ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Etiópia dá início à exploração e produção de hidrocarbonetos

Na semana passada, o Primeiro-Ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, anunciou novos investimentos para impulsionar a exploração e produção de hidrocarbonetos no país. Argumenta-se que receitas advindas do petróleo e do gás natural impulsionarão a economia nacional a novos níveis de produtividade e de vendas externas, dando continuidade ao processo de crescimento econômico.

Como principal parceira do Estado neste projeto está a corporação chinesa Poly-Gcl Petroleum Group, a qual tem conduzido uma série de testes e coletas de amostras para estimar a capacidade produtiva das reservas selecionadas. A presença desta empresa reforça o papel crucial que a China tem desempenhado nos principais projetos desenvolvidos pelo Governo etíope, desde os parques industriais ao redor do país até as grandes obras de infraestrutura.

Ampla maioria das reservas situa-se na região de Cinile, na porção nordeste e dentro da província de Somali. Essas também se encontram próxima de Djibuti, ponto pelo qual será distribuída a produção de hidrocarbonetos, tendo em vista que a Etiópia não possui acesso ao mar. Em realidade, o governo de Ahmed tem como um dos seus principais projetos a construção de um oleoduto desde Cinile até a nação vizinha, a fim de escoar a produção para os mercados internacionais. Estima-se que a construção deste empreendimento seja iniciada agora, em setembro de 2018, e que seja concluída em 2021.

Segundo dados do próprio Governo, acredita-se que, em um primeiro momento, tanto a exploração de petróleo como a de gás natural gere receitas que se aproximem a 1,2 bilhão de dólares. No entanto, com uma capacidade de aproximadamente 7 bilhões de metros cúbicos de gás, a previsão é que a geração total de receitas seja futuramente de 8 bilhões de dólares.

O que importa é a forma como o país utilizará os recursos [gerados com a exploração de petróleo e gás] (…). Às vezes, as receitas podem ser fonte de conflito, tal como se presenciou em outros países. Na verdade, o que vem primeiro é a garantia da distribuição justa e igualitária da riqueza, bem como a promoção de um senso de unidade nacional. Dessa maneira, o país poderá desenvolver o seu potencial e fazer um bom uso destes recursos para sustentar a continuidade do desenvolvimento econômico da nação”, declarou Ahmed.

Atualmente, a economia etíope está atrelada, essencialmente, ao setor agropecuário. Em menor grau, despontam as exportações de produtos manufaturados, os quais dependem de uma mão de obra extremamente barata, bem como de reduzida tecnologia para a produção. Com o petróleo e gás, o Governo espera estimular a emergência de uma indústria local que se integre à cadeia produtiva a partir da oferta de máquinas e equipamentos úteis às companhias do setor petrolífero. Neste sentido, se faz clara a tentativa do Estado de “modernizar” a sua economia a partir de uma crescente participação dos hidrocarbonetos na pauta de exportações.

No entanto, entendido a partir de outra perspectiva, este processo revela como o desenvolvimento econômico é um fenômeno social atrelado à crescente utilização de combustíveis fósseis. Dificilmente se consolidaram, ao longo da história, processos de geração de riqueza a partir de atividades com baixa emissão de carbono. Não à toa, a industrialização no mundo ocidental está intimamente associada como causa principal do aquecimento global contemporâneo. Neste sentido, as projeções sobre uma futura exploração dessas commodities na Etiópia reiteram esse padrão.

Para além de sua dimensão ambiental, a tentativa de diversificar a economia através da emergência de um setor petrolífero pode ser contraditória, bem como não atingir os resultados esperados pelos formuladores desta política. Ao contrário, há um iminente risco de consolidação de uma dependência econômica desta commodity: dado que o aumento futuro dos gastos públicos será sustentado pelo acréscimo na geração de receitas que a exploração de hidrocarbonetos permitirá, o Governo poderá se deparar com uma intransponível crise fiscal em um contexto possível de choque externo nos preços.

Esta é a conjuntura atual de Angola, por exemplo, a qual enfrenta uma severa recessão econômica devido à queda nos preços internacionais do petróleo. Dessa maneira, a efetiva diversificação da economia a partir das receitas esperadas será um movimento crucial para reduzir futuras recessões geradas pela dependência nessas commodities.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Petróleo e gás são tidos pelo Governo etíope como essenciais para a continuidade do crescimento econômico” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Jack-up-rig-in-the-caspian-sea_1.JPG

Imagem 1PolyGcl Petroleum Group será a principal corporação envolvida na futura produção de petróleo, reforçando a centralidade chinesa na economia etíope” (Fonte):

http://en.polygcl-petro.com/site/about

COMUNICADO

COMUNICADO CEIRI NEWSPAPER DE CORPUS CHRISTI

Caros Leitores do CEIRI NEWSPAPER,

Informamos que devido ao feriado de Corpus Christi, na quinta-feira, dia 31 de maio, e sexta-feira, dia 1o de junho, não serão publicadas Notas Analíticas nem Análise de Conjuntura. Voltaremos às atividades no dia 4 de junho, segunda-feira, com as respectivas Notas Analíticas e Análise de Conjuntura agendadas para esta data.

