AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Cone Monetário e Passaporte bolivianos ganham prêmio internacional

A Primeira Família de Bilhetes (PFB) do Estado Plurinacional da Bolívia recebeu o prêmio de “Melhor Série Nova de Cédulas 2019” no fórum regional High Security Printing (HSP) Latin America (Imprensa de Alta Segurança América Latina). Os organizadores, que também agraciaram o passaporte boliviano, anunciaram a premiação em 4 de junho de 2019, em São José, capital da Costa Rica.

A PFB é a primeira série de cédulas bolivianas que traz estampada a denominação Estado Plurinacional da Bolívia. As cédulas foram lançadas em 2018, com 3 objetivos: 1) incluir desenhos de personagens e imagens de representatividade nacional, regional e de gênero, com desenho moderno e seguro; 2) consolidar maior uso da moeda nacional e 3) melhorar as medidas de segurança já conhecidas pela sociedade e agregar outras novidades.

O Cone Monetário da Bolívia disputou a premiação com os de Aruba, Argentina, Bahamas, Guatemala, México e Venezuela e, segundo nota do Banco Central da Bolívia, além da segurança, os organizadores elogiaram a inclusão inédita de heróis indígenas e de sítios naturais que representam a riqueza e diversidade da fauna e da flora, inclusive espécies ameaçadas de extinção.

Passaporte Eletrônico da Bolívia

As Conferências HSP são eventos regionais anuais organizados pela Reconnaissance International, uma empresa de consultoria especializada. Neles participam empresas e instituições responsáveis pela emissão de documentos, tais como documentos de identidade, documentos de posse de veículos, cédulas monetárias, passaportes e visas, com ênfase no uso de tecnologia. A HSP Asia teve início em 2001, a HSP EMEA (Europe, Middle East and Africa) em 2002, a HSP Latin America teve início em 2012, no Rio de Janeiro, e já está na sua 8ª edição.

Na HSP Latin America 2019, que aconteceu de 3 a 5 de junho de 2019, na Costa Rica, outros países premiados foram: a Colômbia por “Melhor Passaporte Atualizado”; o México por “Melhor Cédula Nova”, para a de 500 pesos mexicanos; e o Uruguai pela “Melhor Cédula Comemorativa”. A Bolívia arrebatou mais um prêmio na categoria “Melhor Passaporte Eletrônico”. A Reconnaissance destacou que o novo Passaporte da Bolívia incorpora 30 recursos de segurança e tecnologia de ponta sem ter alterado o custo do documento para o cidadão.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Cédula de 20 Bolivianos da PFB” (Fonte): https://resources.reconnaissance.net/wp-content/uploads/2019/06/05163953/BOL_20_Anverso.jpg

Imagem 2 Passaporte Eletrônico da Bolívia” (Fonte): https://resources.reconnaissance.net/wp-content/uploads/2019/06/05163953/Boliva.jpg

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Colômbia e Bolívia substituem plantações de coca por lavoura cafeeira

O Governo da Colômbia e a empresa Nespresso acabaram de firmar uma parceria com o objetivo de reativar a lavoura de café na cidade de El Rosario, em substituição ao cultivo de coca. O anúncio foi feito em 28 de maio de 2019, por Ivan Duque, Presidente da Colômbia, e, em 6 de maio, o Governo da Bolívia havia anunciado a visita da firma francesa Malongo Café para celebração de acordo similar, no município de La Asunta.

A aliança com a Colômbia envolve ainda a Federación Nacional de Cafeteros (FNC) e a Fundação Howard G. Buffet, com o objetivo de ampliar a cafeicultura na região cocaleira. Cerca de 2 milhões de dólares serão investidos na melhoria de infraestrutura local e das fazendas, aproximadamente, 7,9 milhões de reais, conforme a cotação de 31, maio de 2019. Além disso, 100 produtores serão capacitados para praticar a agricultura sustentável e obter grãos de excelente qualidade. A produção será adquirida pela Nestlé Nespresso, pioneira em café em cápsulas, com 800 lojas em mais de 80 países.

