COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

[:pt]Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estão na palma da mão[:]

[:pt]

Em uma era de rápida e constante troca de informações, 24 horas por dia, e 7 dias por semana, as Nações Unidas mostram que utilizarão todas as inovações tecnológicas a seu favor, principalmente na difusão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) pelas redes sociais. A última novidade lançada é o aplicativo para telefones móveis, SDGs (Sustainable Development Goals) in Action, desenvolvido para fortalecer a transmissão dos ODS no mundo.

O aplicativo traz informações práticas sobre os 17 ODS, habilitando o usuário a conhecer mais sobre eles, a receber novidades, a criar eventos, a encontrar ações na sua região e a convidar amigos para participar da campanha. Para cada atividade, o aplicativo traz uma gama de atividades, como a explicação sobre os objetivos individualmente, as metas relacionadas a cada um deles, vídeos ilustrativos, casos e infográficos.

Em geral, as Nações Unidas têm promovido uma série de vídeos usando celebridades para esclarecer a população mundial, conscientizando-a sobre os diversos problemas encontrados atualmente para não deixar ninguém para trás e destacando os desafios na virada dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) para os ODS. Além disso, a ONU também têm pensado nas pessoas que não podem contribuir indo a campo, por meio do Manual da Pessoa Preguiçosa para Salvar o Mundo, que traz três conjuntos de tarefas, onde é possível contribuir para o mundo a partir do próprio sofá de casa, gerenciando as tarefas da casa e na vizinhança.   

———————————————————————————————–                    

ImagemLogos das Metas Globais para o Desenvolvimento Sustentável” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:Global_Goals_Logos_Chart.jpg

[:]

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALECONOMIA INTERNACIONALFÓRUNS INTERNACIONAISNOTAS ANALÍTICAS

[:pt]Fórum entre chineses e lusófonos em busca de parcerias privadas[:]

[:pt]

Os chineses sediarão mais uma conferência para Cooperação Econômica e Comercial entre a China e os países de Língua Portuguesa, e o foco neste ano (2016) será o aprofundamento das relações privadas para fomentar suas economias.  O Fórum de Macau acontecerá nos dias 11 e 12 de outubro e o principal objetivo será reaquecer o comércio dos países envolvidos no evento, que apresentou queda com a crise econômica global.

A secretária-geral do Fórum, Xu Yingzhen, aposta que a iniciativa privada pode mudar o atual quadro comercial entre chineses e lusófonos, ao aproveitar os incentivos oferecidos pelo Governo chinês para empresas privadas investirem em sem eu território, bem como na África e no Brasil. Atualmente, existem 400 empresas chinesas que investem nesses locais com aportes milionários que ainda não foram totalmente usados.

O Fórum quer que a cooperação económica e comercial entre a China e os países de língua portuguesa se desenvolva de uma forma mais sustentável e, para isso, é preciso haver maior participação do sector privado”, declarou Xu Yingzhen para a imprensa.

Macau se transformou na principal plataforma comercial entre o gigante asiático e os países de língua portuguesa no ano de 2003. Anualmente são realizados eventos e conferências entre autoridades dos países envolvidos para definir novas metas e objetivos que reflitam no orçamento da China, o qual é utilizado como incentivo aos interessados no desenvolvimento comercial e econômico. Os maiores beneficiados dessa cooperação foram: Timor-Leste, Moçambique, Angola e Guiné-Bissau. Espera-se que mais nações se beneficiem e que haja mais rotatividade com o envolvimento do setor privado.

———————————————————————————————–                    

ImagemXu Yingzhen, Secretária do Fórum de Macau” (FonteReprodução Macau Hub):

http://www.macauhub.com.mo/pt/2016/10/06/forum-de-macau-defende-parcerias-privadas-para-reforcar-relacoes-da-china-com-paises-de-lingua-portuguesa/

[:]

COOPERAÇÃO INTERNACIONALFÓRUNS INTERNACIONAISNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONALSociedade Internacional

[:pt]Indo além do senso comum: mitos e evidências da cooperação triangular[:]

[:pt] Apesar do fenômeno da cooperação triangular não ser novo no campo da cooperação para o desenvolvimento, datando da década de 1970, desde o início dos anos 2000, este tipo de cooperação vem ganhando novos…