Como é nosso padrão, ao longo dos dois dias manteremos as consultas e, caso ocorram fatos que exijam acompanhamento mais intenso, assim o faremos, postando Notas Analíticas Extras sobre os acontecimentos, e/ou Análises de Conjuntura Extras.   

Agradecemos à gentileza de todos os que têm contribuído direta e indiretamente com a reflexão e o estudo dos Colaboradores do Jornal, bem como com a avaliação dos acontecimentos e a disseminação da informação, de maneira a cooperar com o esclarecimento da sociedade e o seu desenvolvimento.

Desejamos a todos um excelente feriado.

Fraternalmente,

Conselho Editorial do CEIRI NEWSPAPER

NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Administração Trump atribui à Rússia a culpa pelos ataques cibernéticos contra infraestrutura básica

Pela primeira vez o governo Donald Trump acusou oficialmente à Rússia de realizar ataques cibernéticos contra a infraestrutura crítica, na forma de usinas nucleares, estações de energia, água e eletricidade, tanto nos Estados Unidos como na Europa. Em um relatório do Departamento de Segurança Nacional dos EUA (U.S. Department of Homeland Security – DHS*), publicado no dia 15 de março, o Governo norte-americano alertou para a ocorrência e atribuiu os atos de sabotagem cibernética ao governo russo e/ou a grupos ligados ao Kremlin.

Um dos documentos no relatório do Departamento de Segurança Nacional Norte-Americano

 

Em outras oportunidades já tinha levantado suspeitas de envolvimento da Rússia em ataques realizados à infraestrutura básica de alguns países. A diferença deste caso é que, pelo relatório do Departamento de Segurança Nacional, os norte-americanos alegam ter confirmado a extensão na qual supostos hackers russos conseguiram acesso ao sistema. Conforme apontam, conseguiram isso por meio de uma série de capturas de telas e outros relatórios obtidos com a ajuda do setor privado.

Eric Chien, diretor de tecnologia da Symantec, que havia alertado inicialmente a respeito do envolvimento russo, comenta: “Pelo que podemos ver, eles estiveram lá. Eles têm a habilidade de desligar a energia. Tudo que falta é a motivação política”.

Brasão do U.S. Department of Homeland Security

O relatório não identifica como e nem quais foram as infraestruturas detectadas, mas afirma que, em 2015, hackers russos comprometeram operadores das redes de energia dos EUA e da Europa, e, em 2017, obtiveram acesso ao controle crítico de sistemas de plantas elétricas, de água e até mesmo de plantas nucleares. Como também comenta Eric Chien, “Agora temos evidências de que eles estão nas máquinas, conectados à infraestrutura de controle industrial, que permitem que eles efetivamente desliguem a energia ou provoquem sabotagem”.

O Documento do Homeland Security vem acompanhado de propostas de sanções ao Governo russo pela alegação que fazem de ter havido envolvimento nas eleições norte-americanas de 2016 e pelos ataques cibernéticos direcionados à infraestrutura crítica do país. No entanto, não é a primeira vez que sistemas e infraestrutura básica dos Estados Unidos são focos de ataques cibernéticos. Um dos mais recentes foi relatado em novembro do ano passado (2017), no qual o sistema bancário estadunidense foi alvo de atos de agressão no domínio cibernético.

Conforme a sociedade atual passa a depender cada vez mais do domínio cibernético, essa dependência pode ser explorada por uma diversa gama de atores, com ou sem ligação à governos, mas dotados de capacidade para explorar a vulnerabilidade das sociedades, que se origina da crescente dependência de sistemas de energia, de armas, de comunicação, sistemas eleitorais, sistemas emergenciais e críticos, os quais estão interconectados no ciberespaço.

