Azul da União Europeia tem por objetivo apoiar a longo prazo o crescimento sustentável no conjunto dos setores marinho e marítimo, reconhecendo a importância dos mares e oceanos enquanto motores da economia europeia com grande potencial para a inovação e o crescimento[1].

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://www.inreslab.org/wp-content/uploads/h2020.jpg

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://ec.europa.eu/maritimeaffairs/policy/blue_growth/index_pt.htm

—————————————————————————

Mais informações sobre o programa Horizonte 2020, ver:

http://ec.europa.eu/programmes/horizon2020

Mais informações sobre Ações Conjuntas Brasil-União Europeia sobre Crescimento Azul”, ver:

http://horizon2020projects.com/sc-bioeconomy/eu-brazil-prepare-for-eu-blue-growth-event/

Mais informações sobre o Tour do Brasil no Recife, ver:

http://www.finlandia.org.br/public/default.aspx?contentid=315164&nodeid=36427&culture=pt-BR

 

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Instituições do Brasil, Equador e Paraguai ganharam os Prêmios Interamericanos para Inovação Financeira e Empresarial do BID

O Banco do Nordeste do Brasil, a Tigo (maior operadora de telefonia celular do Paraguai) e a FOODSANU (processadora de alimentos) do Equador foram os contemplados com os Prêmios Interamericanos para Inovação Financeira e Empresarial pelo trabalho em apoio à inclusão financeira, às finanças digitais e à microempresa na América Latina e no Caribe[1].

Os prêmios foram oferecidos pelo Fundo Multilateral de Investimentos (FUMIN), membro do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Banco do Nordeste do Brasil ganhou o Prêmio para Inclusão Financeira 2014 por seu desempenho no oferecimento de serviços financeiros para as populações pobres e de baixa renda. Seu programa de microcrédito, CrediAmigo, elaborado em 1997 em associação com a Acción Internacional, é atualmente um dos maiores programas de microcrédito de toda a América Latina.

A Tigo Paraguay ganhou o Prêmio para Finanças Digitais por seu desempenho e transparência financeira e qualidade e uso de seus serviços financeiros. Seu produto TIGO Money distinguiu-se no âmbito das finanças digitais por levar serviços financeiros (entre eles transferências de dinheiro de pessoa a pessoa “P2P”, operações de pagamento e microcrédito) aos moradores de áreas sem atendimento bancário de uma maneira rápida e acessível.

O Prêmio para Excelência e Sustentabilidade da Microempresa foi para a empresária equatoriana Ximena Coba, criadora da processadora de alimentos FOODSANU, que produz polpa de frutas sem aditivos químicos pela implementação de um sistema de gestão de Boas Práticas de Manufatura (BPM).

A premiação acontecerá no dia 4 de novembro durante a cerimônia de inauguração do Foromic 2014, a principal conferência da região em temas relacionados às microfinanças e às empresas. Este ano, o Foromic será realizado em Guayaquil, no Equador, de 4 a 6 de novembro, com o tema: “Finanças inclusivas: modelos de negócio para todos”.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 BID

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www.foromic.org/

ECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Banco Mundial lança relatório sobre ambiente de negócios no mundo e o Brasil ocupa uma das piores posições

Ao final de outubro, o Banco Mundial lançou o Relatório Doing Business 2015[1] que reúne e analisa dados quantitativos abrangentes para comparar ambientes regulatórios para empresas em várias economias, ao longo do tempo. O Doing Business também encoraja os países a competir para alcançar uma regulamentação mais eficiente. O Relatório, que cobre 189 economias de todo o mundo, documentou 230 reformas de regulamentos para propiciar um melhor ambiente de negócios, entre meados de 2013 e 2014.

De acordo com o Documento de 2015, Cingapura, Hong Kong, Nova Zelândia, Dinamarca e Coreia do Sul são os lugares que possuem as regras e legislações mais favoráveis para a realização de negócios. Em seguida, Noruega, EUA, Reino Unido, Finlândia e Austrália completam a lista dos dez primeiros países, que quase não tiveram mudanças nos últimos anos e continuam apresentando um ótimo ambiente para empreendimentos.

As economias da  América Latina e do Caribe tomaram medidas para remover os obstáculos contra a atividade empresarial e para fortalecer as instituições jurídicas. Por exemplo, a Costa Rica (83ª posição) e a Guatemala (73ª posição) adotaram sistemas eletrônicos para a declaração e o pagamento de impostos, poupando mais de 60 horas por ano para empresas no tempo gasto em cumprimento das obrigações fiscais. O Uruguai (82ª posição) aprovou uma Lei destinada a acelerar a resolução de disputas comerciais e implementou um sistema de inspeção baseado em risco que reduziu o tempo de desembaraço aduaneiro.

