ANÁLISES DE CONJUNTURA

CAMPANHA ELEITORAL EM HONDURAS INICIA COM CONFIANÇA DE QUE RESULTADO NÃO SERÁ CONTESTADO

A campanha eleitoral em Honduras iniciou na segunda-feira, dia 31 de agosto, com ampla movimentação, apesar das declarações feitas por líderes da América Latina, chefes de organizações internacionais e dos anúncios na mídia internacional.

Na pesquisa apresentada sobre a tendência eleitoral, o domínio tradicional dos dois principais partidos, o Liberal (PL) e o Partido Nacional (PN), esta sendo mantido, pois o candidato do PL, Elvin Santos, tem 37% do eleitorado e Porfírio Lobo, do PN, 42%. O restante distribui-se entre outros partidos menores e candidatos independentes.  A somatória dos dois aproxima-se do índice disponibilizado por estudos sobre o que chamam de bipartidarismo hondurenho, uma vez que ambas as agremiações partidárias sempre controlam, aproximadamente, 95% do eleitorado. 

ANÁLISES DE CONJUNTURA

BRASIL CORRE EM BUSCA DA INFLUÊNCIA PERDIDA NA AMÉRICA LATINA

Em reunião realizada no dia 20 de agosto, o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, e o Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, assinaram ao todo oito acordos de cooperação para o desenvolvimento de uma série de projetos conjuntos, que implicará na realização de investimentos em diversos ramos industriais. A visita do ministro brasileiro à Venezuela, contou com uma delegação de empresários para prospectar áreas de possíveis investimentos.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

ADIAMENTO PARA OUTUBRO DO ANÚNCIO DO VITORIOSO NO PROJETO FX-2 E AS CRÍTICAS AO RAFALE SÃO INDÍCIOS DA VITÓRIA DO GRIPEN, DA SUECA SAAB

A declaração do comandante da Força Aérea Brasileira, Juniti Saito, sobre o adiamento para outubro do anúncio da proposta vitoriosa no projeto Fx-2 (Projeto que pretende reequipar e renovar a Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira) foi acompanhada de afirmações acerca do não enquadramento técnico do Rafale, caça francês, nas especificações necessárias para vencer a concorrência.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

CHÁVEZ CONTINUA DIVERSIFICANDO PARCERIAS COMERCIAIS PARA MANTER FOCO DE SUA ESTRATÉGIA

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, continua diversificando a busca de parcerias comerciais para Venezuela, com o intuito manter sua política externa e evitar um possível isolamento do país. Isso se mostrou necessário, à medida que os recursos vindos do petróleo diminuíram, com a queda do preço do barril, bem como à medida que as interferências do seu governo nas políticas internas dos demais países do continente começaram a ficar transparentes, mostrando as intenções geoestratégicas da política externa chavista, a qual passou a receber críticas diretas de analistas e líderes políticos da América.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

O SIGNIFICADO DO PEDIDO DE RETIRADA DO INGRESSO DA VENEZUELA NO MERCOSUL, NA PAUTA DE VOTAÇÃO DO SENADO PARAGUAIO

O pedido feito por Fernando Lugo, Presidente do Paraguai, para que se retirasse da pauta do Senado de seu país a votação da entrada da Venezuela como membro permanente no MERCOSUL, deve ser visto mais como mudança tática, ou pequeno recuo estratégico, ou apenas uma alteração de procedimentos, para alcançar os mesmos objetivos estratégicos da entrada da Venezuela no Bloco.