COOPERAÇÃO INTERNACIONALFÓRUNS REGIONAISNOTAS ANALÍTICAS

“UNASUR” avanza en la integración regional cultural

El martes 25 de junio se realizó la Primera Reunión de Ministros y Ministras de Cultura de la Unión de Naciones Sudamericanas’ (UNASUR)”. La misma se desarrolló en Lima, capital de Perú, dado que este país detenta la “Presidencia Pro Témpore” del bloque regional[1].

El logro principal de la reunión es la aprobación del Plan de Acción 2013-2014 del Consejo Sudamericano de Cultura” (CSC), que enfatiza cinco ejes de integración: interculturalidad, “industrias culturales”, “defensa y conservación del patrimonio cultural”, comunicación y “cultura y artes”. Al respecto, el “Ministro de Cultura de Perú”, Luis Peirano, manifestó que “esto es reflejo de los intereses comunes de nuestros países que concluyen en una gran guía de actividades bianuales en la que cada Estado ha asumido responsabilidades concretas[2]. También se aprobó el estatuto del CSC, destacándose la afirmación de que la cultura es un agente principal de desarrollo.

En ese mismo sentido, se presentaron dos acciones principales: (1) la creación de un Banco de Contenidos Audiovisuales para luchar contra el tráfico de bienes culturales*, y (2) la formación del proyecto Expreso Sur”, que pretende dar a conocer festividades de los países de la UNASUR desde la perspectiva de niños de la región. En relación al primero, el “Viceministro de Interculturalidad de Perú”, Pablo Vilca, ha explicado que se confeccionará una base de datos para que todos los países puedan localizar información sobre contenidos culturales nacionales. Además acordaron la formación de un “Grupo de Trabajo” para la discusión de la problemática y el diseño de posibles estrategias para abordarla. De forma complementaria, también se realizará una “Cumbre sobre Descolonización y Diáspora” el 12 de octubre en Bolivia – por una propuesta de ese país – con el objetivo de analizar conceptos y avanzar en definiciones comunes en relación a estas dos cuestiones[3].

Cabe recordar que la UNASUR está formada por Argentina, Bolivia, Brasil, Chile, Colombia, Ecuador, Guyana, Perú, Surinam, Uruguay y Venezuela. Paraguay, en tanto, está suspendido hasta que Horacio Cartes asuma como Presidente del país en agosto, tras elecciones democráticas en abril de este año.

——————————

* Segundo UNESCO, son bienes culturales, de acuerdo al “Convenio para la Protección de los Bienes Culturales” en caso de conflicto armado, de 1954: a) los bienes, muebles o inmuebles que tengan gran importancia para el patrimonio cultural de los pueblos, como los monumentos de arquitectura, arte o religión, las obras de arte, manuscritos y colecciones de libros; b) los edificios cuyo destino principal y efectivo sean conservar o exponerlos, tales como museos y bibliotecas; y c) los centros que comprendan un gran número de bienes culturales de tipo a y b – llamados centros monumentales. Ver:

http://portal.unesco.org/es/ev.php-URL_ID=13637&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html

——————————

Imagen Ministros de Cultura de la UNASUR se reúnen en Lima, Perú” (Fuente: Agencia Peruana de Noticias Andinas):

http://www.andina.com.pe/Espanol/DownloadPhoto.aspx?myPhoto=pnSesWoc3ic=

——————————

Fuentes consultadas:

[1] Ver:

http://www.europapress.es/latam/peru/noticia-latinoamerica-unasur-decide-luchar-contra-trafico-ilegal-bienes-culturales-region-20130626161042.html

[2] Ver:

http://www.telesurtv.net/articulos/2013/06/25/unasur-creara-banco-de-contenidos-audiovisuales-para-resguardar-bienes-culturales-2311.html

[3] Ver:

http://www.andina.com.pe/Espanol/noticia-unasur-se-compromete-integracion-cultural-regional-463908.aspx#.UcxWGjtkNFs

 

Enhanced by ZemantaEnhanced by Zemanta
AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

BID aprova empréstimo de US$ 125 milhões para mobilidade urbana em “São Bernardo do Campo” (SP)

Em nota, o “Banco Interamericano de Desenvolvimento” (BID) anunciou[1] que, na quarta-feira passada, dia 26 de junho, firmou um contrato de empréstimo para promover a mobilidade urbana e sustentável do município “São Bernardo do Campo” (Estado de São Paulo / Brasil).