O Governo Boliviano tem o apoio da representação local do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, em inglês) e juntos estão coordenando a celebração de acordo com a empresa francesa para aquisição da produção cafeeira e apoio técnico aos produtores.  A Malongo Café processa mais de 8 mil toneladas de grãos por ano, que são servidos em hotéis, restaurantes e mercados franceses. Com sede em Nice, na Côte d’Azur, no litoral Sul da França, a empresa familiar especializada em café gourmet exporta também para a Europa.

Plantação de café

O Presidente colombiano enfatizou a transformação social que será gerada pelo cultivo de produto legal, projeto que ele espera ver expandido às demais regiões do país. Cabe salientar que a Colômbia é o 3º maior país produtor de café do mundo (Brasil e Vietnam são 1º e 2º, respectivamente), segundo dados da Organização Internacional do Café.

Já a Bolívia, cuja produção cafeeira é bastante modesta (0,6% da colombiana), aposta na qualidade do seu café para atender um nicho específico de mercado na Europa. Em ambos os países coincide o esforço em criar alternativa econômica que reduza o cultivo da coca, que termina por alimentar o tráfico de drogas ilícitas e prejudiciais.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Grãos de café torrado” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/c/c5/Roasted_coffee_beans.jpg/800px-Roasted_coffee_beans.jpg

Imagem 2 Plantação de café” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/c/cf/Coffee_Berries.jpg/800px-Coffee_Berries.jpg

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil e México adicionam arroz e feijão à lista de comércio

No último sábado (dia 11 de maio), o Governo brasileiro, representado pela Ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e o México, na figura do Secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural do México, Victor M. Villalobos, anunciaram com satisfação um novo acordo comercial. A partir de agora, o Brasil passará a exportar arroz beneficiado para o México e, em contrapartida, o país importará o feijão mexicano.

Preparando o feijão, conhecido como frijol no México

O acordo foi celebrado em Niigata, no Japão, durante a Reunião dos Ministros da Agricultura do G20. Arroz e feijão são ingredientes essenciais para as cozinhas dos dois países. “Receberemos feijão mexicano para completar nosso prato principal no Brasil, que é arroz e feijão”, disse a Ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina Dias, em um vídeo postado no Twitter.

Arroz, feijão, carne e batata. Prato principal do brasileiro

A medida foi tomada após a aprovação recíproca dos requisitos fitossanitários para o arroz beneficiado brasileiro e o feijão do México, negociados coordenadamente entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Ministério das Relações Exteriores, pelo lado brasileiro, e a Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural do México.

A decisão reforça a posição do Brasil como um dos dez principais exportadores mundiais de arroz e representa um passo importante para a diversificação das relações comerciais com o México, país com mais de 120 milhões de habitantes e que importa cerca de 80% do arroz consumido no país.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Plantação de Arroz, Rio do Sul, Santa Catarina, Brasil” (Fonte): https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Arroz_097.jpg

Imagem 2Preparando o feijão, conhecido como frijol no México” (Fonte): https://es.wikipedia.org/wiki/Phaseolus_vulgaris

Imagem 3Arroz, feijão, carne e batata. Prato principal do brasileiro” (Fonte): https://pt.wikipedia.org/wiki/Arroz_com_feij%C3%A3o

AMÉRICA LATINAÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Peru firma acordo de promoção turística com a Malásia

O Ministério de Relações Exteriores do Peru informou que foi assinado, em abril de 2019, um Memorando de Entendimento (MoU, de Memorandum of Understanding, em inglês) com a Malásia, para promoção turística de ambos os destinos. O acordo faz parte de um conjunto de ações e campanhas que estão sendo empreendidas pelo Governo de Lima para aumentar o ingresso de turistas no país andino.

