ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

PIB sul-coreano se mantém e “Coreia do Sul” continua como 15a maior economia do mundo

Segundo dados do “Bando da Coreia” (BOK, sigla em inglês), o volume econômico da “Coreia do Sul” se manteve positivo e estável, sendo registrado um montante de 1,12 trilhão de dólares no ano fiscal de 2012. O país ainda está atrás de seus vizinhos asiáticos, China e Japão, mas consegue ficar próximo de economias de fora do continente, como Espanha e México.

Segundo os dados do “Banco da Coreia” e do “Banco Mundial”, os “Estados Unidos” tem seu PIB em 15,65 trilhões de dólares, sendo seguido pela China (US$ 8,35 trilhões), pelo Japão (US$ 5,95) e depois pela Alemanha (US$ 3,39 tri). Das principais potências asiáticas, apenas a “Coreia do Sul” não aparece entre as 10 maiores economias.

Desde o ano de 2004, os sul-coreanos tem trabalhado em melhorias econômicas. Investiram pesado nas suas marcas e na sua logística, com isso a produção alcançou ótimos resultados. Desde 2008, quando atingiu a 15a posição no ranking, as oscilações foram de uma posição para mais ou para menos, mas o volume total ainda não ultrapassou a marca de 1,84 trilhão de dólares, volume próximo ao da Índia, que está em 10º lugar.

Acredita-se que se as tensões com aCoreia do Nortee os desentendimentos diplomáticos com o Japão e outros vizinhos no continente forem resolvidos, o país poderá concentrar-se mais em sua economia, direcionando suas energias para aumentar o volume da produção e poderá entrar no ranking das dez maiores economias em volume.

—————-

Fonte consultada:

http://spanish.yonhapnews.co.kr/economy/2013/09/25/0600000000ASP20130925000200883.HTML

ÁFRICAÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Empresa tailandesa assina Acordos em Moçambique

A empresa estatal “PTT Exploration and Production” (PTTEP) da Tailândia assinou acordo com estatal energética de Moçambique para exploração doBloco Área 1da bacia de Rovuma. De acordo com Tevin Vongvanich, executivo da empresa tailandesa, em entrevista ao jornal “Bangkok Post”, o governo africano ficou impressionado com o sucesso da atuação deles em outros projetos, facilitando nas negociações.

Além de precisarmos do gás natural de Moçambique queremos ajudar aquele país a apresentar um caso de sucesso, à semelhança do complexo petrolífero e de gás ‘Map Ta Phut’”, disse ainda Tevin Vongvanich[1].

Segundo dados divulgados na imprensa pelos grupos italiano ENI e estadunidenseAnadarko Pretroleum”, foram descobertos novos depósitos de gás natural no país africano, o que vai deixá-lo como o terceiro maior país exportador de gás natural no mundo, atrás apenas do Qatar e da Austrália.

————————-

Fonte consultada:

[1] Ver:

http://www.macauhub.com.mo/pt/2013/09/16/petroliferas-estatais-de-mocambique-e-da-tailandia-vao-assinar-memorando-de-entendimento/

 

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Kaesong será reaberto

A “República Popular Democrática da Coreia” (RPDC) e a “Coreia do Sul” acertaram detalhes para reabrir o “Parque Industrial de Kaesong”. Após cinco meses fechado, devido a atritos diplomáticos e militares entre os dois países, no próximo dia 16 de setembro os trabalhadores e empresas que operam dentro do complexo poderão voltar a sua rotina anterior.

Uma equipe sul-coreana está analisando toda a estrutura do Complexo para avaliar se haverá ou não a necessidade de restaurar os equipamentos que estavam paralisados. De acordo com alguns técnicos, o parque poderá voltar a operar gradativamente, sendo assim, não irá trabalhar imediatamente com 100% de sua capacidade, aguardando pequenas manutenções para que tudo volte a ser como a cinco meses.

Com a sua reabertura, a segurança dentro do local será diferenciada. Ambas as Coreias estão finalizando um acordo sobre a segurança dos trabalhadores, para preservá-los em caso de imprevistos em suas relações diplomáticas e militares. As grandes potências vêem com bom grado essa ação, mas ainda observarão Pyongyang com cautela.

————————-

Fontes consultadas:

Ver:

http://spanish.yonhapnews.co.kr/national/2013/09/11/0300000000ASP20130911000200883.HTML

Ver:

http://portuguese.cri.cn/1721/2013/09/11/1s172322.htm

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

Missão russa pode vir ao Brasil para averiguar tratamento da carne Suína

Na semana passada (em 5 de setembro), o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Rodrigo Figueiredo, esteve presente em um encontro dos representantes do sindicato da indústria de produtos suínos do Rio Grande do Sul. A agenda da Reunião teve como principal preocupação “a retomada de mercados internacionais[1]. Em meio ao encontro, o Secretário fez um pronunciamento em que demonstrou apoio aos produtores e enfatizou que, em outubro deste ano, uma missão russa poderá vir ao Brasil para analisar as plantas de produção suína.

A Rússia ameaça embargar a carne suína brasileira caso continue a constatação do uso de anabolizantes químicos, que servem para estimular o crescimento do músculo no animal. O produto encontrado, denominado Ractopamina*, é mundialmente conhecido, inclusive nos Estados Unidos, onde também é autorizado pelo governo

Alguns analistas interpretam a atitude das comissões sanitárias russas como sendo políticas e não técnicas, principalmente para poder criar margem de barganha pela entrada de seus  produtos no mercado brasileiro, uma vez que afirmam existir o produto químico na carne, mas não sancionam o embargo. No mês passado, o presidente da associação de suinocultores, em uma declaração a rádio CBN, denunciou que as autoridades da Rússia querem propina para não embargarem a carne brasileira[2].

