NOTAS ANALÍTICAS

A China nas refeições brasileiras

Atualmente, a China é uma das palavras mais pesquisadas entre os brasileiros. Isto ocorre pelo fato de grandes marcas chinesas como a “Jac Motors”, a Huawei e a Lenovo, dentre outras, estarem mais presentes no mercado nacional.

Embora a China tenha este destaque devido aos produtos tecnológicos, poucos brasileiros percebem um produto chinês que está presente também em suas refeições. Recentemente, a “Agência Estado” (AE), publicou uma matéria sobre a importação do “feijão preto”, apresentando dados que comprovam ter os chineses destronado a Argentina como maior exportadora desta commoditie para o Brasil. Atualmente, o gigante asiático é um dos principais exportadores do produto no mundo, tendo como principais destinos o Brasil e o México.

NOTAS ANALÍTICAS

China: investimentos em Previdência e “Segurança do Trabalho”

A política econômica chinesa atual está focada na exploração do consumo interno. Para isso, já se iniciou um processo de reformulação dos salários e outros meios de melhorar a distribuição de renda. Embora já trabalhe com planos individuais para atingir seus objetivos, o povo chinês ainda tem o costume de poupar muito, visando à segurança familiar, à segurança da educação e da saúde futuras.

NOTAS ANALÍTICAS

As “Quatro Chinas” em um mercado não tão explorado

Com os eventos esportivos em alta nos mercados mundiais, graças as Olimpíadas deste ano (2012), a “Copa do Mundo de Futebol de 2014” e já pensando na “Copa do Mundo de 2018”, os chineses estão trabalhando no desenvolvimento do seu Futebol. Atualmente, a “China Continental” investe em sua “Liga Nacional”, que é diferente das outras três Ligas existentes nessas “Quatro Chinas”, as quais são suas concorrentes neste esporte.

NOTAS ANALÍTICAS

Coreia do Norte: “Um país Nuclear”

Recentemente, a “Coreia do Norte” se auto-proclamou um “Estado com Armas Nucleares”, mas, desta vez, não o fez apenas com um comunicado governamental para a comunidade internacional, a declaração foi estampada em sua Constituição que passou por processo de revisão neste mês de maio. Segundo informações disponibilizadas para a imprensa da região, antes de sua morte, o então líder máximo do país, Kim Jong-Il, estava trabalhando na revisão da Constituição norte-coreana.