ÁFRICAAMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Nova rota marítima possibilitará linha direta para entrega dos produtos brasileiros à “África Ocidental”

A partir da primeira quinzena de dezembro, o navio Agena, de uma companhia dinamarquesa, vai passar a fazer uma ligação marítima regular entre o estado brasileiro do Ceará e os portos cabo-verdianos do Mindelo e Praia.

Em declarações à “Rádio de Cabo Verde” (RCV), replicada pela  “Agência Angola Press[1], na cidade do Mindelo, o secretário executivo da “Câmara do Comércio Exterior do Ceará”, Roberto Marinho, declarou que esta nova ligação marítima irá transformar o arquipélago em um entreposto comercial para a colocação de produtos brasileiros nos países da “Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental” (CEDEAO).

Atualmente, todas as mercadorias que saem do Brasil com destino aCabo Verde” e outros países da região ocidental da África seguem para a Europa, onde são transferidas para outros navios e, enfim, seguem aos portos de destino. A nova rota permitirá uma redução para a entrega dos produtos de 45 dias para uma semana, por isso há a expectativa de um volume mensal de exportação entre dois mil e três mil toneladas.

————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/noticias/africa/2013/10/48/Africa-Cabo-Verde-Brasil-com-ligacao-maritima-partir-Dezembro,6fac3054-9051-44f5-8790-29fbc9d2dd90.html

——————————————-

Ver Também:

http://www.expressodasilhas.sapo.cv/nacional/item/40559-cabo-verde-e-brasil-vao-ter-nova-ligacao-maritima-a-partir-de-dezembro

          

Uncategorized

CPLP pretende fortalecer o “Instituto Internacional de Língua Portuguesa”

O diretor executivo do “Instituto Internacional de Língua Portuguesa” (IILP), Gilvan Muller de Oliveira, declarou à “Agência Lusa[1], que os países lusófonos devem ao Instituto aproximadamente 500 mil euros, obrigando o organismo a solicitar financiamento externo para assegurar os projetos.

Com sede na “Cidade da Praia”, “Cabo Verde”, o IILP foi integrado formalmente à Organização em 2005[2], tendo como responsabilidade apoiar a disseminação do idioma e desenvolver oVocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa”, entre outras atribuições.

Essa crise é um reflexo da dificuldade que alguns países têm em contribuir, basta ver a dívida de 497 mil euros dos Estados-Membros à “Comunidade dos Países da Língua Portuguesa” (CPLP), quase dois orçamentos completos do instituto que, anualmente, chega a 247 mil euros.

A falta de financiamento é um problema de longa data do Instituto, mas Muller de Oliveira afirmou que o IILP  “melhorou a sua capacidade de captar recursos externos, de médio porte, do Brasil, Angola, Guiné Equatorial e Portugal[1], nomeadamente com pagamento de bolsas e financiamento de colóquios.

O IILP também conseguiu captar recursos ligado ao programa de apoio às iniciativas culturais dos “Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa” (PALOP), um subprograma regional dos fundos África, Caribe e Pacífico, da “União Europeia”.

Observando as dificuldades da CPLP e do IILP, foi inserida a língua portuguesa como idioma da ciência e da inovação no “Plano de Ação de Lisboa”, cuja definição saiu do  segmento técnico diplomático da “2ª Conferência Internacional sobre o Futuro da Língua Portuguesa no Sistema Mundial”, a qual foi realizada pela CPLP em Lisboa, entre 29 de outubro a 1o de novembro de 2013.

O português como língua da ciência e inovação compreende um “conjunto de medidas novas para valorizar a utilização da língua portuguesa no mundo[3], afirmou em conferência de imprensa de encerramento o embaixador Rui Aleixo, representante do Governo português, indicando que os membros da comunidade reforçarão o papel do IILP.

—————————-

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.mundolusiada.com.br/cplp/instituto-da-lingua-portuguesa-tem-divida-de-quase-500-mil-euros/

[2] Ver:

http://www.jornal.ceiri.com.br/mocambique-e-o-unico-pais-que-paga-a-anuidade-do-instituto-da-cplp-que-promove-a-lingua-portuguesa/

[3] Ver:

http://www.instituto-camoes.pt/comunicacao/encarte-jl/lingua-conferencia-palis

ÁfricaAMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

“União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa” participa de encontro das “Capitais Ibero-Americanas”

A “União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa” (UCCLA) participou ontem, 21 de novembro e participará hoje, dia 22 de novembro, do “IX Encontro de Diretores de Relações Internacionais e Coordenadores” da “União das Cidades Capitais Ibero-Americanas” (UCCI), que ocorre no espaço cultural “Casa de América”, em Madri.

A UCCLA é representada na reunião que se realiza pelo seu secretário-geral, Vítor Ramalho. De acordo com nota[1] divulgada pela entidade lusófona, Vitor Ramalho intervirá no painel “Perspectivas atuais da Cooperação Internacional na Ibero-América”.

