ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Agência da ONU realiza jogo amistoso pelos imigrantes venezuelanos no Brasil

Realizado no último dia 30 (abril de 2019) em Manaus, a capital do estado brasileiro Amazonas, um jogo amistoso de futebol foi organizado pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) como gesto de solidariedade aos milhares de venezuelanos que migraram para o Brasil. A partida teve como objetivo chamar a atenção para as dificuldades que os imigrantes enfrentam e arrecadar doações de alimentos não perecíveis.

Dentro de campo, os times Lendas do Flamengo, composto por atletas veteranos do clube carioca, e Amigos de Iranduba, um coletivo de amigos da cidade de Iranduba, localizada na região metropolitana de Manaus, se enfrentaram para a diversão do público presente na Arena da Amazônia. Ressalte-se que nesta cidade há um clube de futebol denominado Esporte Clube Iranduba da Amazônia, que foi fundado em 2011. Também participaram da apresentação cinco crianças e adolescentes venezuelanos que entraram em campo junto aos jogadores, incluindo Keyla, uma jovem de 18 anos, ex-jogadora semiprofissional de futebol, que teve a missão especial de carregar a bandeira de seu país de origem.

O placar da partida, secundário diante da causa, terminou em uma goleada de 9 a 2 para o time de veteranos do Flamengo, para delírio dos 30 venezuelanos que assistiam ao jogo da arquibancada. Os gols foram marcados por Athirson, Thiago Coimbra, Sávio Maurinho, Felipe Adão e Aloísio Chulapa.

Venezuelanos vão às ruas protestar contra o governo em 2016

Bruno Cabrezito, ex-jogador profissional e atual ator, também atuou pelo Lendas do Flamengo. Atualmente interpretando o vilão Hussein Zarif na novela “Órfãos da Terra”, da Rede Globo, Bruno disse admirar cada um dos ali presentes e que espera que a vida no Brasil seja cada vez melhor.

Este amistoso foi o primeiro de um projeto intitulado Duelos da Arena, que visa “promover o acolhimento dos venezuelanos por meio do futebol”. A organização do evento arrecada doações como forma de ingresso para assistir à partida – a chamada “entrada solidária” – que são revertidas para os abrigos de refugiados vulneráveis, geridos pela Pastoral do Migrante de Manaus.

A ACNUR tem forte atuação na região norte do Brasil, o maior destino dos refugiados, e oferece serviços de registro de informação, moradia e proteção às famílias venezuelanas em situação de vulnerabilidade. A agência atua em consonância com o Governo Federal brasileiro para lidar com questões emergenciais de forma mais efetiva.

Segundo levantamento da ACNUR, desde 2016, mais de 3,4 milhões de mulheres, homens e crianças foram forçados a sair do país. De acordo com dados da Polícia Federal, 14 mil solicitações de refúgio foram feitas em Manaus até o final de 2018.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Refugiados venezuelanos em Boa Vista” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/66/Venezuelan_refugees_in_Boa_Vista%2C_Brazil_1.jpg

Imagem 2 “Venezuelanos vão às ruas protestar contra o governo em 2016” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/db/Venezuela_protest_26_October_%28size_diff%29.jpg

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

6 de Abril: Dia Internacional do Esporte pelo Desenvolvimento e Paz

O último dia 6 (abril de 2019) foi marcado por diversas manifestações e eventos realizados ao redor do mundo comemorando o importante papel que o esporte exerce na sociedade. Fundado oficialmente pela Organização das Nações Unidas em 2013, o dia internacional do esporte pelo desenvolvimento e paz inspira atos simbólicos, eventos artísticos, debates, demonstrações, eventos esportivos, grupos de trabalho, e muito mais. Ao todo, neste ano (2019), foram registradas mais de mil homenagens em todos os continentes, sendo 8 delas no Brasil.

Através de notas em sites e redes sociais, algumas entidades ligadas ao esporte – a exemplo da Associação Mundial das Organizações de Kickboxing, a Federação Internacional de Esgrima, a Federação Mundial de Dança Esportiva, a Federação Internacional de Motociclismo, e a Federação Internacional de Lacrosse – também exaltaram o seu poder como veículo de transformação social, catalisador do desenvolvimento da comunidade ao seu redor e agente de proliferação da paz.

