Agora nossos podcasts também estão no Spotify e Deezer. Em breve voltaremos  com os áudios! Para receber nossas atualizações em seu whatsapp clique no botão ao lado ou envie um whatsapp com seu nome, cidade/estado para 11 35682472

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China e Japão assinam mais de cinquenta (50) acordos de cooperação bilateral

O Primeiro-Ministro do Japão, Shinzo Abe, realizou uma visita oficial à República Popular da China na sexta feira, dia 26 de outubro (2018). Nesta ocasião foram assinados mais de cinquenta acordos bilaterais. As áreas afetadas incluem: construção de infraestrutura; inovação tecnológica; cooperação no caso de desastres naturais; sistema financeiro e desenvolvimento sustentável.

Bandeiras da China e do Japão

Um dos acordos assinados é especialmente digno de nota, visto que estabelece diretrizes para a cooperação marítima entre a China e o Japão no caso de acidentes em águas internacionais. As relações bilaterais destes países vêm apresentando fricções desde que a China começou a efetuar uma política de criação de ilhas artificiais no Mar localizado ao Sul do seu território, afetando demandas territoriais pela parte do Japão. Este acordo vinha sendo negociado desde o ano de 2011 e o Japão já possui uma cooperação desta natureza com a Coréia do Sul e com os Estados Unidos.

Em uma conjuntura na qual a China enfrenta disputas comerciais com os Estados Unidos (EUA), o aprofundamento da coordenação com o Japão, a terceira maior economia do mundo e a segunda maior da Ásia, certamente é um movimento estratégico de grande relevância. Pela perspectiva japonesa, a aproximação pode servir igualmente como uma forma de balancear as suas recentes tensões com os Estados Unidos, que anunciaram a possibilidade de elevar para 25% as tarifas comerciais, afetando a indústria automobilística japonesa.

Esta foi a primeira visita de Estado oficial realizada por Shinzo Abe à China desde o ano de 2012, ainda que o mandatário tenha estado neste país na ocasião de eventos de cunho multilateral. Por fim, a aproximação entre tais atores, ainda que possa ter sido conduzida por razões pragmáticas, indica um gesto sinalizando rumo a maior coordenação em nível regional. Nesta ocasião, ambos os líderes se pronunciaram como sendo a favor do livre comércio entre as nações e pelo fortalecimento da Organização Mundial do Comércio (OMC). 

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Mandatários da China e do Japão, Xi Jinping e Shinzo Abe, respectivamente” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Shinzō_Abe_and_Xi_Jinping_(November_2017).jpg

Imagem 2 Bandeiras da China e do Japão” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:China_Japan_450x300px.png#/media/File:China_Japan_450x300px.png

About author

Mestrando em Estudos Contemporâneos da China pela Renmin University of China (RUC) e pesquisador afiliado pela Silk Road School. Mestre em Relações Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Possui especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Agente consular junto ao Consulado Honorário da França em Porto Alegre, atuando paralelamente no escritório RGF Propriedade Intelectual, no período de 2013-2016.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

A Tragédia de Brumadinho: desconsideração sobre as experiências internacionais e impunidade

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Japão e Coreia do Sul discordam sobre decisão a respeito de trabalho forçado

ÁfricaCOOPERAÇÃO INTERNACIONALEuropaNOTAS ANALÍTICAS

A cooperação norueguesa com a União Africana

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

O fechamento da fábrica da Goodyear na Venezuela

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

×
Olá!