Para este ano de 2019, o Ministério de Comércio Exterior e Turismo (Mincetur) estima que o país receberá cerca de 4,7 milhões de turistas estrangeiros, ou seja, 9% a mais que no ano de 2018.  A meta do Mincetur é chegar a 5,6 milhões de visitantes internacionais em 2021, o que representaria um ingresso de 6 bilhões de dólares (cerca de 23,63 bilhões de reais ao câmbio de 7 de maio de 2019).

Os mais de 1,102 milhão de visitantes recebidos no primeiro trimestre de 2019 reforçam este otimismo, pois, segundo o ministro Edgar Vásquez, houve um incremento de 2,1% sobre igual período de 2018. Setenta por cento dos turistas são oriundos de doze países: Alemanha, Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Equador, EUA, França e Holanda. Na estatística por bloco, os parceiros do Peru na Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia e México) apresentaram aumento de 4% e somaram pouco mais de 39% dos desembarques.

No período de 17 a 20 de maio de 2019, quando ocorrerá o Peru Travel Mart, maior evento de turismo  do país, cerca de 70 empresários turísticos do Canadá, Chile, Colômbia, EUA, França e México visitarão destinos tradicionais e novos de nove regiões. De acordo com estudos da Comissão de Promoção do Peru para Exportação e Turismo (Promperú) o turismo cultural é o objetivo de 90% dos viajantes que chegam e as regiões mais visitadas são: 1) Lima (onde fica a capital) com 100%; 2) Cuzco (onde ficam Cuzco e Machu Picchu) com 85% e; 3) Puno (onde ficam Puno e o Lago Titicaca) com 31%.

Imagem da campanha Peru, o país mais rico do mundo

Análises de marca país, tais como a Nation Brands 2018, da empresa de consultoria Brand Finance, mostram o Peru como 6º colocado dentre os latino-americanos, já o Country Brand Report 2017-2018 coloca os peruanos em 5º lugar. No quesito segurança e ausência de conflitos, analisado pelo Global Peace Index 2018, a 74ª posição no ranking mundial de 163 nações, é muito melhor que a da Colômbia (145ª), que  inclusive já foi objeto de Nota Analítica no Ceiri News.

A Organização Mundial de Turismo da ONU (UNWTO, em inglês) divulgou em janeiro de 2019 que a chegada de turistas internacionais no mundo aumentou 6% em 2018, alcançando 1,4 bilhão, dois anos antes do previsto, que era 2020. As médias por região foram: Américas (3%); África (7%); Ásia-Pacífico (6%); Europa (6%) e Oriente Médio (10%). O Anexo Estatístico da publicação Barômetro do Turismo Mundial da UNWTO mostra, com base em 2017, que a Malásia recebeu 6 vezes mais visitantes e mais receita que o Peru.

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, em inglês) informa em relatório por país que pode ser solicitado no site que os impactos, tanto direto, quanto indireto e total, do segmento de turismo no PIB do Peru são maiores que dos setores automotivo, químico e bancário. Quanto à geração de empregos, o turismo só perde para a construção, o varejo e o agronegócio. O WTCC estima que na próxima década o setor de turismo peruano crescerá a uma taxa anual de 5,5%, mais que os 3,8% de média da economia nacional como um todo e somente superada pelos 5,7% do setor financeiro.

Conforme se pode observar, os peruanos estão apostando no futuro promissor deste mercado. Além disso, ao assinar o MoU com a Malaysian Association of Tour and Travel Agents (MATTA), que representa mais de 3.400 agentes de viagens malaios, o Peru pode se beneficiar de duas formas: fazendo benchmarking com um destino turístico que está entre os Top 15 em número de turistas estrangeiros recebidos e Top 20 em volume de receita em dólares; e atrair turistas de um país que está entre os 30 que mais gastam com viagens e turismo.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Representantes do Peru e da Malásia na assinatura do MoU” (Fonte): https://cdn.www.gob.pe/uploads/document/file/308606/standard_matta_canatur_mou2.jpg