Atualmente, o Brasil é maior fornecedor de carne para o mercado russo, em particular a carne de porco. Para ilustrar o volume, no primeiro semestre deste ano, o fornecimento da carne para a Rússia totalizou 82,455 toneladas, de acordo com dados da “Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína” (ABIPECS)[3].

————————–

* Ver:

http://scielo.isciii.es/pdf/azoo/v60n231/art54.pdf

————————–

Imagem (FontePhoto courtesy of USDA NRCS):

http://en.wikipedia.org/wiki/File:NRCSAR83008_-_Arkansas_(279)(NRCS_Photo_Gallery).jpg

————————–

[1] Negociação com mercado russo será prioridade, afirma secretário, ver em:

http://www.agricultura.gov.br/animal/noticias/2013/09/negociacao-com-mercado-russo-sera-prioridade-afirma-secretario

[2] Presidente de associação de suinocultores diz que autoridades sanitárias da Rússia querem propina para embargar carne brasileira. Ver em:

http://www.cbncascavel.com.br/wp-content/uploads/2013/08/SUINOPROPINA.mp3

[3] Principais Destinos da Carne Suína Brasileira – Jan/Jul 2013. Ver em:

http://www.abipecs.org.br/uploads/relatorios/mercado-externo/destinos/dados-anuais/JULHO_13_PRINCIPAIS_DESTINOS.pdf

América do NorteECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

Emigração e Imigração: relatos de uma Política Econômica Portuguesa

Migrar, desbravar o novo, encontrar-se no desconhecido podem ser tidas como características marcantes da cultura portuguesa, dentre tantas rotas desenhadas desde antes mesmo do século XV, marcado pelo início das chamadas “Grandes Navegações”. No entanto, as crises, sobretudo econômica, podem ser tidas como fortes catalizadores destas características culturais, muitas vezes postas a limites frente às fronteiras, nem sempre físicas, que países outros podem impor.

Com cerca de 1,4 milhão de pessoas que se declaram portuguesas[1], os Estados Unidos da América continua a ser um grande foco de migrantes que buscam, sobretudo, estabilização financeira e profissional. A cidade de Newark é um exemplo claro do estabelecimento de um sincretismo cultural por uma influência portuguesa no cotidiano americano[2], refletindo-se nas fachadas de fortes negócios locais com nomes da língua-mãe destes portugueses, os quais tentam ao máximo colaborar com a integração, mesmo que temporária, dos recém chegados das terras lusitanas até que se estabeleçam em suas profissões. No entanto, deve-se destacar, que a obtenção de visto de trabalho se apresenta como uma maior barreira para se conseguir empregos mais qualificados[1][2], situação que está longe de ser nova, tanto para portugueses quanto para outros povos.

Na contramão deste fluxo, o Governo português lança a proposta de criação de uma agência nacional que atraia imigrantes qualificados. De forma interessante, a ideia passa, necessariamente, pela inserção de experts como maneira de travar a saída de jovens formados. Ou seja, deseja-se importar cérebros estrangeiros como mecanismo de contenção da evasão de cérebros nacionais. Segundo o secretário de Estado, Pedro Lomba, esta seria uma forma de proporcionar um redirecionamento na questão migratória, que além de social é sobretudo política[3][4].

—————————————–

Imagem (Fonte):

http://2.bp.blogspot.com/_l8hMbaCuyOc/TQVqdf2V91I/AAAAAAAABvk/vVSg4Q84dQg/s200/P%2B-%2BEUA.jpg

—————————————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.acorianooriental.pt/noticia/ha-muitos-portugueses-a-procurar-a-america-mas-poucos-a-conseguirem-vistos

[2] Ver:

http://www.observatorioemigracao.secomunidades.pt/np4/3708.html

[3] Ver:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=3408610

[4] Ver:

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=654576

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Rússia fornecerá gás para a China

A Rússia e a China fecharam um “Acordo de Cooperação na área de gás natural. Com este acerto, os chineses receberão gás russo via “Rota Oriental”. Durante a cúpula do G20, realizada em “São Petersburgo”, o presidente chinês, Xi Jinping se encontrou com seu homólogo russo, Vladimir Putin, e acertaram os termos desta cooperação. Os pontos que foram assinados integram as áreas de Energia, Aeronáutica e “Tecnologia Militar”.

Chineses e russos mantém boas relações nas últimas décadas, vem trabalhando juntos em diversas áreas tanto de suas economias, como de sua políticas externas. Com esse Acordo, além de fornecer gás para seu vizinho asiático, a Rússia ganha apoio de Beijing na organização da “8a Cúpula do G20”. Vale ressaltar que os países também estão estudando meios para enfrentar desastres naturais, como as inundações que lhes atingiram neste ano, e também maneiras de compartilhar informações hidráulicas.

———————–

Fonte consulta:

Ver:

http://portuguese.cri.cn/1721/2013/09/05/1s172041.htm

Ver:

http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_09_05/russia-e-china-assinam-acordo-de-fornecimentos-de-gas-russo-0680/

ÁFRICAAMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil firma acordos para exportar máquinas de uso agrícola para países africanos

No dia 28 de agosto, durante a “Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários” (Expointer), no estado brasileiro do “Rio Grande do Sul”, o secretário-executivo do “Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior”…

Read more