Vídeo Peace and Sport April 6 Celebrations

Em comunicado à imprensa, a Aliança de Civilizações das Nações Unidas (UNAOC, em inglês) ressaltou que, “historicamente, os esportes contribuíram com o avanço dos ideais de justiça e progresso” e que a instituição tem trabalhado para desenvolver parcerias e criar iniciativas em que o esporte seja utilizado como ferramenta para inclusão social, coesão, entendimento e diversidade.

Campanha #WhiteCard a favor da paz promovida pelos esportes

Como forma de trazer maior engajamento e apelar para a participação do público em geral, foi criada a campanha #WhiteCard nas redes sociais, onde as pessoas são convidadas a postar fotos de si mesmas segurando um cartão branco, fazendo um paralelo ao cartão vermelho, representação da maior punição no esporte, e remeter à cor da paz e da pureza.

No intuito de reconhecer os esforços em prol das transformações sociais por meio do esporte, a organização sem fins lucrativos April6 promove premiações anuais às pessoas/entidades que se destacam nestes objetivos. O vencedor de 2019 ainda não foi nomeado, mas o premiado de 2018 foi o Ministério da Juventude e Esportes do Bahrein; a edição de 2017 teve como contemplado o evento Brussels Play 4 Peace, de Bruxelas; e o primeiro destaque, no ano de 2016, foi a Federação Internacional de Tênis de Mesa.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Divulgação do Dia Internacional do Esporte pelo Desenvolvimento e Paz” (Fonte): https://pbs.twimg.com/media/DzTK7imX0AEPeiL.jpg

Imagem 2 “Campanha #WhiteCard a favor da paz promovida pelos esportes” (Fonte): http:// https://pbs.twimg.com/media/D25hnr7WkAAkSJ7.jpg

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Senegal será o primeiro anfitrião africano de Jogos Olímpicos, em 2022

Os Jogos Olímpicos da Juventude (JOJ) 2018, realizados na cidade de Buenos Aires, Argentina, ainda não haviam sido encerrados quando o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou onde será sediada a quarta edição desta competição, em 2022: Senegal. Esta nomeação, ocorrida em 8 de outubro, consolidou o país africano como primeiro representante do continente a receber um evento olímpico na História.

A candidatura senegalesa foi formalmente postulada em fevereiro deste ano (2018), quando o presidente do Comitê Olímpico e Esportivo do Senegal, Mamadou Ndiaye, manifestou o interesse e acrescentou que “recentemente renovamos ou construímos muitas instalações esportivas e infraestrutura”. Thomas Bach, presidente do COI, endossou a importância de levar um evento esportivo desta magnitude para a África, pois considera o continente “o lar de tantos atletas olímpicos de muito sucesso”.

Amadou Ndiaye, nadador senegalês que atuou nas provas de 400 e 800m em Buenos Aires

Alguns atletas, que ainda competiam sob a bandeira de Senegal nos JOJ de Buenos Aires, demonstraram bastante ansiedade e empolgação, diante da expectativa para 2022. O nadador Amadou Ndiaye (foto), que entrou com a bandeira de seu país na cerimônia de abertura, disse que “vai ser muito motivador para os jovens atletas e estou muito orgulhoso do Senegal ser anfitrião dos Jogos”. Em seguida, destacou a generosidade e acolhimento dos senegaleses, colaborando ainda mais para o sucesso da competição.

O Presidente de Senegal, MackySall, enfatizou a união do povo africano e o ganho que a parceria com o COI traz para o continente. Segundo suas palavras, “nós estamos muito honrados como africanos. Esta nomeação, para mim, é uma nomeação da África”.

Jovens senegaleses ansiosos para representar sua bandeira em casa

O número de atletas habilitados a competir em 2022 – devido a sua faixa etária – e o esporte como fator educacional para os jovens serão o grande legado dos Jogos. Sall destaca que “em Senegal, e em todo continente africano, a juventude representa mais de 65% da população”.