———————————————————————————————–                    

Nota:

* O U.S. Department of Homeland Security (DHS), ou Departamento de Segurança Nacional dos EUA, é um órgão do governo norte-americano destinado à proteção e securitização interna do país. Criado após os atentados de 11 de setembro, está envolvido com anti-terrorismo, segurança cibernética, segurança de fronteiras e prevenção de desastres.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Putin e Trump” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File%3AVladimir_Putin_and_Donald_Trump_at_the_2017_G-20_Hamburg_Summit_(9).jpg

Imagem 2Um dos documentos no relatório do Departamento de Segurança Nacional NorteAmericano” (Fonte):

https://www.us-cert.gov/sites/default/files/publications/MIFR-10135300_TLP_WHITE.pdf

Imagem 3Brasão do U.S. Department of Homeland Security” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=988960

COMUNICADO

COMUNICADO CEIRI NEWSPAPER DE “SEMAMA SANTA”

Caros Leitores do CEIRI NEWSPAPER (CNP)

Informamos que devido ao feriado da Semana Santa, no dia 30 de maio, a Sexta-Feira da Paixão de Cristo, haverá recesso, não sendo publicadas Notas Analíticas nem Análise de Conjuntura. Voltaremos às atividades no dia 2, segunda-feira, com as respectivas Notas Analíticas e Análise de Conjuntura, se houver, agendadas para esta data, e com as demais postagens para o resto da semana.

Como é nosso padrão, ao longo do dia 30 de maio manteremos as consultas e caso ocorram fatos que exijam acompanhamento mais intenso, assim o faremos, postando Notas Analíticas Extras sobre os acontecimentos, e/ou Análises de Conjuntura Extras.   

Agradecemos à gentileza de todos os que têm contribuído direta e indiretamente com a reflexão e o estudo dos Colaboradores do Site, bem como com a avaliação dos acontecimentos e a disseminação da informação, de maneira a cooperar com o esclarecimento da sociedade e o seu desenvolvimento.

Antecipadamente, desejamos a todos uma excelente Páscoa.

Fraternalmente,

Conselho Editorial do CEIRI NEWSPAPER

COMUNICADO

COMUNICADO DE NATAL

Caros Leitores do CEIRI NEWSPAPER Informamos que, pelo fato de o Natal (25 de Dezembro) cair nesta próxima segunda-feira, haverá recesso neste dia, não sendo publicadas Notas Analíticas ou Análise de Conjuntura. Voltamos às atividades no dia 26, terça-feira, com a respectiva Análise agendada para esta data,…

Read more
ANÁLISES DE CONJUNTURA

COMUNICADO GERAL DE FÉRIAS

Caros Leitores do CEIRI NEWSPAPER

Em função das festividades natalinas e de ano novo, informamos que a partir do dia 26 de dezembro não serão publicadas Notas Analíticas, seguindo o padrão do jornal de publicarmos, no mínimo, 3 Notas por dia. Manteremos a prática adotada desde de 2009, pela qual, no momento das férias brasileiras, são postadas apenas Análises de Conjuntura, uma por dia, apresentando caráter explicativo, maior número de parágrafos ou laudas e maior densidade argumentativa.   

A resposta tem sido excelente, com milhares de acessos e vários e-mails debatendo os assuntos e realizando comentários, razão pela qual temos repetido o procedimento ao longo dos últimos oito anos.

Informamos ainda que o retorno das atividades de postagem de Notas Analíticas e Análises de Conjuntura será em 5 de março de 2018, terceira semana após o Carnaval.

Ao longo deste período de redução das atividades, de 26 de dezembro de 2017 até 5 de março de 2018, manteremos as consultas sobre os acontecimentos mundiais e, caso ocorram fatos que exijam acompanhamento extraordinário, assim o faremos, postando Notas Extras sobre os acontecimentos, além da Análise de Conjuntura diária.   

Agradecemos à gentileza de todos os que têm contribuído direta e indiretamente com a reflexão e o estudo dos Colaboradores do Site.

Desejamos um Natal maravilhoso e um Ano Novo repleto de sucesso, alegria, paz e amor.

Fraternalmente,

Conselho Editorial do CEIRI NEWSPAPER

CNPodcast

#3 - Gestor de SmartCities fala sobre como tornar municípios mais eficientes e melhores de se viver

***As falas dos participantes refletem exclusivamente as suas opiniões e não devem ser interpretadas como posicionamento do CEIRI NEWSPAPER***

Encerrando o ciclo de artigos sobre SmartCities publicados no CEIRI NEWSPAPER (acesse em: http://ceiri.news/?s=smartcities ), neste episódio Wesley S.T Guerra entrevista Felipe Abreu, Gestor de Smartcity, Arquiteto e Urbanista. Abreu fala ao CNP sobre os desafios e oportunidades na execução de projetos de cidades inteligentes que torna a nossa vida melhor e eficiente!

Para comentários e sugestões envie um email para [email protected]

>>>>>>OUÇA<<<<<<<<

[soundcloud url="https://api.soundcloud.com/tracks/368023202" params="color=#3fa95e&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&show_teaser=true" width="100%" height="166" iframe="true" /]

Você Também pode ouvir por:

Download | iTunes | Spotify | Deezer| Google| Feed