O relatório concluiu que a Colômbia (34ª posição) é a economia da região onde é mais fácil fazer negócios. Além disso, implementou o maior número de reformas regulatórias na região desde 2005, totalizando 29. Por exemplo, em 2013/14, o país facilitou o acesso ao crédito por meio de uma nova Lei para melhorar o sistema de transações seguras.

Além da Colômbia, também na lista das cinco primeiras economias em termos de facilidade de fazer negócios na América Latina estão o Peru (35ª posição), o México (39ª posição), o Chile (41ª posição) e Porto Rico (47ª posição).

O Brasil, apesar de ter melhorado sua posição em relação a 2014, ainda está longe das melhores economias em termos de facilidade de fazer negócios, ocupando a 120ª posição da tabela.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 http://www.clubofmozambique.com/pt/sectionnews/data/economia/Mhoje_doingbusiness_photo_jpg.jpg

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://portugues.doingbusiness.org

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

BID lança concurso para financiamento de projetos inovadores da área de eficiência energética

O Fundo CONACYTSENER para Sustentabilidade Energética (FSE) e o programa IDEAS do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com apoio do Governo da Coreia do Sul, anunciam a chamada de propostas 2014 para financiamento de projetos inovadores que promovam energias renováveis, eficiência energética, biocombustíveis e acesso a energia em áreas rurais.

A chamada FSEIDEAS proporcionará financiamento de projetos para a pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias no setor energético, com o potencial de beneficiar toda a região na América Latina e Caribe.

Os ganhadores do concurso nas categorias de consórcio e individual receberão até US$ 200.000. O prazo para a apresentação das propostas vai até 15 de janeiro de 2015. Desde sua primeira edição, em 2009, foram recebidas mais de 2.300 propostas de 28 países da América Latina e do Caribe e 53 ganhadores foram selecionados.  Para mais informações sobre o concurso, visite a página oficial do IDEAS: www.iadb.org/ideas

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 BID

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www.iadb.org/pt/temas//ideas/sobre-o-concurso,3810.html

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

BID e Fundação PepsiCo atuarão na prevenção da desnutrição e obesidade infantil

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Fundação PepsiCo lançaram o Projeto Spoon, um Programa para prevenir a desnutrição e reduzir os riscos de obesidade infantil nas zonas pobres da Colômbia, Guatemala, México e Peru.

Este Projeto é a primeira iniciativa regional que atenderá os dois problemas simultaneamente. O BID indica que há vários estudos demonstrando que a relação entre o peso e a estatura nos primeiros anos de vida influi decisivamente no desenvolvimento das crianças e na prevenção da obesidade ao longo da vida.

Serão adotadas as melhores práticas de alimentação infantil e na promoção do uso de um suplemento nutricional com as vitaminas, minerais e ácidos graxos essenciais que as crianças necessitam entre os 6 e 24 meses de idade. O Projeto desenvolverá também uma estratégia de mudança de comportamento com objetivo de estimular que os pais adotem hábitos de alimentação infantil mais saudáveis.

Para a sua realização, a Fundação PepsiCo doou US$5 milhões e o Governo da Colômbia aportou US$750,000.00 para realizar o diagnóstico da situação nutricional nas áreas que serão atendidas.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 BID

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www.iadb.org/en/news/news-releases/2014-10-15/idb-and-pepsico-launch-spoon,10946.html

MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Países se comprometem a duplicar financiamento para conservação da biodiversidade

A Conferência das Nações Unidas sobre a Preservação dos Recursos Naturais[1] terminou, no dia 17 de outubro, com o compromisso assumido pelos Governos de duplicar, até 2015, a ajuda para a conservação da biodiversidade nos países em desenvolvimento.

Será utilizada a média de financiamento anual da biodiversidade entre 2006 e 2010 como base para dobrar os recursos até 2015 e mantê-los constantes até 2020. Os Governos também concordaram em elevar o financiamento para projetos de biodiversidade.

Na Conferência, foi divulgado que o mundo não estava no caminho de cumprir as chamadas “Metas de Aichi”, que incluem cortar à metade a perda de hábitats, reduzir a poluição, reduzir a sobrepesca e pôr um freio na extinção das espécies. Com este panorama, o aumento de recursos é considerado crucial para alcançar as metas estabelecidas em 2010 para conter a perda de espécies da flora e da fauna até 2020.

No mês passado, a edição de 2014 do relatório Planeta Vivo[2], do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), destacou um declínio de 52% nas espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes no mundo entre 1970 e 2010. De acordo com este Documento, os seres humanos estão utilizando recursos naturais a uma taxa que exigiria 1,5 planeta Terra para sustentá-los, consumindo recursos animais, vegetais e outros em uma velocidade mais rápida do que a natureza consegue repor.

—————————————————————————

Imagem (Fonte wwf):

 http://d3nehc6yl9qzo4.cloudfront.net/img/original/logo_cdb_cop12.jpg

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.cbd.int/doc/press/2014/pr-2014-10-17-cop-12-en.pdf

[2] Ver:

http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/relatorio_planeta_vivo/