ANÁLISES DE CONJUNTURA

HONDURAS PODE SE TORNAR A REEDIÇÃO DA ESPANHA DE 1936 E O ALERTA DE QUE A HISTÓRIA PODERÁ SE REPETIR

É possível que estejamos presenciando um fato marcante na história do século XXI. Guardadas as devidas proporções, Honduras pode se tornar a reedição da Espanha de 1936 do século XX e o mundo poderá ter de responder com arrependimentos por isso. 

As atuais informações sobre o caso hondurenho têm demonstrado dois problemas que afetam as sociedades contemporâneas e imaginava-se que, graças ao avanço tecnológico, que permite o “livre acesso” à informação, eles já estavam superados: a mídia tem sido cada vez mais parcial, posicionando-se ideologicamente diante dos fatos que noticia, e de forma mais intensa tem sido mostrado que vivemos o esplendor da sociedade da cultura  massa.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

QUESTÕES SOBRE A VISITA DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES ISRAELENSE, AVIGDOR LIEBERMAN AO BRASIL

Está no Brasil para uma visita oficial de dois dias (21 e 22 de julho) o ministro das Relações Exteriores de Israel Avigdor Lieberman. Algumas questões surgem à mente dos analistas de política internacional sobre o retorno de uma visita oficial de um representante do governo israelense após 22 anos.

Segundo declarações da embaixadora Dorit Shavit, diretora-geral do Departamento para a América do Sul do Ministério das Relações Exteriores de Israel, o principal interesse na visita é frear a entrada do Irã na América Latina e, para tanto, será seguido um roteiro em que estão previstas visitas à Argentina, Peru e Colômbia.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

HONDURAS E A OEA: QUESTÕES QUE PRECISAM SER ENTENDIDAS

A observação do caso de Honduras deve passar pelo entendimento de várias questões.  Inicialmente, é necessário trazer à luz um dado que tem sido ignorado: as eleições de 2005, na qual foi eleito Manuel Zelaya (presidente deposto), foram muito conturbadas e duvidosas.

Resgatando os fatos, devemos lembrar que Zelaya, foi declarado presidente eleito do país 27 dias depois de eleições em que seus partidários também não obtiveram maioria simples no Congresso Nacional.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

EUA ADOTAM A POSTURA DE MEDIADORES DA CRISE HONDURENHA

Após as primeiras manifestações internacionais condenando a ação política que afastou do governo do presidente hondurenho, Manuel Zelaya, os EUA assumiram o papel de reguladores do sistema internacional, principalmente na região que lhe atinge diretamente, a América Central. Os norte-americanos articularam uma reunião tripartite na Costa Rica, mediada pelo presidente costarriquenho, Oscar Arias, ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Nesta reunião estiveram presentes o presidente deposto (Zelaya) e o presidente de fato (Micheletti) para negociarem os passos que devem ser dados na solução do problema.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

O POSICIONAMENTO DO PRESIDENTE LULA COM RELAÇÃO AO IRÃ

Apesar das manifestações de apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao presidente iraniano Ahmadinejad, o assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia, diz que o governo brasileiro assiste sem tomar partido os acontecimentos políticos no Irã.

As declarações do Presidente, comparando os protestos a insatisfação de torcidas de futebol foram “comentários genéricos, laterais” e não uma posição de governo, com juízo de valor, argumentou Garcia. “Dizer que estamos apoiando Ahmadinejad é bobagem. Não apoiamos nem deixamos de apoiar”, afirmou o assessor.