AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Em relatório, BID destaca contração das exportações da América Latina

Segundo a nova edição do Monitor de Comércio e Integração do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)[1], após três anos de estagnação, as exportações da América Latina e Caribe começaram a se contrair em 2014, além disso, no primeiro semestre de 2015, essa contração se agravou.

De acordo com o estudo[1], o desempenho negativo é devido em parte à desaceleração da economia da China, além da diminuição dos preços dos produtos básicos exportados pelos latino-americanos e caribenhos.

O relatório[1] analisa a situação regional e destaca a urgência de promover políticas públicas focadas na promoção da diversificação comercial, em um contexto caracterizado pelo aumento da volatilidade das moedas e de encarecimento das condições de acesso ao financiamento internacional.

A apresentação oficial do Monitor será realizada em coordenação com o Instituto Centroamericano de Administración de Empresas (INCAE). Após a apresentação, haverá uma análise com especialistas costarriquenhos da área de comércio e investimento. O evento de apresentação será transmitido em espanhol, via streaming, pela internet, através deste link:https://www.youtube.com/watch?v=R8x7hZnJ1BQ&feature=youtu.be

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://services.iadb.org/wmsfiles/images/0x0/portada-pt-37015.jpg

———————————————————————————————–

Fonte Consultada:

[1] Ver:

https://publications.iadb.org/bitstream/handle/11319/7243/Monitor_2015-Double-Dip-Latin-America-and-the-Caribbean-Facing-the-Contraction-of-World-Trade.pdf?sequence=4

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

BID promove evento sobre inovação na América Latina e Caribe

O Banco  Interamericano de Desenvolvimento (BID) promoveu, no dia 7 de outubro[1], em Buenos Aires (Argentina), um evento para celebrar o meio século de vida do Instituto para a Integração da América Latina e do Caribe (INTAL) do BID.

A chamada INTAL50 reuniu acadêmicos de universidades internacionais, empresários, empreendedores e funcionários públicos para debater sobre os temas críticos para a integração e as estratégias comerciais dos países da região, como o futuro da educação e do emprego, o potencial da biotecnologia e da nanotecnologia, o estímulo à inovação, os riscos das mudanças climáticas e os desafios que as mudanças tecnológicas “disruptivas” representam para os formuladores de políticas públicas da região. A ideia central foi debater como as tecnologias podem impactar a vida cotidiana dos habitantes latino-americanos e caribenhos.

Gustavo Beliz, Diretor do INTAL, destacou as novas iniciativas do Instituto, como o INTAL-LAB, um espaço para a co-criação de ideias inovadoras em integração e comércio, e o Nodo i+i, uma iniciativa lançada em colaboração com a Universidade de Columbia, que examina como a integração regional pode ajudar a reduzir a desigualdade nas Américas. Líderes, formadores de opinião e representantes dos governos da região já haviam se reunido em Nova York, nos dias 25 e 26 de setembro, para trocar e compartilhar ideias sobre o tema e analisar projetos de políticas públicas que tenham alto impacto social.

———————————————————————————————-

Imagem (Fonte):

https://pbs.twimg.com/media/CNwpx7vWUAA-Oay.jpg:large

———————————————————————————————-

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www19.iadb.org/intal/50/#3rd

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Projeto de inclusão social de dezoito Vilas Olímpicas no Rio de Janeiro, liderado pelo BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a Fundação FC Barcelona, a Colgate e a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer do Rio de Janeiro iniciaram as atividades do projeto Maré que Transforma, o qual prevê o fortalecimento de dezoito Vilas Olímpicas no Rio de Janeiro, promovendo a inclusão social através de atividades desportivas[1].

A iniciativa, inspirada em experiências bem sucedidas, utiliza o esporte como meio para melhorar a qualidade de vida de crianças em situação de vulnerabilidade e promove atividades físicas para resolução de conflitos, prevenção de violência, promoção de educação e saúde, entre outros benefícios[2].

A Fundação FC Barcelona participou do primeiro evento multiplicando o projeto FutbolNet[3], que transmite valores do time europeu e busca resgatar a cidadania com a prática esportiva, fortalecendo princípios como respeito, humildade, esforço e trabalho em equipe. A Colgate capacitou crianças e jovens para uma melhor higiene bucal e cuidados básicos para a saúde, como lavar as mãos.

A próxima ação prevista na Vila Olímpica da Maré, em outubro, será da Visa, outro importante parceiro do BID, com um plano de educação financeira para jovens e adultos, dentro do escopo do projeto[4].

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://4vector.com/i/free-vector-rio-de-janeiro-2016-olympic-logo-with-the-olympic-bid-logo-the-official-hd-wallpapers-and-videos_028578_v4_1920x1080.jpg

———————————————————————————————–

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.rio.rj.gov.br/web/smel/exibeconteudo?id=5544537

[2] Ver:

http://www.iadb.org/pt/noticias/comunicados-de-imprensa/2015-09-25/projeto-do-bid-na-vila-olimpica-da-mare,11256.html

[3] Ver:

http://foundation.fcbarcelona.com/projects/detail/card/fair-football

[4] Ver:

https://ceiri.news/responsavel-pela-area-de-relacoes-corporativas-da-visa-inc-fala-sobre-a-atuacao-da-empresa-na-cooperacao-internacional-e-as-acoes-de-inclusao-financeira/

ECONOMIA INTERNACIONALFÓRUNS INTERNACIONAISNOTAS ANALÍTICAS

Intercâmbio comercial entre Brasil e CPLP está em queda

De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)[1], nos primeiros sete meses deste ano (2015), as trocas comerciais entre o Brasil e os demais membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) sofreram uma queda de mais de 40%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo os dados apresentados, o comércio entre o Brasil e a CPLP chegou a US$ 1,5 bilhão, cifra que se situou 42% abaixo dos US$ 2,6 bilhões movimentados em igual período de 2014[1]. Julho foi o melhor mês do ano nas trocas comerciais entre o Brasil e os parceiros lusófonos, com um volume de negócios de US$ 320,4 milhões[1]. O pior mês deste ano de 2015 foi fevereiro, com trocas de apenas US$ 126 milhões[1].

