fbpx
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Boko-Haram volta a atacar na Nigéria

Apesar da pressão interna e externa, o Governo nigeriano ainda não conseguiu conter ações dos rebeldes do grupo islâmico extremista Boko-Haram, que voltou a raptar cerca de 30 mulheres na mesma região em que foram sequestradas as 200 meninas órfãs em abril deste ano (2014).

Alguns moradores do Chibok, cidade do Nordeste da África onde aconteceram os ataques, relatam ter visto nômades fugindo e que os rebeldes estariam exigindo gados em troca de mulheres.

Embora a região esteja em Estado de Emergência, é notável que o Exército não consegue combater as ações dos militantes e, apesar de terem aceitado a ajuda da inteligência americana para encontrar as meninas raptadas, os ataques só aumentaram.     

——————–

Imagem (Fonte):

http://noticias.gospelmais.com.br/files/2014/05/boko-haram.jpg

——————–

Fontes consultadas:

Ver:

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,supostos-militantes-do-boko-haram-sequestram-cerca-de-30-mulheres-na-nigeria,1509380

Ver:

http://oglobo.globo.com/mundo/extremistas-do-boko-haram-sequestram-mais-30-mulheres-na-nigeria-12789640

Ver:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/06/140610_novo_rapto_nigeria_ms.shtml

 

About author

Advogada, formada pela Universidade Candido Mendes . Atualmente realiza Pós-Graduação Latto Sensu em Política Internacional. Atuou em escritórios de advocacia no ramo cível e empresa na área de energia.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!