De acordo com a informação disseminada, o valor do empréstimo é de US$ 125 milhões e será direcionado para a “melhoria da gestão do transporte urbano por meio da capacitação institucional e implementação de políticas públicas orientadas ao transporte coletivo[1].

Estão previstas construções de 42 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus e quatro terminais de integração. A segurança viária também será foco do projeto para reduzir os índices de acidentes.

Segundo noticiado, as autoridades de “São Bernardo do Campo” estão buscando implementar uma mobilidade urbana eficiente com transporte público de qualidade e sustentável. Localizada[2] à sudoeste da “Região Metropolitana da Cidade de São Paulo”, São Bernardo  é uma das integrantes da “Região do Grande ABC” (referência aos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul). Possui um território de 408,45 km², sendo 118,21 km² em zona urbana, 214,42 km² em zona rural, além de ter 75,82 km² pertencentes à “Represa Billings”.

—————————————-

Fontes Consultadas

[1] Ver:

http://www.iadb.org/pt/noticias/comunicados-de-imprensa/2013-06-26/mobilidade-urbana-sustentavel-em-sao-bernardo-do-campo,10501.html

[2] Ver:

http://www.saobernardo.sp.gov.br/comuns/pqt_container_r01.asp?srcpg=bemvindo&lIHTM=true

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Pará e “Guiana Francesa” estreitam cooperação em matéria de gestão dos recursos naturais

Em 17 de junho de 2013, o vice-governador do “Pará” (Brasil), Helenilson Pontes, do “Partido Popular Socialista” (PPS), participou de uma reunião, em Belém, com o deputado do grupo parlamentar “Esquerda Democrática Republicana” (EDR), da…

Read more
ÁfricaÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Japão perdoa dívida de Moçambique

As autoridades japonesas estão realizando várias visitas oficiais aos países da Europa e da África, onde Acordos diplomáticos e econômicos estão sendo fechados, além de outras negociações que contribuem para a boa “imagem” do Japão. Nesse sentido, Tokyo perdoou uma dívida de Moçambique com o intuito de melhorar sua reputação no continente.

Devido a forte presença de nações estrangeiras no continente africano, com grande destaque para a China, o Japão vem trabalhando constantemente com os Estados e entidades locais em busca  de alternativas para ganhar mais espaço na região. Nesse sentido, observadores apontam que uma delas foi o perdão da dívida de Moçambique, que está avaliada em 83,81 milhões de dólares norte-americanos.

O comunicado foi feito neste final de semana pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Eduardo Koloma. A autoridade japonesa declarou para a imprensa local: “Este perdão do governo japonês significa uma poupança para o governo moçambicano, indo o montante em questão ser consignado para outros sectores prioritários[1].

O perdão da dívida faz parte do programa “Conferência Internacional de Tokyo para o Desenvolvimento Africano” (“Ticad V”) e, além do ato, o Japão vai doar mais de 30 milhões de dólares para que o país africano invista em infra-estrutura na sua região norte e central.

——————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.macauhub.com.mo/pt/2013/06/17/japao-perdoa-mais-de-80-milhoes-de-dolares-a-mocambique/

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

ONU cumprimenta países da “América Latina” e do Caribe por alcançarem “Metas do Milênio” para redução da fome

A “Organização das Nações Unidas” (ONU) cumprimentou oficialmente diversos países da “América Latina” e do Caribe por terem reduzido a fome conforme previsto nasMetas do Milênio[1]. Os países foram Brasil, Chile, Cuba, Honduras, Guiana, Nicarágua, Panamá, Peru, “República Dominicana”, “São Vicente e Granadinas”, Uruguai e Venezuela. A meta foi cumprida antes da data limite de 2015[1].

