ANÁLISES DE CONJUNTURAÁSIA

Xi Jinping: “China crescerá sem sacrifícios”

A economia chinesa é um dos temas mais importantes no atual momento do comércio internacional, pois o desenvolvimento do país, bem como suas expectativas de crescimento econômico podem abalar os planejamentos de investidores internacionais e as operações financeiras nas diversas “Bolsas de Valores” de todo o mundo.

Recentemente, o atual Presidente da China, Xi Jinping, deu declarações que foram divulgadas em diversas mídias no país e no mundo informando que em sua gestão a economia será a prioridade.

De acordo com o novo mandatário, prevalecerá um comportamento similar ao que vem sendo adotado pelos líderes nacionais dos demais países do globo, que tendem a manter o foco no desenvolvimento interno, mas mirando a economia internacional para evitar problemas que possam afetar o desenvolvimento comercial e financeiro global. Por essa razão, os assuntos vinculados à Segurança e aos contenciosos diplomáticas permanecerão em segundo plano, tendo suas soluções agregadas às soluções propostas para a dimensão econômica.

ANÁLISES DE CONJUNTURAÁSIA

“Coreia do Norte” continua a desafiar a ONU

 Kim Jong-Un, líder norte-coreano (Kcna Via Kns/AFP)  Kim Jong-Un, líder norte-coreano (Kcna Via Kns/AFP) Para os observadores internacionais, não surpreendem mais as declarações ameaçadoras feitas pelas lideranças norte-coreanas e a realização de testes com armas nucleares, experiências com foguetes, o lançamento de satélites, além de outras ações condenadas internacionalmente que são realizadas sem aviso prévio.

Nos últimos anos, a ocorrência de atividades não aprovadas pelo “Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas” (CS da ONU) tornaram-se constantes e intensificaram-se ainda mais desde o ano de 2011, dando a entender que se trata de um desafio às potências internacionais.

No final do ano passado (2012), o lançamento do foguete norte-coreano resultou em nova condenação por parte do “CS da ONU” que nesta semana adotou uma Resolução ampla de sanções para punir as atitudes de Pyongyang. A medida, liderada pelos “Estados Unidos”, teve unanimidade em sua aprovação e a falta de objeções é um indício de que os países membros estão dispostos a enrijecer nos procedimentos contra Pyongyang e os aliados do Governo norte-coreano começam a  abandoná-lo, podendo inclusive adentrar no grupo daqueles que querem medidas definitivas para encerrar as constantes ameaças nucleares da “Coreia do Norte”.

Neste ano de 2013, nas principais potências do leste asiático e do mundo ocidental ocorreram as trocas de governantes, sendo necessário destacar a reeleição do presidente Barack Obama, nos EUA e as ascensões de Xi Jinping, na China, de Park Grun-hye, na “Coreia do Sul”, e de Shinzo Abe, no Japão, ressaltando-se ainda que estes líderes convergem para a ideia de promover as respectivas recuperações econômicas internas paralelamente e agregada à recuperação da economia global. Ou seja, estão dispostos e evitar a tomada de decisões unilaterais.

ANÁLISES DE CONJUNTURAÁSIA

Xi Jinping: considerações sobre o novo líder da China

Xi JinpingXi JinpingO atual presidente da China, Xi Xinping, nasceu em Beijing, em junho de 1953. É filho de Xi Zhongxun, um dos fundadores da guerrilha comunista no norte do país e chefe na época do departamento de propaganda do “Partido Comunista”. O atual Presidente chinês tem em sua família grandes nomes da história do país e, assim como seu pai, ingressou na política traçando uma carreira de sucesso.

O Mandatário, de etnia “Jian”, tem dois doutorados (um em “Engenheira Química” e outro em “Ciência Política”). Segundo o artigo da Bloomberg (2012), intitulado “Xi Jinping Millionaire Relations Reveal Fortunes of Elite”*, ele é atualmente uma das personalidades do “Partido Comunista” mais ricas em toda a China. Neste artigo é informado que ele usufrui dos luxos que não teve durante sua juventude.  A imprensa internacional divulgou diversos artigos descrevendo sua personalidade e carreira, destacando sempre que ele é considerado uma pessoa pragmática, séria, cautelosa, trabalhadora e discreta. Isso, talvez, por reflexo dos desafios que superou ao longo de sua vida.

ANÁLISES DE CONJUNTURAÁSIA

O planejamento do setor esportivo chinês

Atualmente, a China é uma das referências internacionais em economia, segurança, diplomacia e também nas modalidades esportivas. Porém, os esportes na China não eram tradicionalmente fortes em sua prática, bem como no marketing que envolve esta atividade. O país, que hoje está sempre entre os primeiros colocados no quadro de medalhas dos “Jogos Olímpicos”, era inexpressivo no passado recente e sua evolução até os dias atuais se deu pelo investimento e planejamento de longo prazo.

A “República Popular da China” (China Continental), fundada em 1949, teve sua primeira participação nas modalidades esportivas internacionais em 1952, durante os “Jogos Olímpicos de Helsinque” (Finlândia). A participação foi turbulenta, pois o país saia de uma guerra civil e teve de dividir as atenções com a “República da China” (Taiwan).

NOTAS ANALÍTICAS

Park Geun-hye: A primeira mulher presidente na “Coreia do Sul”

Park Geun-hyePark Geun-hyeCom mais de 50% dos votos adquiridos após 83% de urnas apuradas, Park Geun-hye, a filha do antigo ditador coreano Park Chung-hee, garante a “Presidência na Coreia do Sul”, tornando-se a primeira mulher no poder desde a fundação da “República da Coreia”.

A Presidente eleita recebeu nesta quarta-feira (dia 19), as congratulações do atual mandatário, companheiro de partido e aliado, Lee Myung-bak, após o anúncio dos resultados das apurações das urnas eleitorais. Observadores apontam que provavelmente ela dará continuidade a algumas políticas do governo atual, como é o caso da política externa voltada para assuntos sobre as relações com a “Coreia do Norte”.