ANÁLISES DE CONJUNTURA

O SIGNIFICADO DO PEDIDO DE RETIRADA DO INGRESSO DA VENEZUELA NO MERCOSUL, NA PAUTA DE VOTAÇÃO DO SENADO PARAGUAIO

O pedido feito por Fernando Lugo, Presidente do Paraguai, para que se retirasse da pauta do Senado de seu país a votação da entrada da Venezuela como membro permanente no MERCOSUL, deve ser visto mais como mudança tática, ou pequeno recuo estratégico, ou apenas uma alteração de procedimentos, para alcançar os mesmos objetivos estratégicos da entrada da Venezuela no Bloco.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

PROPOSTA DO BRIC DE ALTERNATIVA AO DÓLAR PODE COMEÇAR ADOTANDO MODELO USADO POR BRASIL E ARGENTINA

O BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) já havia comunicado a idéia de substituir o dólar como moeda corrente nas transações no comércio internacional. Para desenvolver a proposta será feita uma reunião entre os presidentes dos Bancos Centrais e Ministros da Economia dos membros do Grupo, na qual se deseja fazer estudos corretamente articulados para apresentar uma proposta concreta, em setembro, na reunião do G-20 (Grupo dos países de maior economia mundial, fazendo parte tanto os países desenvolvidos, quanto os países desenvolvidos, quantos os países em desenvolvimento). A reunião será realizada em Pittisbusg, nos EUA.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

ARGENTINA E VENEZUELA ASSINAM ACORDOS DE COMÉRCIO QUE PODEM MODIFICAR OS POSICIONAMENTOS NA AMÉRICA DO SUL (PARTE 2 – A QUESTÃO ARGENTINA)

As relações entre argentinos e venezuelanos tem oscilado. Se o presidente Chávez tem ajudado diretamente os Kirchners, isso não significa que toda a liderança política do país concorda com a relação. No Parlamento argentino o ingresso da Venezuela no MERCOSUL já foi aprovado, mas isso não ocorreu por razão ideológica. Ela é puramente estratégica e de sobrevivência política do grupo que está no poder, pois tem diante de si um cenário muito difícil. Os argentinos estão sem crédito internacional desde a moratória decretada em 2001. As relações com os países do MERCOSUL estão problemáticas, tendo recebido críticas do Uruguai e do Paraguai e ameaças de contramedidas por parte do Brasil que se vê prejudicado com a adoção, por parte dos argentinos, das licenças não-automáticas para os produtos brasileiros, significando uma espécie de barreira não tributária à exportação do Brasil para o seu país.  

ANÁLISES DE CONJUNTURA

ARGENTINA E VENEZUELA ASSINAM ACORDOS DE COMÉRCIO QUE PODEM MODIFICAR OS POSICIONAMENTOS NA AMÉRICA DO SUL (PARTE 1 – A QUESTÃO DA COLÔMBIA)

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e a presidente da Argentina, Cristina Fernandez Kirchner, assinaram, hoje, dia 12 de agosto, acordos de comércio com caráter prioritariamente político e estratégico, além do vulto econômico que representa.

De acordo com o anunciado, os valores envolvidos são da ordem de US$ 1,1 bilhão, somando-se a um comércio já existente que oscila na casa do bilhão e duzentos milhões de dólares.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

A QUESTÃO DO ACORDO MILITAR ENTRE COLÔMBIA E EUA (PARTE 2).

Após a reunião com Morales, presidente da Bolívia, Álvaro Uribe, presidente da Colômbia, viajou para o Chile e irá em seguida à Argentina e está realizando essas reuniões hoje. Amanhã conversará com o presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva, e logo depois irá ao Uruguai, para conversar com Tabaré Vasquez. A tendência é que receba apoio de Uruguai e Chile, que estão se aproximando dos EUA; que seja recusado pela Argentina e receba declarações de condenação do Brasil, mas se espera que, no futuro, o Brasil tenda à neutralidade, independente do que vá anunciar.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

A QUESTÃO DO ACORDO MILITAR ENTRE COLÔMBIA E EUA (PARTE 1)

O acordo militar que está sendo firmado entre Estados Unidos e Colômbia traz elementos que poderão por à mesa as cartas da configuração de forças na América Latina, em especial no subcontinente sul-americano.

Inicialmente, o anúncio feito pelo presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, trouxe a solicitação do Brasil e do Chile para que o colombiano trouxesse esclarecimentos a todos sobre os teores do tratado que está sendo firmado, como forma de tranqüilizar os atores da região.