AMÉRICA LATINADIPLOMACIA CORPORATIVAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Embraer e a ponte de investimentos entre o Atlântico

Na rota da reestruturação do Estado português e do corrente processo de privatização de algumas empresas estatais, a “Empresa Brasileira de Aeronáutica” (EMBRAER) inicia sua corrida no processo de aquisições. Nas negociações está a “TAP Manutenção e Engenharia” (M&E), empresa responsável pelos serviços da antiga Varig, desde a sua aquisição por parte da TAP, em 2005[1].

Responsável pela maior parte dos prejuízos, a “TAP M&E” tem se apresentado como uma das principais barreiras nas negociações com os interessados na compra da TAP, uma vez que àquela gerou cerca de 50 milhões de euros em prejuízos no ano de 2012. Possuidora de dois centros de manutenção, um em “Porto Alegre” e outro no “Rio de Janeiro”, e com dois mil funcionários, a empresa é a maior na área de manutenção de aeronaves no Brasil, tendo exclusividade na manutenção de jatos da Embraer[1].

No pacote de negociações estão investimentos da Embraer em território português. Com várias frentes de trabalho, o foco tem se centrado no possível fornecimento de algumas peças para o “Embraer 190”, o “Embraer 170”, o “Legacy 650” e o avião militar “KC-390”. Ainda em fase de desenvolvimento, as peças a serem produzidas provavelmente deverão iniciar sua produção em início de 2014, com possibilidade de mais acordos serem firmados para construção de outras novas peças. A cidade escolhida se trata de Évora, região do Alentejo, sul de Portugal, que receberá nesse processo um aumento de produção nas fábricas inauguradas pela Embraer em setembro do ano passado[2][3][4].

Esta unidade internacional juntou-se às outras 11, incluindo a dos “Estados Unidos” e da China. Abarca, desde a sua criação, um efetivo pouco maior que 100 funcionários diretos, e terá uma acréscimo de 80 trabalhadores com essa expansão, podendo haver um recrutamento de até mais 100 trabalhadores no decorrer do ano.

———————————

Imagem (Fonte):

www.embraer.gov.br

———————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,embraer-pode-comprar-area-de-manutencao-da-tap-diz-jornal-,1038984,0.htm

[2] Ver:

http://www.aereo.jor.br/2013/06/22/embraer-negoceia-mais-seis-projetos-para-evora-e-esta-a-recrutar/

[3] Ver:

http://expresso.sapo.pt/embraer-negoceia-mais-seis-projetos-para-evora-e-esta-a-recrutar=f815336

[4] Ver:

http://www.portugues.rfi.fr/brasil/20120921-embraer-abre-fabricas-em-evora-sob-o-olhar-vigilante-de-

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Wang Dian Xing assume a “Presidência da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico”

Neste último final de semana, a “Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico” (CBCDE) realizou a cerimônia de posse de seu novo presidente, Wang Dian Xing. O Evento ocorreu na “Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo” (ALESP), contando com a presença de convidados representando a Assembléia e convidados da Câmara.

Wang Dian Xing afirmou em seu discurso: “Nos últimos 12 anos a CBCDE realizou muitos trabalhos na promoção do comércio bilateral e do conhecimento mútuo entre os dois países. Nesta nova gestão não será diferente, lutaremos para aumentar ainda mais a influência e fortalecer suas bases[1].

A CBCDE é umas das entidades chinesas que promovem as relações Brasil-China em território paulista e nacional. Suas últimas atividades estiveram relacionadas com o intercâmbio cultural, além de Eventos ligados à economia e ao comércio. Ela espera aprofundar seus projetos e criar novos para aumentar o intercâmbio Brasil-China ainda em 2013.

A “Assembléia Legislativa de São Paulo”, nos últimos anos, tornou-se palco para Cerimônias de diversas entidades orientais, nelas já foram realizado eventos de posse presidenciais de ONGs como a “JCI Brasil-China”* e “JCI Brasil-Japão”*, fortalecendo os laços do Estado e da cidade de São Paulo para as organizações e para o empresariado oriental.

————————

* JCI (Junior Chamber International) apresenta-se em seu site da seguinte forma:

A JCI é uma associação mundial de pessoas jovens de dezoito a quarenta anos de idade, que buscam no aprimoramento individual as bases para o desenvolvimento de suas comunidades.

A JCI não tem cor racial, religiosa ou política e tem sido definida como “uma organização educacional suplementar” na qual os jovens de uma comunidade podem associar-se dentro de um espírito de companheirismo e compreensão para desenvolver uma consciência cívica em seus membros, através de uma participação ativa em projetos construtivos que beneficiam a comunidade.