O “IX Encontro”, que reúne aproximadamente 29 representantes de países dessas regiões, possui como tema central “O Papel das Cidades Capitais no Presente e Futuro da Cooperação Ibero-Americana” e tem como objetivo promover laços, relações e intercâmbios, nas diversas áreas das grandes cidades, visando o desenvolvimento, a solidariedade e a cooperação. 

———————————–

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.uccla.pt/noticais/uccla-presente-no-encontro-de-diretores-de-relacoes-internacionais

———————————–

Ver Também:

http://www.madrid.es/portal/site/munimadrid/menuitem.f4bb5b953cd0b0aa7d245f019fc08a0c/?vgnextoid=72bc62995184b010VgnVCM100000d90ca8c0RCRD&vgnextchannel=ce069e242ab26010VgnVCM100000dc0ca8c0RCRD

ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Angola deseja reduzir suas importações até 2017

O administrador da “Agência de Investimento Privado” (ANIP) de Angola, Luís Domingos, declarou noFórum Virtual Empresarial Angola / Itáliaque seu país quer reduzir até 2017 as importações de bens e serviços que chegam a aproximadamente 20 bilhões de dólares.

Domingos realizou esta afirmação ao dissertar sobre as vantagens da “Lei de Investimento Privado” que será utilizada para diversificar os investimentos estrangeiros no país, criando condições para substituir as importações. Ele destacou ainda as grandes oportunidades que são oferecidas nos setores da indústria, hotelaria e turismo, agricultura, pescas e transportes.

A questão da substituição das importações de Angola é um projeto que está em desenvolvimento desde 2009, dando oportunidades e facilidades aos empresários que desejam investir no país e ali produzirem para gerar riqueza interna.

———————

Fontes Consultadas:

Ver:

http://www.angonoticias.com/Artigos/item/40641/angola-quer-reduzir-as-importacoes

Ver:

http://www.portalangop.co.ao/angola/pt_pt/noticias/economia/2009/8/40/Governo-trabalha-para-reduzir-importacoes-bens-servicos,ade6c612-271a-4626-8ce1-c26cc82f0d43.html

ECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

Orçamento do Parlamento Europeu sofre corte pela primeira vez em sua história

Ontem, dia 19 de novembro, o “Parlamento Europeu” (PE) aprovou oOrçamento Plurianualpara o período 2014-2020, com o valor de 960 bilhões de euros (US$ 1,3 trilhão), apresentando um corte de 34 bilhões de euros em relação ao período anterior. Esta diminuição representa 1% do “Produto Interno Bruto Europeu” (PIB).

O Orçamento foi aprovado com 537 votos a favor, 126 contra e 19 abstenções. Terminam assim meses de tensão em que a falta de Fundos dificultou o cumprimento das obrigações jurídicas e financeiras da “Comissão Europeia” nos últimos anos, mas evitou que o “Orçamento Comunitário” entrasse em 2014 no vermelho.

Esta é a primeira vez na história da “União Europeia” (UE) que o Orçamento do PE sofre cortes, os quais vinham sendo buscados por diversos países da UE, que também queriam ver a austeridade em nível europeu, em um momento no qual muitos países implementam redução orçamentária em seus países. Os líderes da UE acreditam que este é um Orçamento realista para a Europa que tem combatido há anos uma grave crise financeira.  

———————————

Fontes consultadas:

Ver:

http://www.europarl.europa.eu/news/pt/news-room/content/20131118IPR25541/html/Parlamento-Europeu-aprova-quadro-financeiro-plurianual-2014-2020

Ver:

http://www.europarl.europa.eu/aboutparliament/pt/00059f3ea3/Or%C3%A7amento-do-Parlamento-Europeu.html

Ver:

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=696842&tm=6&layout=121&visual=49 

Ver:

http://www.publico.pt/economia/noticia/temos-um-orcamento-mais-magro-diz-van-rompuy-1583873

Ver:

http://pt.euronews.com/2013/11/19/parlamento-europeu-aprova-orcamento-2014-2020/

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

Brasília e Bruxelas assinaram acordo de Cidades-Irmãs

No dia 8 de novembro, Brasília e Bruxelas (Bélgica) assinaram um acordo para tornarem-se “Cidades-Irmãs”, possibilitando novas oportunidades de cooperação e projetos comuns.

A parceria, assinada pelo governador de Brasília, Agnelo Queiroz, e pelo ministro-presidente da região de Bruxelas-Capital, Rudi Vervoort, possibilitará a colaboração nas áreas de desenvolvimento econômico, comércio e investimento; planejamento urbano e transporte; sustentabilidade; educação, cultura, turismo e planejamento de eventos.

O Acordo também será um estímulo para a participação da Bélgica no programa de intercâmbioBrasília sem Fronteiras”, que tem por objetivo proporcionar bolsas de estudo nos “Estados Unidos” e na Europa, em instituições de educação de referência mundial a 126 estudantes do “Centro Interescolar de Línguas” (CIL) e a 64 servidores do “Governo do Distrito Federal”.

—————————————–

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.df.gov.br/noticias/item/10171-bras%C3%ADlia-e-bruxelas-tornam-se-cidades-irm%C3%A3s.html

[2] Ver:

http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=73922