ANÁLISES DE CONJUNTURA

DEPUTADOS BRASILEIROS EM VISITA À HONDURAS AFIRMAM QUE SITUAÇÃO É CONTORNÁVEL E HÁ NORMALIDADE NO PAÍS

Após o encerramento da visita da missão brasileira composta por seis deputados brasileiros*, os anúncios são de que a situação hondurenha é contornável, pois, de acordo com as declarações dos membros da missão, a situação do país é diferente do anunciado pela mídia internacional.

O grupo de deputados foi recebido por todas as partes envolvidas no problema: a Suprema Corte; o Congresso hondurenho; o atual presidente, Roberto Micheletti e pelo ex-presidente, Manuel Zelaya.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

RESULTADOS DA CÚPULA DO G-20, EM PITTSBURGH

Entre os dias 24 e 25 de setembro, foi realizada, em Pittsburgh, EUA, a Cúpula do G-20, composto pelos membros do G-7 + 1 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália e Japão, acrescido da Rússia), 11 países emergentes (Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coréia do Sul, Índia, Indonésia, México, África do Sul e Turquia) e a União Européia (UE) que é representada pelo país que ocupa a presidência rotativa, atualmente, a Suécia.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

POSTURA BRASILEIRA EM RELAÇÃO À HONDURAS PODE GERAR ESCALADA DE VIOLÊNCIA

Os jornais do mundo anunciaram ontem, dia 21 de setembro, que o presidente afastado de Honduras, Manuel Zelaya, estava na embaixada brasileira, em Tegucigalpa.

Após a confirmação da presença do ex-presidente, manifestantes deslocaram-se para as portas da embaixada do Brasil vindos do prédio da ONU (Organização das Nações Unidas), lugar onde se considerava como o mais lógico para abrigar o ex-presidente, caso retornasse ao país.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

DIA 7 DE SETEMBRO PODE SER DATA PARA O ANÚNCIO DO VITORIOSO NA CONCORRÊNCIA DO PROJETO FX-2

A presença do presidente francês, Nicolas Sarkozy, como convidado de honra nas comemorações do dia “7 de Setembro” (Dia da Independência do Brasil), traz a sensação de que o vitorioso do Projeto Fx-2 (Projeto para a aquisição de 36 caças para a Força Aérea Brasileira) será a aeronave francesa Rafale.

ANÁLISES DE CONJUNTURA

O BRASIL PREFERE NEGOCIAR, A RETALIAR OS EUA, MANTENDO A TRADIÇÃO DE SUA POLITICA EXTERNA

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorin, declarou à imprensa de Brasília, ontem (2 de setembro), que, mesmo com a autorização para retaliar os EUA dada pela OMC (Organização Mundial do Comércio), não haverá razão para tal, se a norma da Organização for cumprida.

Um dos traços da tradição diplomática brasileira sempre foi à reconhecida e elogiada capacidade de negociação. Também a busca de mediação para quaisquer problemas de política externa que exigissem ação do Itamaraty, por meio de seu corpo de profissionais, apesar dos desvios cometidos ao longo dos últimos vinte anos, quando se preferiu a prática da diplomacia presidencial, responsabilidade sobre a qual a instituição está isenta.