ÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

China e “Coreia do Sul” reforçando laços na Ásia

O presidente da China, Xi Jinping, e a presidente da “Coreia do Sul”, Park Geun-hye, se encontraram em Haia, na Holanda, paralelamente à “Cúpula de Segurança Nuclear”, deixando o Japão em alerta, pois o encontro ocorrido põe à mesa os interesses comuns destas duas potências sobre territórios que, hoje, estão sob controle de Tokyo.

Ao longo dos dois últimos anos, as relações do Japão com Seul e com Beijing vem se fragmentando devido a desentendimentos na questão territorial. Tal como os japoneses questionam a presença russa nas “Ilhas Kurilas” e discutem internamente sobre a presença norte-americana em Okinawa, os chineses e coreanos questionam, apresentam argumentos, mostram provas históricas e reivindicam territórios no “Mar da China”, ao sul do Japão, e ao noroeste do conjunto de ilhas que formam a nação japonesa.

Essas disputas serviram para aproximar Seul e Beijing, um interesse comum que vai fortalecer seus laços e pode progredir para outras áreas. Aparentemente, o Governo chinês deverá aumentar a pressão sobre a “Coreia do Norte” para tentar diminuir os constantes desentendimentos e demonstrações de poder militar na península coreana. Com a criação de um sistema de comunicação bilateral ChinaCoreia do Sul, serão postos em prática este e outro projeto que visam à cooperação entre as duas nações contra a presença japonesa em territórios reivindicados.

Para a China o sucesso de atividades conjuntas com a “Coreia do Sul” será fundamental para a criação de uma visão positiva sobre seu país em todo o continente, uma vez que, entre as principais potências do oriente, o contexto histórico entre chineses e coreanos são os que detém menos pontos negativos, facilitando na construção de relações mais intensas com capacidade de ganhar força nos Fóruns locais. Tal progresso sempre foi motivo de preocupação pelos japoneses, que não tem apoio dos “Estados Unidos” para a disputa territorial entre Japão-Rússia, Japão-Taiwan e JapãoCoreia do Sul, existindo apenas leve apoio a seu favor na disputa em algumas ilhas entre chineses e japoneses.

Para o secretário-chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga, o trabalho conjunto entre Beijing e Seul para reivindicar incidentes do século passado e outros durante o período do “Império do Japão” ameaça a paz e a estabilidade em todo o continente. A repercussão do caso na mídia japonesa demonstra a total preocupação do país e o receio de perder força nos Fóruns regionais nos próximos anos.

————————————

Imagem (Fonte):

Wikipedia

—————————

Fontes consultadas:

Ver:

http://spanish.yonhapnews.co.kr/national/2014/03/24/0300000000ASP20140324000900883.HTML

Ver:

http://portuguese.cri.cn/1721/2014/03/24/1s181508.htm

Ver:

http://www3.nhk.or.jp/nhkworld/portuguese/top/news04.html

Ver:

http://www3.nhk.or.jp/nhkworld/portuguese/top/news05.html

Enhanced by Zemanta

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!