A JCI se utiliza da energia e do entusiasmo dos jovens para desenvolver seu espírito de iniciativa e liderança defendendo a liberdade de empresa, os direitos do indivíduo, estimulando a fraternidade entre os homens e servindo a humanidade, sob a égide da liberdade e da democracia.

A JCI congrega mais de 200.000 jovens em 110 países e territórios. As organizações locais (capítulos) estão espalhadas por mais de 6.000 comunidades”.

Ver site da entidade:

http://www.jci.org.br/conheca-a-jci/quem-somos

——————————

Fonte consultada (Press Release da CBCDE):

[1] Ver resumo:

http://cbcde.tempsite.ws/home/noticia-detalhe/Geral/Solenidade-marca-posse-da-nova-direcao-da-CBCDE

América do NorteAMÉRICA LATINADIPLOMACIA CORPORATIVAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fabricante de caminhões norte-americana inaugura fábrica no “Rio Grande do Sul” (Brasil)

De acordo com informações disseminadas pela “Reuters” e replicadas pelo portal “INFO[1], a fabricante de caminhões “International” inaugurou no dia 11 de junho sua primeira fábrica própria no Brasil.

A nova unidade foi instalada em Canoas, no “Rio Grande do Sul” (sul do Brasil), e tem capacidade para produção de 5 mil caminhões por ano. A fábrica produzirá dois modelos, um pesado, com câmbio manual e automatizado, e um semipesado. Os veículos têm índice de nacionalização de 65%.

Agora, no Brasil, a empresa disputará o mercado com grandes concorrentes como o “Grupo MAN”, da Volkswagen, a Mercedes-Benz e a Ford, que vendem entre 1.500 e 3.500 veículos por mês no país.

A matéria também ressalta que, no final de abril, a empresa chinesa “Shacman” divulgou que “vai investir 400 milhões de reais na construção de uma fábrica no interior de São Paulo com capacidade para 10 mil veículos por ano[1].

Atualmente, o Brasil vive um momento em que várias marcas e fábricas de caminhões estão sendo inauguradas para aproveitar os investimentos de infra-estrutura que vem ocorrendo no país, especialmente devido aos grandes eventos esportivos que acontecerão nos próximos anos.

——————————————–

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://info.abril.com.br/noticias/bitnocarro/international-inaugura-fabrica-de-caminhoes-no-brasil-11062013-38.shl

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Facilitação da entrada de mão de obra estrangeira: o que quer o Brasil

No dia 17 de maio, o Ministério do Trabalho e Emprego” (MTE) publicou, no “Diário Oficial da União”, duas Normativas que se referem ao desenvolvimento de novas regulamentações do trabalho de estrangeiros no País. A “Normativa nº 103” regulamenta a execução de estágios acadêmicos para estudantes de nível superior de outros países, enquanto a “Normativa nº 104” estabelece novas regras para a regulamentação de trabalhos de mão de obra estrangeira direta para empresas brasileiras[1].

Através destas Normativas, o MTE foca a facilitação e desburocratização da vinda de trabalhadores estrangeiros para trabalharem no Brasil. Segundo o ministro Manoel Dias, as regras visam “possibilitar a redução dos prazos de concessão de vistos e, em conjunto com o envio de procedimentos pela internet, poderá reduzir em até dos terços o prazo atualmente praticado para emissão de vistos de trabalho[2].

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Uruguai e Argentina iniciam obras conjuntas em rio binacional

Com o objetivo de iniciar a dragagem e balizamento do “Rio Uruguai”, a “Comissão Administradora do Rio Uruguai (CARU) recebeu o diagnóstico encarregado à empresa “Consultora EIH–INCOCIV”.

Na reunião do passado dia 26 de abril, que contou com a presença do vice-ministro de Relações Exteriores do Uruguai Roberto Conde, do Embaixador argentino em Montevidéu, Dante Dovena, além de autoridades locais e representantes da sociedade civil de ambos os países, a consultora indicou que os trabalhos no rio poderão ser feitos num prazo de dez meses, com um custo aproximado de USD36 milhões para a realização da dragagem e de USD10 milhões anuais para sua manutenção. A partir deste estudo, o Projeto poderá ser elevado aos respectivos governos nacionais os quais decidirão o início das obras.

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil fecha 2012 com “Investimento Estrangeiro Direto” próximo do recorde histórico

No ano de 2012, o Brasil continuou como um dos grandes destinos de atração de “Investimento Estrangeiro Direto” (IED)*, efeito que vem sendo notado desde a metade da década de 2000. Segundo o “Banco Central Brasileiro”, apenas no ano passado, o total investido no Brasil por empresas estrangeiras ou brasileiras com atividades em outros países foi de US$ 65.3 bilhões.