Os investimentos já começaram a ser alocados com o objetivo de cumprir os prazos sem nenhum tipo de atraso,visando garantir imagem positiva para consolidar uma possível candidatura para os Jogos Olímpicos de Verão a longo prazo, a partir de 2035. As competições e atividades serão realizadas em três cidades: a capital histórica de Dakar; a nova cidade de Diamniadio; e a beleza natural de Saly, na costa.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 “Senegal será o paíssede dos JOJ 2022” (Fonte): https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2018/10/18/2018-10-18-Senegal-thumbnail.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=:

Imagem 2 “Amadou Ndiaye, nadador senegalês que atuou nas provas de 400 e 800m em Buenos Aires (2018)” (Fonte): https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2018/10/18/2018-10-18-Senegal-inside-02.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

Imagem 3 “Jovens senegaleses ansiosos para representar sua bandeira em casa” (Fonte): https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2018/10/18/2018-10-18-Senegal-inside-03.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

UNODC e COI fazem parceria para combater a corrupção no Esporte

Os casos envolvendo corrupção na alta cúpula do esporte têm se intensificado cada vez mais nos megaeventos esportivos, levando a sociedade internacional a se mobilizar. O foco desta discussão é traçar estratégias eficazes para combater estes crimes, que comprometem os resultados oficiais das competições em prol de “ganhos ilícitos”, conforme declarado por Jean-Luc Lemahieu, Diretor do UNODC para Análise de Políticas e Assuntos Públicos.

Reunião da IPACS, em Lausanne, no dia 29 de junho de 2018

Principais organizações interessadas neste tema, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e o Comitê Olímpico Internacional (COI) uniram forças, com auxílio da Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL) e demais representantes dos Estados Membros, a fim de investigar e punir os envolvidos.

Dentro deste contexto, foi criada a Parceria Internacional Contra a Corrupção no Esporte (IPACS) em 2017, na cidade de Paris. Esta plataforma pluri-participativa denominou um grupo de trabalho composto por representantes de governos, organizações intergovernamentais e organizações esportivas. Estabeleceu-se, então, três pontos mais críticos que demandam maior prioridade de mitigação com objetivo de avançar no combate à corrupção, as chamadas forças-tarefas. 

A primeira força-tarefa tem por finalidade reduzir o risco de corrupção nas aquisições relacionadas a eventos esportivos e infraestrutura; a segunda força-tarefa concentra-se em garantir a integridade na seleção dos grandes eventos esportivos, com um foco inicial na gestão de conflitos de interesses; e a terceira força-tarefa visa otimizar os processos de cumprimento dos princípios de boa governança para mitigar o risco de corrupção.

O próximo encontro da IPACS – o quarto da série – para acompanhamento dos resultados concretos, bem como definição dos próximos passos, será realizado entre os próximos dias 2 a 8 de dezembro (2018) na cidade de Londres, Inglaterra. O Brasil estará mais uma vez representado pela advogada da União, Tatiana Mesquita Nunes.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Sede da UNODC em Viena, Áustria” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f2/Austria_august2010_0073.jpg

Imagem 2 “Reunião da IPACS, em Lausanne, no dia 29 de junho de 2018” (Fonte):

https://www.unodc.org/images/Safeguardingsport/3rd_IPACS.jpg

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Atleta chinesa alcança sucesso olímpico após se mudar para a Áustria

Na cidade de Pequim, China, em 16 de fevereiro de 1982, nascia Liu Jia, atleta que entraria para a História por defender a bandeira da Áustria nas competições internacionais de tênis de mesa. Esta virada em sua carreira chamou a atenção e tornou-se pauta de uma produção de seriados olímpicos, que se empenhou em buscar as origens e mostrar os resultados.

Susi, como é conhecida, começou a treinar tênis de mesa quando tinha apenas 5 anos de idade e aplicou as doutrinas rígidas de seus pais como exemplo de disciplina para treinar ininterruptamente, a fim de aprimorar sua técnica no esporte.

Liu Jia na apresentação do time austríaco para os Jogos Olímpicos de 2008

Jia passou a infância inteira com uma raquete na mão até que, aos 15 anos, recebeu um convite para treinar e morar na cidade de Linz, sem saber onde era a Áustria ou sequer falar alemão. Fez as malas e no dia 17 de março de 1997 pegou um avião com destino ao desconhecido, vivenciando o maior “choque cultural” de sua vida.

