ANÁLISES DE CONJUNTURA

AS AUSÊNCIAS DA ALTA REPRESENTANTE DA POLÍTICA EXTERNA EUROPÉIA GERAM DESCONTENTAMENTO NOS LÍDERES EUROPEUS E FALTA DE CREDIBILIDADE INTERNACIONAL

Três meses depois de Ashton ter assumido o novo cargo, os elogios são praticamente inexistentes e as críticas por todos os lados.  As prioridades da “Alta Representante da Política Externa” européia, Catherine Ashton, continuam gerando um descontentamento crescente entre os governos dos vinte e sete países do Bloco.

Ontem, dia 4 de março, Ashton anunciou que “não vê necessidade” de ir à Cúpula entre a União Européia e o Marrocos, que será realizada neste final de semana, gerando críticas em diversos setores da Comunidade Européia, principalmente porque a Alta Representante começa a ser conhecida por suas ausências nos encontros que são importantes para o Bloco.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

VISITA DE HILLARY AO BRASIL PRODUZ POUCOS RESULTADOS E MOSTRA AS DIVERGÊNCIAS ENTRE OS DOIS GOVERNOS

A visita da Secretária de Estado dos EUA feita ao Brasil, ontem, dia 3 de março, se encerrou com o encontro em São Paulo ocorrido na Universidade Zumbi dos Palmares. A avaliação geral feita por parte significativa dos analistas políticos é de que o encontro e reuniões não produziram muitos resultados significativos.

De concreto, apenas foram reforçadas as divergências entre os dois governos, em especial sobre a questão iraniana, sobre a forma de se posicionar perante a Venezuela, sobre a questão hondurenha, apesar de ter se acenado para negociações no problema do contencioso comercial que há entre os dois países.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

HAITI: A DIPLOMACIA BRASILEIRA, ENTRE O FRACASSO E A ORTODOXIA IDEOLÓGICA

A senhora Myrlande é médica e mãe de três filhos. Nunca pensava em deixar o seu país, o Haiti. Porém, depois da última visita do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, na quinta-feira, 25 de fevereiro, mudou de idéia.

Numa declaração, a profissional haitiana disse: “se a comunidade internacional adotar a posição de Lula para canalizar as ajudas através do governo corrupto de René Preval, deixarei este país definitivamente com minha família”. (Fonte: http://www.reseaucitadelle.blogspot.com/).

ANÁLISES DE CONJUNTURA

POLÍTICA EXTERNA DOS EUA PARA A AMÉRICA LATINA SERÁ MAIS INTENSA EM 2010. AS VISITAS DE HILLARY CLINTON, EM MARÇO, INICIAM UM CONJUNTO DE AÇÕES MAIS FIRMES E MAIS DEFINIDAS

A Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, começará um conjunto de visitas pela América Latina a serem realizadas entre os dias 28 de fevereiro e 5 de março. No Brasil, ela estará no dia 3 de março e fará reuniões com o presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva.

Pelo anunciado, a Secretária norte-americana deseja resolver problemas pendentes com o Brasil, principalmente os gerados pelos posicionamentos antagônicos em questões de política externa, ocorridos ao longo 2009.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

BOLIVARIANISMO COMEÇA A SER QUESTIONADO. AGORA, TAMBÉM NO EQUADOR

A onda esquerdizante que tomou conta da América Latina nos últimos dez anos está sofrendo abalos em quase todos os países que adoraram posturas, regimes, ou governos à esquerda na região, em especial naqueles que se posicionaram como bolivarianos.

Somente a Bolívia tem apresentado resultado positivo com a crescente liderança de seu presidente, Evo Morales, recentemente reeleito, e com o controle do Legislativo por parte do partido do presidente Morales, o Mas (Movimento al Socialismo / Movimento para o Socialismo).

ANÁLISES DE CONJUNTURA

COOPERAÇÃO NO HAITI: PERDAS HUMANAS, TREMORES DE TERRA E TERREMOTOS POLÍTICOS

A atenção recente que a mídia e, consequentemente, a opinião pública e a comunidade internacional têm dedicado ao Haiti está relacionado ao abalo sísmico ocorrido neste início de 2010.

O triste paradoxo é que a situação no país já antes mesmo era calamitosa, com milhares de pessoas morrendo por causas absolutamente evitáveis, cuja dramática situação só se degradou substancialmente com o recente episódio, em condições que já exigiam atenção contínua e sustentada.