Read more
COOPERAÇÃO INTERNACIONALDEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICASSociedade InternacionalTecnologia

[:pt]“Grand Expert””: o novo programa de inteligência mundial em massa[:]

[:pt]

Conforme apresentado em “Banco do Brics pode servir a interesse de Inteligência Estratégica da China”, está sendo disseminado na mídia a existência de uma parceria estratégica entre China e Rússia para monitoramento mundial em massa, por meio do programa de computador chamado International Global Monitoring System “Grand Expert”, ou, simplesmente, “Grand Expert”, da empresa International Non-Profit Social Movement.

Em consulta ao comunicado oficial dos “Projetos” do New Development Bank BRICS (NDB BRICS), e à empresa nele mencionada como responsável pelo empreendimento tecnológico, a International Non-Profit Social Movement (www.grand.expert), a situação encontra-se da seguinte forma:

  1. O site está “em construção”;
  2. Observadas as informações com transliteração de texto indo inicialmente do russo para ser convertido em inglês, língua mundial de negócios, presume-se que o desenvolvimento técnico do projeto esteja nas mãos da Rússia;
  3. O domínio de Internet grand.expert foi registrado em 30 de julho de 2014, na empresa Internet Invest, Ltd. de Kiev (Ucrânia);
  4. O “Protocolo de Internet” nº 213.239.220.5, mais conhecido pela sigla em Inglês “IP”, revelou que o Banco de Dados do software está hospedado na empresa Hetzner Online GmbH de Gunzenhausen, na Bavária (Alemanha)*;
  5. Apesar de o site estar “em construção”, utiliza mapas de imagens fotográficas de satélites da NASA, a agência espacial estadunidense – de domínio público, por meio do Google Earth – e uma “Tabela de Pesticidas”, separados por “Classificação de Movimento do Pesticida”, como “alto”, “baixo”, “muito alto” e “muito baixo”, “a sobrevida do solo”, “solubilidade na água” (mg/l) e o “coeficiente de absorção” (solo Koc), provavelmente para testes de funcionalidade do site e aumento do tráfego pela comunidade científica;

É possível intuir que China, Rússia e Alemanha são possíveis aliados no novo programa mundial de monitoramento, “Grand Expert”, provavelmente para rivalizar com o Echelon, o qual os observadores chamam pejorativamente como “Big Brother”, que se tornou o programa de inteligência e vigilância global em massa dos Estados Unidos da América, Canadá, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia, países membros do bloco “FIVE-EYES”, conforme foi denunciado pelo ex-analista da Agência Nacional de Segurança dos EUA, Edward Snowden**.

———————————————————————————————–                    

* A manutenção, na Alemanha, do banco de dados de um software desenvolvido pela Rússia, com investimento majoritariamente da China, nos remete à Nota Analítica “Lenta e gradativamente, Alemanha se aproxima da China, líder dos Brics”. Fonte:

https://ceiri.news/lenta-e-gradativamente-alemanha-se-aproxima-da-china-lider-dos-brics/

** Edward Snowden está refugiado na Rússia.

———————————————————————————————–                    

Imagemts a simple design, but maybe itll save someone else work in the future / é um desenho simples, mas talvez ele possa salvar alguém de mais trabalho no futurotradução livre” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/ECHELON

[:]

BLOCOS REGIONAISCOOPERAÇÃO INTERNACIONALECONOMIA INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALSociedade Internacional

[:pt]European External Investment Plan: um mecanismo integrado de resposta aos principais desafios da União Europeia[:]

[:pt]

A Comissão Europeia lançou no último dia 14 de setembro, por ocasião do discurso sobre o Estado da União proferido pelo seu Presidente, Jean-Claude Juncker, o European External Investment Plan (EIP)Plano de Investimento Externo Europeu. O Plano é mais uma ferramenta no escopo da iniciativa Partnership Framework with Third Countries (Quadro de Parceira com Terceiros Países), lançada no último mês de junho pela União Europeia (UE), no âmbito da sua agenda para assuntos de imigração.