Imagem 2 Imagem da campanha Peru, o país mais rico do mundo” (Fonte): https://scontent.fssa17-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/35240226_1751408928285161_4582436990493917184_n.jpg?_nc_cat=102&_nc_ht=scontent.fssa17-1.fna&oh=45461dc3b20d9e2e1239f4b4572d9e2c&oe=5D368329

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIO

Evo Morales vai a Dubai em busca de investimento estrangeiro direto

O Presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Evo Morales, esteve em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (EAU), onde participou da abertura da IX Reunião Anual de Investidores no dia 8 de abril. Uma semana depois de ter recebido a visita do Presidente da Índia, com quem firmou acordos de cooperação, Morales foi aos EAU em busca de atrair investidores, confiante no argumento de que a estabilidade política, econômica e social faz do seu país  uma boa opção  para investimentos.

A Reunião, denominada em inglês de Annual Investment Meeting, foi promovida pelo Ministério da Economia dos Emirados e reuniu, de 8 a 10 de abril de 2019, cerca de 20 mil pessoas de mais de 140 países. Os Emirados Árabes Unidos (EAU ou UAE, em inglês) é uma confederação de sete Monarquias soberanas (Emirados) situada no Golfo Pérsico, tendo Abu Dhabi como capital e Dubai como a cidade mais populosa. É Estado membro da OPEP e uma das maiores economias do mundo, com invejáveis posições nos rankings de IDH, PIB bruto e PIB per capita.

A abertura do evento no dia 8 de abril de 2019 contou com discursos do Ministro de Desenvolvimento de Infraestrutura dos EAU, Abdullah Al Nuaimi; do Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, e do Presidente da Bolívia. O mandatário boliviano apresentou os eixos da Agenda do Bicentenário referentes à agropecuária, combustíveis fósseis, energia e mineração. A Agenda, lançada 24 de março de 2019, consiste  em um plano de desenvolvimento econômico e social inclusivo com 13 pilares e que deve avançar até 2025, ano em que se celebram os 200 anos de independência da Bolívia.

Evo Morales se reúne com o Ministro de Desenvolvimento da Infraestrutura dos EAU

No seu discurso, Evo afirmou que a Bolívia quintuplicou o PIB em pouco mais de 10 anos, liderando o crescimento na América do Sul, com média de 4,9%, além de ter reduzido a pobreza extrema de 38,2% para 15,2%. Com efeito, estudos sobre situação econômica e democracia na América Latina, divulgados pela ONG chilena Corporación Latinobarómetro, por meio do Informe Latinobarómetro 2018, indicam que os bolivianos são o povo que mais percebe o progresso (págs. 4-5), reconhecem a boa situação econômica (págs. 7-9;13), embora não estejam satisfeitos com a vida que levam (pág. 68).

Sobre a atividade empreendedora, ele informou que a criação de empresas aumentou em 388% e fez questão de destacar que a posição central do país no continente é estratégica e será valorizada pelo projeto de trem bioceânico em curso. O Presidente da Bolívia não esteve presente nos demais dias da AIM porque no dia 9 de abril já se encontrava em Ankara, Turquia, onde foi recebido pelo presidente Erdogan para uma agenda de ampliação de cooperação e intercâmbio comercial.

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) publica relatórios anuais de análise de investimento estrangeiro direto (IED) no bloco regional. De acordo com a edição 2018 (página 47), do Investimento Estrangeiro Direto na América Latina e Caribe (Foreign Direct Investment in Latin America and the Caribbean), a Bolívia foi dos destinos que menos receberam IED em porcentagem sobre o PIB na região, cuja média foi de 3,1% em 2017.  Entretanto, segundo o mesmo Relatório (páginas 30 e 46), foi o segundo país que teve maior incremento percentual de IED (116%), de 2016 para 2017, perdendo apenas para Argentina (253%).