O Olympic Channel, assim como fizera com outros ídolos do esporte, lançou o décimo primeiro episódio da série Flag and Family (Bandeira e Família, traduzido para o português) dedicado a contar a trajetória da atleta e como foi este processo de mudança da China para a Áustria.

Um dos momentos mais marcantes em sua carreira, no entanto, não foi ao subir no pódio. Liu Jia foi indicada para representar e carregar a bandeira da Áustria na abertura da Olimpíada do Rio, em 2016 – alcançando cinco Jogos consecutivos –, conforme ofício do Comitê Olímpico Internacional (linha 16).

Apesar de não ter conquistado uma medalha em Olimpíadas, Liu Jia se diz muito orgulhosa de suas conquistas em outros campeonatos, e agradecida por ter tido a chance de desenvolver a carreira em um “país aberto às oportunidades” como a Áustria.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Liu Jia em ação no tênis de mesa” (Fonte):

https://d3mjm6zw6cr45s.cloudfront.net/2018/09/LIU-Jia_Remy-Gros.jpg

Imagem 2 “Liu Jia na apresentação do time austríaco para os Jogos Olímpicos de 2008” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/e5/Liu_Jia_Wien2008.jpg

ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Medalha Olímpica em 2012 inspira geração guatemalteca

O dia 4 de agosto de 2012 entraria para sempre na História esportiva. Não apenas pelo recorde olímpico conquistado pelo chinês Chen Ding, ao finalizar a prova de 20 quilômetros em marcha, com o tempo de 1:18:46 (Uma hora, Dezoito minutos e Quarenta e Seis segundos), como também pela inédita medalha a um atleta guatemalteco em uma edição dos Jogos Olímpicos.

Estádio Olímpico de Londres, sede das competições de atletismo

Ao cruzar a linha de chegada 11 segundos após o campeão, Erick Bernabé Barrondo García – na época com 21 anos – tornou-se um ídolo para seus compatriotas ao conquistar a prata e colocar a Guatemala no quadro geral de medalhas pela primeira vez.

Nascido em uma pequena aldeia Chiyuc em San Cristóbal Verapaz, Erick Barrondo iniciou seu contato com o atletismo competindo em corridas de longa distância, seguindo a carreira de seus pais. Porém, uma grave lesão o levou a praticar a marcha olímpica como forma de recuperação. O atleta acabou por levar adiante a nova modalidade profissionalmente até conquistar o ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011.

Atletas passam pelo Palácio de Buckingham durante prova

Motivado por este marco, o Olympic Channel produziu um episódio da série The Power of One (O Poder de Um, traduzido para o português) inteiramente dedicado a Erick e como seu feito inspirou toda uma geração na Guatemala, apesar de o futebol ser o esporte mais popular no país.

Sua origem humilde e a escassez de recursos financeiros tornaram-se fatores em comum para toda comunidade de Alta Verapaz, onde estima-se que há mais de 300 crianças praticando a marcha atlética. De acordo com um estudo realizado no final de 2012 mencionado no episódio da série The Power of One, 60% dos jovens guatemaltecos preferiam praticar a marcha olímpica ao futebol.

Vê-se no esporte a oportunidade de melhorar de vida e deixar de viver na pobreza. Segundo o próprio Erick Barrondo, “como a medalha olímpica foi ganha por alguém que não tinha nem o que comer, a Guatemala descobriu que quando você quer fazer alguma coisa, é possível. (…) se eu perder, não será pior que antes, mas vamos pensar em ganhar”.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Tocha olímpica acesa no estádio em Londres (2012)” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Photos/2012/08/03/Olympic%20impressionism_170924.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

Imagem 2 “Estádio Olímpico de Londres, sede das competições de atletismo” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/35/Stadium_filling_up_now_3596.jpg

Imagem 3 “Atletas passam pelo Palácio de Buckingham durante prova” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/5f/2012_Olympic_men%27s_20_km_walk_at_Buckingham_Palace.JPG