O EIP tem como missão identificar, preparar e apoiar projetos de investimento em países que não integram o Bloco, promovendo o desenvolvimento sustentável. Com isso, a Comissão Europeia almeja potencializar os investimentos europeus e a criação de empregos na África e nos Estados vizinhos da UE. O Plano está fundamentado em três pilares: mobilização de investimento, assistência técnica e suporte a reformas econômicas e estruturais para melhorar o ambiente de negócios.

As principais áreas beneficiadas são o suporte a ações de infraestrutura social e econômica e o setor das pequenas e médias empresas. O orçamento inicial para esta ação é de 3,35 bilhões de euros, quantia com a qual se espera mobilizar recursos da iniciativa privada e dos Estados membros que poderiam elevar o montante para até 88 bilhões de euros.

Ao comentar o lançamento do Plano, Federica Mogherini, Alta Representante da União Europeia para Relações Exteriores e Segurança / Vice-Presidente da Comissão Europeia destacou que “se nós olharmos para o Oriente Médio e África, veremos regiões com um enorme potencial que está sendo limitado pela guerra, pobreza, falta de estrutura e de governança” (tradução livre).

O Plano evidencia uma complexa articulação entre objetivos das pautas migratória, econômica e ambiental da União Europeia. Se por um lado é anunciado como um vetor internacional de um conjunto de medidas que almeja incentivar a criação de empregos e o crescimento econômico dentro da UE (Investment Plan for Europe), por outro, o EIP será operacionalizado por ações de desenvolvimento internacional, voltadas a países do cinturão fronteiriço do Bloco europeu, com o objetivo de promover “desenvolvimento econômico que, progressivamente, viabilize a estabilização e a transição de respostas emergenciais para estruturais” (tradução livre).

O fomento ao desenvolvimento econômico, por sua vez, deverá contar com forte participação da iniciativa privada da União Europeia, visando impulsionar o desenvolvimento sustentável de acordo com as metas da Agenda 2030 e à operacionalização dos compromissos assumidos na última Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática.

———————————————————————————————–                    

ImagemBandeira da União Europeia” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/União_Europeia

[:]

COOPERAÇÃO INTERNACIONALDireito InternacionalNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONALSociedade Internacional

[:pt]Aqueles que não vemos nos noticiários: eles são 40 milhões de deslocados internos[:]

[:pt] Nos últimos anos, os noticiários de todo o mundo estão evidenciando as decisões extremas tomadas por inúmeros refugiados, que largam toda a vida em seus países diante das perseguições políticas e das guerras civis…

Read more
AMÉRICA DO NORTEAMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASSociedade Internacional

[:pt]Haitianos deixam Brasil rumo aos Estados Unidos[:]

[:pt]

As autoridades de fronteira dos Estados Unidos da América (EUA) afirmaram que centenas de haitianos encontram-se no limite do país com o México. De acordo com a impressa internacional, grande parte desses haitianos deixaram o território brasileiro no final do mês de agosto, em razão das dificuldades econômicas que o Brasil vive.

Segundo a agência de notícias Reuters, cerca de 900 haitianos encontram-se em Tijuana, fronteira entre o México e os Estados Unidos. Além disso, a publicação aponta o aumento do número de detenções de haitianos, o que, por sua vez, indicaria um movimento crescente de pessoas que procuram chegar ao território norte-americano. O país, que já vem enfrentando uma forte onda de imigrantes oriundos de lugares como Guatemala e El Salvador, tem encontrado dificuldade para acomodar esse novo grupo, conforme destacaram a Reuters as autoridades estadunidenses de fronteira. Esse movimento era visível em maio, quando dezenas de haitianos e africanos chegaram na divisa fronteiriça em Tijuana. Já naquele momento, os responsáveis assinalavam o crescente número de haitianos que chegam para pedir asilo político ao Governo norte-americano.

Os Estados Unidos acolheram centenas de migrantes do Haiti após o terremoto de 2010. Em agosto de 2015, resolveu estender por mais 1 ano e meio o asilo temporário para os que residem ilegalmente no seu território, e chegaram logo após os eventos de 2010. Naquela ocasião, a Embaixada dos EUA em Porto Príncipe declarou que o Departamento de Segurança Interna dos EUA prolongaria o pedido de Status de Proteção Temporária (TPS, na sigla em inglês) até julho de 2017. O TPS permite que haitianos possam permanecer nos EUA e obter permissão para trabalhar, no entanto, ele consiste em visto temporário, não concede status legal de residente permanente.