As “Metas do Milênio” orientam numericamente os “Objetivos de Desenvolvimento do Milênio” (ODM), compromisso assumido por 189 países membros da ONU para combater a pobreza e promover o desenvolvimento[2]. Os ODM foram aprovados durante a “Cúpula do Milênio”, evento organizado no ano de 2000 pelas “Nações Unidas” para discutir soluções para os problemas do milênio que começava[3].

A erradicação da fome e da miséria está prevista no primeiro compromisso. Países da África e de outras regiões também foram cumprimentados por terem alcançado o que estava proposto, totalizando 38 países. Alguns dos que foram cumprimentados alcançaram também as metas da “Cimeira Mundial de Alimentação (CMA), formada em 1991, que são mais rigorosas que as “Metas do Milênio[4].

——————————————

ImagemIniciativas brasileiras como o programa Fome Zero foram elogiadas pelao ONU (Fonte):

http://baixosulemfoco.blogspot.com.br/2013/03/familias-carentes-do-municipio-de.html

——————————————

[1] Ver:

http://www.onu.org.br/brasil-e-outros-11-paises-da-america-latina-e-caribe-alcancam-metas-contra-a-fome-antes-de-2015/

[2] Ver:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2004-09-19/entenda-que-sao-metas-do-milenio

[3] Ver:

http://educacao.uol.com.br/disciplinas/geografia/cupula-do-milenio-evento-estabeleceu-metas-de-desenvolvimento.htm

[4] Ver:

http://www.rlc.fao.org/pt/imprensa/noticias/12-de-los-38-paises-que-alcanzaron-las-metas-contra-el-hambre-fijadas-para-2015-son-de-america-latina-y-el-caribe/

AMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Equador e Venezuela: cooperação na área alimentícia

Segundo o periódico “El Mundo[1], publicado em 3 de junho de 2013, o Governo equatoriano, através de representantes de seu “Ministério das Relações Exteriores” (MRE), declarou sua disposição em fornecer produtos básicos alimentícios ao mercado venezuelano. A decisão foi tomada durante a “Reunião de Trabalho” dos Executivos de ambos os países, realizada na “Casa Amarela Antonio José de Sucre”, sede da chancelaria venezuelana.

Durante a Reunião, ocorrida na cidade de Caracas (Venezuela) para impulsionar a cooperação entre seus setores econômicos, o ministro de Relações Exteriores, Comércio e Integração do Equador, Ricardo Patiño, e o ministro do Poder Popular para as Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, aproveitaram a ocasião para ratificar o apoio do governo do presidente Rafael Correa ao recém-eleito presidente venezuelano, Nicolás Maduro[1].

ÁfricaAMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

General brasileiro é nomeado para comandar Missão da ONU na “República Democrática do Congo”

O general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz passou a comandar, nesta semana, a primeira brigada militar com características de “força de ataque”, na “República Democrática do Congo” (África), com vistas a atuar em uma missão pacificadora promovida pela “Organização das Nações Unidas” (ONU). Sua escolha deveu-se ao bom trabalho realizado ao encabeçar a missão de paz no Haiti, no período de 2007-2009, que o qualificou para a nova empreitada.

Agora, o objetivo do General será enfrentar um potencial conflito direto com grupos rebeldes estabelecidos no leste do Congo, que ameaçam romper a paz e harmonia locais, fato que o próprio “Tratado Constitutivo” das “Nações Unidas” repele. Todavia, segundo afirmou à BBC Andre Michel Essoungou, um dos porta-vozes do “Departamento de Missões de Paz da ONU”, “esta é a primeira vez que as Nações Unidas estabelecem uma brigada específica, dentro do contexto de uma missão de paz maior, para usar a força (…). A brigada poderá levar a cabo ações ofensivas tendo como alvo grupos armados específicos que estão a arruinar o processo de paz no país[1]. A “Brigada de Intervenção” contará, majoritariamente, com militares de nações africanas apoiadoras da ONU e, consequentemente, da Missão.