Evo Morales, em vias de enfrentar eleições, pelo quarto mandato, em outubro deste ano (2019), parece estar em busca de parcerias internacionais que reforcem o apoio ao seu governo e aumentem os ingressos de IED, conforme sua postagem no Twitter, após os três encontros com Índia, EAU e Turquia.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Presidente da Bolívia no discurso de abertura da AIM” (Fonte): http://www.presidencia.gob.bo/images/noticias/dubai_1.jpg

Imagem 2 Evo Morales se reúne com o Ministro de Desenvolvimento da Infraestrutura dos EAU” (Fonte): http://assets.wam.ae/uploads/2019/04/147665158501424857.jpg

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

Projetos peruanos atraem interesse de investidores europeus

Representantes da Agência de Promoção de Investimentos Privados do Peru (Proinversión), estiveram em Londres e Madri, de 25 a 28 de fevereiro de 2019, apresentando a potenciais investidores a sua carteira de parcerias público-privadas (PPP)  para 2019, especialmente na área de infraestrutura e transportes. A Proinversión informou que foram realizadas mais de 40 reuniões com fundos de investimentos, construtoras, empresas de consultoria, operadores e provedores de material rodante que demonstraram grande interesse nos projetos Trem Lima-Ica e III Grupo de Aeroportos.

A Proinversión é um órgão técnico especializado e vinculado ao Ministério de Economia e Finanças do Peru, cuja finalidade é atrair investimento privado para obras de interesse público daquele país. A viagem às capitais da Inglaterra e da Espanha ocorreu no âmbito do XVI Road Show Europa 2019 organizado pela inPerú. A inPerú é uma associação sem fins lucrativos que congrega entidades dos diversos ramos de negócios, com o fim de conectar os setores público e privado e captar investimento estrangeiro.

A primeira edição do Road Show foi realizada em Londres em 2012 e desde então tem havido pelo menos duas edições por ano, sendo que em 2015 foram promovidos o Road Show Brasil, em São Paulo, e o Road Show Asia em Tóquio, Seul e Pequim, respectivamente capitais do Japão, Coréia do Sul e China.

Apresentação de oportunidades de investimento em PPP no Peru

O Trem Lima-Ica é apresentado em vídeo do Ministério de Transportes e Comunicações do Peru como um trem de passageiros e carga que deve percorrer, em até 3 horas, os 323 km que separam as cidades de Ica a Lima a uma velocidade máxima de 200km/hora, e se conectando ao metrô desta última. Segundo Carlos Estremadoyro, Vice-Ministro de Transportes e Comunicações, o projeto tem investimento estimado em US$ 3,263 bilhões (aproximadamente, 12,610 bilhões de reais, conforme a cotação de 8 de março de 2019) e contempla o desenho, financiamento, construção com material de alta tecnologia, operação e manutenção em regime de concessão por 30 anos.

O projeto III Grupo de Aeroportos consiste na operação e manutenção, por um período de concessão de 30 anos, de 8 complexos aeroportuários regionais localizados nas cidades de Chimbote, Huánuco, Ilo, Jaén, Jauja, Rioja, Tingo María e Yurimaguas. O investimento de US$ 600 milhões (em torno de 2,32 bilhões de reais, também de acordo com a cotação de 8 de março de 2019) prevê a modernização das estações de passageiros e melhoramentos nas pistas de decolagem, de acessos (taxiamento) e no pátio de estacionamento de aeronaves.

Após as apresentações no XVI Road Show Europa 2019, as autoridades da Proinversión manifestaram seu otimismo quanto ao recebimento de propostas que deverá ocorrer entre 1º de abril e 15 de maio de 2019, para os dois projetos cujas características e condições de participação estão bastante detalhadas no vídeo publicado pela empresa do governo peruano.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Autoridades peruanas no XVI Road Show Europa 2019” (Fonte): https://www.flickr.com/photos/proinversion/47312770981/in/album-72157690234653423/

Imagem 2 Apresentação de oportunidades de investimento em PPP no Peru” (Fonte): https://www.flickr.com/photos/proinversion/46026159125/in/album-72157678251357468/