De acordo com os dados do MDIC, de janeiro a julho o Brasil exportou US$ 968 milhões para a CPLP e importou US$ 548,5 milhões[1], deixando a economia brasileira claramente favorecida em termos de saldo comercial na relação com os parceiros da lusofonia.

A queda do intercâmbio comercial demonstra que a CPLP precisa avançar em estratégias eficientes para a promoção do comércio na comunidade lusófona.

————————————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://www.brasil.rfi.fr/sites/images.rfi.fr/files/aef_image/CPLP2.gif

————————————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www.mdic.gov.br//sitio/interna/index.php?area=5

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil e Bolívia intensificarão cooperação em matéria energética

Em julho deste ano (2015), Brasil e Bolívia criaram[1] um Comitê Técnico Binacional para estudar oportunidades de aproveitamento energético nos dois países. A criação do Comitê permitirá examinar possibilidades conjuntas nas áreas de interconexão elétrica, infraestrutura energética e aproveitamento de recursos hídricos, e contará com um representante titular e um suplente de cada país, brasileiros e bolivianos.

Entre as ações de cooperação[1] previstas pelo Termo está a promoção de intercâmbio tecnológico e de experiências no setor elétrico sobre o desenvolvimento sustentável de projetos hidroelétricos, sobre o manejo integral e sustentável de bacias de grande porte e interconexões internacionais.

Nesta linha de ação, na semana passada, entre os dias 28 e 31 de julho[2], o ViceMinistro de Recursos Hídricos da Bolívia,Carlos Rene Ortuño, visitou diversos projetos do Cultivando Água Boa (CAB), programa socioambiental da Itaipu, que vem apresentando bons resultados nas Microbacias Hidrográficas do Oeste do Paraná, e está sendo reconhecido pela ONU como a melhor prática de gestão da água no mundo, em 2015.

Também está em pauta a discussão sobre a construção de uma hidrelétrica binacional (BrasilBolívia) no rio Madeira, nos moldes da Itaipu Binacional*. Essa estratégia faz parte de um plano lançado pelo presidente Evo Morales, chamado de Agenda Patriótica[3], com diversas metas para melhorar a infraestrutura do país até 2025, ano em que a Bolívia completa 200 anos de Independência. Entre as metas, estão a universalização do acesso à água (hoje o recurso está acessível para 80% da população) e o incremento da geração de energia a partir de fontes renováveis.

————————————————————————————————

* Usina hidrelétrica binacional, brasileira e paraguaia, situada no Rio Paraná, na fronteira entre esses dois países.

————————————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://imguol.com/c/noticias/2013/08/26/mapa-bolivia-e-brasil-1377530807586_300x300.gif

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

https://www.ambienteenergia.com.br/index.php/2015/07/mme-cria-comite-para-estudar-aproveitamento-energetico-entre-brasil-e-bolivia/26684

[2] Ver:

http://www.setorenergetico.com.br/sustentabilidade/itaipubolivia-devera-a-adotar-o-cultivando-agua-boa-vizinho/7257/

[3] Ver:

http://www.planificacion.gob.bo/sites/folders/planificacion/directrices2025/Directrices-age-patriotica-final.pdf

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Paraguai acusa Brasil de invasão de território em operação militar

No dia 31 de julho, o Ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, convidou o Embaixador Brasileiro em Assunção, José Felício, para falar a respeito de uma invasão territorial militar brasileira em território paraguaio[1].

De acordo com o Governo paraguaio, o incidente teria começado com um tiroteio entre as Forças Armadas Brasileiras, supostos contrabandistas que tentavam atravessar a fronteira e militares paraguaios em um rio na cidade de Salto del Guairá, que faz fronteira com o Brasil. Segundo informado, os militares brasileiros teriam agido em território paraguaio[2].

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil confirmou[2], no sábado, dia 1º de agosto, o recebimento de nota diplomática enviada pelo Governo paraguaio sobre o ocorrido. O Itamaraty informou[2] que responderá ao Documento hoje, dia 3 de agosto, e deverá propor trabalho coordenado entre os dois países na região. O incidente é derivado da Operação Ágata[3], lançada pelo Governo Federal do Brasil, que visa combater o tráfico ilegal de drogas e o contrabando de produtos.

————————————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://www.correiodoestado.com.br/brasilmundo/brasil-nega-invasao-ao-paraguai-na-fronteira-com-ms-durante/253982/

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://noticias.r7.com/internacional/apos-troca-de-tiros-na-fronteira-paraguai-acusa-brasil-de-violacao-territorial-01082015

[2] Ver:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2015-08/governo-paraguaio-acusa-brasil-de-invasao-de-territorio-em-operacao

[3] Ver:

http://www.eb.mil.br/web/agata/a-operacao