AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

A concentração da Importação de empresas brasileiras: o crescimento das pequenas operações

Na última semana, o “Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas” (SEBRAE)  lançou um aplicativo de fácil acesso para celulares e computadores que serve como um simulado de Importações. O principal foco é auxiliar empresas e pessoas físicas a calcularem a estimativa de lucro, custo da compra e impostos de importação[1].

América do NorteECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Decisão da OMC permite que “Antígua e Barbuda” abra site de download livre de direitos autorais americanos

No dia 28 de Janeiro de 2013, a “Organização Mundial do Comércio” (OMC) emitiu uma decisão pioneira dentro de seu “Quadro de Resolução de Controvérsias”. Em uma disputa que se estendia há dez anos, a OMC permitiu à nação caribenha de Antígua e Barbuda (Antígua) a suspensão de alguns direitos de Propriedade Intelectual de empresas baseadas nos Estados Unidos da América (EUA)[1].

Esta disputa se iniciou em 2003, quando, por meio de Leis federais, estaduais e locais, os EUA proibiram a atividade de serviços de cassinos online e outros sites de apostas e jogos de azar vindos de Antígua[2]. Desde 1997, o país caribenho oferece incentivos para empresas do ramo de apostas online e a decisão dos EUA em impedir o acesso das mesmas a consumidores americanos causou o desemprego de 5% da população do país inteiro, ou 4.500 pessoas, de acordo com o “Procurador Geral de Antígua”, Mark Mendel[3].

ECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Tendências da terciarização da economia global: principais setores de “Investimento Estrangeiro Direto”

Nos últimos anos, as tendências de “Investimento Estrangeiro Direto” (IED) têm possibilitado uma análise mais aprofundada de mudanças na economia global. Isso decorre do fato de que o IED representa um aporte financeiro, físico e organizacional das empresas multinacionais em criar, aumentar ou desenvolver sua estrutura produtiva nos países que o recebem. Desta forma, aqueles setores que têm tido uma participação maior no volume de IED representam as apostas destas empresas para um futuro de médio e longo prazo.

Segundo o “Relatório de Investimento Estrangeiro Direto 2013” (fDi Report 2013)[1], produzido pelo grupo inglês “Financial Times”, que é um dos principais termômetros atuais de IED, há uma tendência de terciarização* da economia global, o que significa afirmar que o volume de investimentos passa agora a se concentrar na área de serviços, destacando-se que nos últimos cinco anos ele tinha se concentrado na formatação de plataformas industriais em diversos países.

América do NorteECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Efeitos econômicos das atividades de busca pelos suspeitos dos “Atentados da Maratona de Boston”

Após os atentados a bomba durante a “Maratona de Boston”, autoridades municipais, estaduais e federais iniciaram as investigações a respeito dos prováveis responsáveis. Os atentados, realizados durante a tarde de segunda-feira, dia 15 de abril, consistiram na explosão de duas bombas caseiras na linha de chegada da tradicional Maratona da cidade. No momento, corredores, turistas e moradores estavam reunidos no local e, até agora, foram contabilizadas quatro mortes e mais de 110 feridos.

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil aprova criação de “duty free shops” na fronteira

Dia 10 de Outubro, publicou-se no “Diário Oficial da União” a Lei que autoriza à criação de lojas de “zonas francas” em cidades de fronteiras no Brasil. Conhecidos como “duty free shops”, estas lojas vendem seus produtos a menor preço devido à isenção de tributos de importação, pretendendo desta forma estimular o consumo de mercadorias nacionais e importadas pelos turistas estrangeiros.

ECONOMIA INTERNACIONAL

A China anima, mas preocupa investidores

Segundo estimativas, neste ano de 2012 o PIB chinês pode atingir a marca dos 8%, mas existem dúvidas sobre os dados oficiais publicados pelas autoridades competentes daquele país.
Alguns pesquisadores dizem que o governo chinês busca os pontos favoráveis nas estatísticas. Assim pensam os pesquisadores do “Federal Reserve de Dallas”, Jian Wang e Janet Koech, citados pelo jornal “O Globo”. Suas ideias são sustentadas por números de que a produção industrial do país expandiu de 5% para 7,5% em alguns meses. Mesmo existindo um desconhecimento de tais informações, um pesquisador afiliado ao “Conselho de Estado da China” afirma que o país pode crescer entre 7,5% e 8% neste ano.