AMÉRICA DO NORTEDIPLOMACIA CORPORATIVANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Governo dos EUA proíbe importação de produtos da Apple por violação de patentes da Samsung

No dia 4 de junho, a “Comissão Internacional de Comércio dos Estados Unidos” (ITC, sigla em inglês) proibiu a importação, venda e distribuição do iPhone4 e alguns modelos do iPad ao país, pois considera que os produtos da “Apple” violam a patente de sua concorrente sul-coreana “Samsung”.

A medida ainda pode ser vetada pelo presidente Barack Obama, ou bloqueada por uma corte de apelação, mas, se for mantida, a decisão vai barrar a entrada nos EUA de alguns iPhones e iPads produzidos na Ásia para serem operados pela rede da empresa AT&T. A lista abrange o iPhone 4, o iPhone 3GS, o iPad 3G, o iPad 2 3G e o iPad 3. Não estão inclusos no bloqueio os modelos mais recentes, como a quarta geração de iPads e o iPhone 5, que usam tecnologia diferente dos anteriores.

Em comunicado, replicado pelo “Portal R7[1], a “Apple” expressou sua decepção com a decisão da ITC e afirmou que apresentará uma apelação. Apesar do comunicado de proibição da importação, venda e distribuição, a empresa destacou que a decisão não afetará a disponibilidade dos produtos listados nos Estados Unidos.

———————————————-

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://noticias.r7.com/economia/noticias/comissao-de-comercio-internacional-proibe-importacao-de-iphone4-aos-eua-20130605.html

———————————————-

Ver Também:

http://blogs.estadao.com.br/radar-tecnologico/2013/06/05/apple-violou-patente-da-samsung-diz-comissao-dos-eua/

Ver Também:

http://idgnow.uol.com.br/mobilidade/2013/06/05/eua-barram-venda-de-iphone-e-ipad-por-conta-da-briga-apple-x-samsung/

Ver Também:

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/06/1290055-governo-dos-eua-barra-a-importacao-de-produtos-da-apple-produzidos-na-asia.shtml

Enhanced by Zemanta
AMÉRICA LATINABLOCOS REGIONAISNOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Se postergará la Cumbre presidencial del MERCOSUR para facilitar la reincorporación de Paraguay

De acuerdo a declaraciones del presidente de Uruguay, José Pepe Mujica, se retrasará la realización de la Cumbre de Jefes de Estado del MERCOSUR para esperar mejores condiciones políticas e institucionales en Paraguay. La misma estaba planificada para el 28 de junio en Montevideo. Allí, Uruguay transferiría el ejercicio de la “Presidencia Pro Tempore” (PPT) del bloque a Venezuela, lo que complicaría aún más el escenario.

La importancia de tal reunión radica en que se podría levantar la suspensión de Paraguay en el MERCOSUR, dado que tanto este bloque como la UNASUR consideraron que las elecciones presidenciales del país del último 21 de abril fueron democráticas y, por lo tanto, legítimas[1]. Sin embargo, es necesario que se cumplan las siguientes condiciones: primero, que Horacio Cartes, presidente electo, asuma su mandato, lo que sucederá el 15 de agosto próximo; segundo, que el Parlamento paraguayo acepte el ingreso de Venezuela como miembro pleno, cuestión problemática porque anteriormente ya se había expresado en contra[2].

AMÉRICA LATINAÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Presidente chinês em visita à “Costa Rica”

O Presidente da China, Xi Jinping, chegou nesta segunda feira (dia 3 de junho) na cidade de “São José”, capital da “Costa Rica”. Conforme apontam os observadores, a visita do líder chinês ao país latino-americano reforça os interesses chineses nas Américas e trará benefícios diretos aos costarriquenhos.

Durante a transmissão da “Rádio Internacional da China[1], especialistas asiáticos comentaram que o estreitamento das relações “China – Costa Rica” vai ajudar os empresários do país a se relacionarem melhor e a terem mais espaço para negociar com as empresas chinesas.

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Parlamento búlgaro aprova o “Gabinete Orechárski”

O Parlamento búlgaro escolheu o ex-ministro de Finanças, Plámen Orechárski (Пламен Орешарски), como novo primeiro-ministro da Bulgária[1]. Depois de mais de quatro horas de debates, brigas e conflitos entre os parlamentares, finalmente foi tomada uma decisão a favor da Bulgária. Até o líder do partido oposicionista GERB e o ex-premiê Bóiko Boríssov parabenizou o rival político e confessou que é melhor para Bulgária ter esse Gabinete do que um país sem Governo[2].

Durante a primeira votação foram registradas várias falhas no sistema de votação eletrônica e uma reeleição foi efetuada. Os deputados votaram e Oreshárski foi anunciado Premiê com 119 votos a favor e 98 contra (dos representantes do Partido do ex-primeiro-ministro Boiko Borisov). Já os parlamentares do ultranacionalista “Ataka” optaram pela abstenção.

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Protestos na Turquia: da causa ambiental ao anti-autoritarismo

Na terça-feira passada (28 de maio) teve início um protesto pacífico no “Parque Gezi” (em Istambul), contra os planos de redesenvolvimento do local, os quais visam não apenas melhorar o tráfego no entorno da “Praça Taksim”, mas também construir um shopping sobre o Parque, destruindo uma das poucas áreas verdes restantes no centro de Istambul[1] [2] [3].

No entanto, na sexta-feira (dia 31), os confrontos se intensificaram entre os manifestantes e a polícia, que usou gás lacrimogênio e canhões de água, sendo criticada pelo uso de força excessiva[4]. Os protestos, iniciados em torno de uma causa específica, transformaram-se em uma agitação de abrangência nacional contra o Governo, com mais de 1.700 pessoas presas (embora muitas já liberadas) em mais de 67 cidades[2].

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Visita do secretário geral da “Organização de Cooperação Islâmica” (OCI) reforça laços políticos com o Suriname

O secretário geral daOrganização de Cooperação Islâmica”, Ekmeleddin Ihsanoglu, realizou uma visita de dois dias à Paramaribo, no Suriname. O objetivo de sua primeira viagem ao país sul-americano foi o de estreitar os laços políticos e econômicos do Suriname com os 57 países do Bloco[1].

Dentre os eventos oficiais programados estavam o encontro com o ministro de Relações Exteriores, Winston Lackin, com o Presidente em exercício Robert Ameerali* e com representantes do “Conselho Inter-religioso do Suriname” (IRIS, na sigla em inglês). Este último é de extrema importância para a Organização, uma vez que na América do Sul, tanto o Suriname quanto a Guiana, possuem comunidades mulçumanas originárias da África Ocidental, da Índia e da Indonésia[2].