No presente, aproximadamente 80 mil haitianos possuem a concessão de visto humanitário ou estão em processo de residência permanente no Brasil. Esses imigrantes chegaram em solo brasileiro após o abalo sísmico ocorrido em 2010, que devastou o seu país, deixando mais de 1 milhão de pessoas desabrigadas e aproximadamente 200 mil mortas. Naquela ocasião, o Estado brasileiro intensificou a cooperação com Governo haitiano, promovendo uma série de projetos de cooperação bilateral. Um dos programas desenvolvidos entre os dois Estados permitia que haitianos adquirissem visto e pudessem trabalhar no Brasil. Segundo nota do Governo brasileiro, publicada no último dia 16 de setembro, sexta-feira passada, o Conselho Nacional de Imigração (CNIg) prorrogou recentemente por mais 12 meses a vigência da Resolução Normativa 97, que concede visto em caráter humanitário aos imigrantes haitianos que ingressam no Brasil. Essa medida expiraria no próximo dia 30 de outubro, mas, com a prorrogação, passa a vigorar até outubro de 2017.

———————————————————————————————–                    

ImagemGoverno prorroga visto humanitário para haitianos até 2017” (Fonte Foto: Ângela Perez/Secom do Acre):

http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2016/09/governo-prorroga-visto-humanitario-para-haitianos

 [:]

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

[:pt]Brasil e Cuba renovam Acordo de Cooperação do Programa Mais Médicos[:]

[:pt]

De acordo com informações da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Brasil e Cuba renovaram o Acordo de Cooperação que prevê a vinda de profissionais cubanos para atuar no Programa Mais Médicos, por mais três anos. Conforme o anúncio do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante este período o Ministério pretende ampliar a participação de brasileiros no Programa, com a oferta de 4.000 vagas atualmente preenchidas pelo acordo internacional.

O Ministro destacou que a prioridade desta gestão são os profissionais brasileiros, por isso estarão trabalhando na formação de novos médicos para que eles possam, aos poucos, ocupar as vagas. Uma nova regra que será adotada nos editais também busca ampliar a participação de médicos brasileiros formados no exterior, independentemente do país. Antes, só podiam participar médicos de localidades com proporção superior à do Brasil – 1,8 médicos/mil habitantes.

Apesar de a medida abrir mais oportunidades aos brasileiros, também pode gerar grandes questionamentos das entidades médicas, temendo que profissionais formados em faculdades de menor qualidade no exterior passem a atuar no Brasil. Em resposta às críticas, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o ministro Ricardo Barros declarou que “os médicos formados no exterior que vem ao Brasil para o Mais Médicos fazem um curso de adaptação ao modelo do sistema de atendimento na saúde da família e são avaliados nesse período por nossa equipe. Estamos confiando na formação dos médicos”.

Além do anúncio das vagas para brasileiros formados no exterior, também foi definido o reajuste da bolsa-formação paga a todos os profissionais do Programa. O repasse, que era de R$ 10.570 por médico, será alterado para R$ 11.520 a partir de janeiro de 2017, um aumento de 9%.

Como resultado das reuniões com a OPAS e representantes do Governo de Cuba, em julho e setembro, a partir de agora será realizado, anualmente, um reajuste nos valores pagos com base na inflação. Ainda como parte das negociações, foi acertado o aumento no auxílio moradia e alimentação pagos a todos os profissionais do Mais Médicos alocados em áreas indígenas. O reajuste de 10% – de R$ 2.500 para R$ 2.750 – já está em vigor desde agosto passado.

———————————————————————————————–                    

ImagemCapa da Apresentação do Ministro da Saúde, Ricardo Barros, sobre o Programa Mais Médicos” (Fonte):

http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/setembro/20/renovacao_mais_medicos.pdf

[:]

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

[:pt]O que os números não falam: o papel das práticas brasileiras na cooperação internacional para o desenvolvimento[:]

[:pt] Na última quinta-feira (15 de setembro), o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lançou o mais recente Relatório da Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Econômico (Cobradi), capturando as formas e os conteúdos da participação…

Read more