NOTAS ANALÍTICAS

“JAC Motors” se preparando para brigar no mercado automobilístico brasileiro

A “JAC Motors” está melhorando sua mobilidade para assumir definitivamente uma posição em destaque nas vendas automobilísticas no mercado brasileiro. A fábrica da montadora chinesa já está com sua fábrica sendo construída no estado da Bahia, fechando acordos com cerca de 400 fornecedores e o “Porto de Salvador” será fundamental para a estratégia a ser adotada.

NOTAS ANALÍTICAS

“Tecnologia Automobilística” para o meio ambiente

As empresas automobilísticas japonesas Honda e Toyota trabalham para disponibilizar veículos menos agressivos aos “meio ambiente”. Enquanto a Honda apresenta um novo “veículo elétrico”, a Toyota trabalha com a economia de combustível.

A Honda lançou um “veículo elétrico pessoal”, chamado de UNI-CUB, uma espécie de “cadeira” que pode transportar o usuário em vias onde os automóveis convencionais não circulariam. Este conceito pode ser uma alternativa para os japoneses que tem um curto trajeto de deslocamento entre suas residências e o trabalho.

NOTAS ANALÍTICAS

Cooperação petrolífera no Canadá

As empresas petrolíferas Shell, PetroChina, Mitusbishi e “Korea Gas Corp.” aceitaram trabalhar de forma conjunta em um Projeto de “Gás Natural Liquefeito” (GNL) no Canadá. Segundo dados divulgados pela imprensa, cerca de 24 milhões de toneladas de gás poderão ser produzidas por ano e cada empresa terá seu percentual, de acordo com seus investimentos individuais efetuados.

NOTAS ANALÍTICAS

“Coreia do Norte” é pauta de encontro entre China, Japão e Coréia do Sul

Neste final de semana, o Premiê chinês, Wen Jiabao, se encontrou com o Presidente sul-coreano, Myung-bak, e com o “Primeiro-Ministro” japonês, Noda Roshihik para discutir a cooperação entre os Estados e tratar de assuntos relacionados a “Coreia do Norte”.

No início do encontro, ocorrido no domingo (dia 13 de maio), os líderes asiáticos trataram de suas economias. Este tema foi debatido na discussão sobre os projetos comuns, que estão pautados na criação de uma “Zona de Livre Comércio” entre as partes. Logo após as questões econômicas, Pyongyang (“Coréia do Norte”) se tornou o centro das atenções.