NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Ciberdiplomacia responderá às guerras eletrônicas

Como o domínio cibernético está intrinsecamente ligado ao espectro eletromagnético, o fato de que a guerra eletrônica (Eletronic Warfare) e a guerra cibernética (Cyberwarfare) estão agora sendo consideradas em conjunto como atividades eletromagnéticas cibernéticas (cyber-electromagnetic activities – CEMA), faz com que uma alteração profunda esteja acontecendo na estrutura de governança global das políticas e estratégias nacionais competitivas para o uso e aplicação de Tecnologias de Informação e Comunicação-TIC’s.

Ações governamentais adotadas pelos EUA e por países da Europa  sobre a evolução no campo da informação e telecomunicações no contexto da segurança internacional,  em consonância com o estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas em dezembro de 2018, alertam para os riscos e benefícios que a revolução  digital está causando para solução de problemas globais agora e no futuro, e têm forçado a construção de um novo ambiente nas relações internacionais.

A dimensão desta revolução envolve a constituição de uma nova orientação diplomática na condução de relações bilaterais e multilaterais, alicerçada, principalmente, no uso da Internet, na teoria e na prática internacional da governança cibernética, na comunicação internacional e política global de informação. Estados-Nações e seus aliados procuram estabelecer novas formas de empreender significados e razões para defesa de sua soberania e interesses econômicos nacionais e globais no ciberespaço, seja na esfera civil ou militar. Esta trajetória influencia decisões políticas, estratégicas, doutrinas e táticas de ataque, defesa e dissuasão contra ameaças que refletem um estado constante de “contínua hiper-competição geopolítica.

A tendência de as nações tornarem-se inteligentes (Smart Union – termo em inglês) traz consigo a preocupação das autoridades para um modelo de conflito em que suas capacidades de proteção e necessidades de múltiplos domínios atuam sobre sua infraestrutura de informações críticas. A Ciberdiplomacia vem atender aos anseios da comunidade internacional e visa integrar e convergir uma configuração de normas e processos legais que se imponha de forma relevante na contenção de ameaças digitais externas.

A soberania do Estado e as normas e princípios internacionais que dela decorrem se aplicam à conduta destes Estados em atividades relacionadas às tecnologias da informação e às comunicações e à sua jurisdição sobre a infraestrutura em seus territórios. Os processos intergovernamentais entre Estados explicitam a necessidade de se estabelecer uma agenda de estratégia internacional para utilização do ciberespaço e passam a influenciar, também, nas práticas diplomáticas contemporâneas às suas iniciativas e realizações.

Imagem do mapa do Reino Unido com feixes de luz vindo do País de Gales, Londres e Kent

Estas ações centram-se, principalmente, em questões ligadas ao domínio do poder cibernético, à atribuição de ciberataques e identificação de vulnerabilidades da Internet ao instrumento diplomático mais poderoso a ser adotado para respondê-las: o uso de sanções cibernéticas. A Ciberdiplomacia complementará a diplomacia tradicional na modelagem política atual e futura das relações internacionais levando em consideração a liberdade, a inovação, o crescimento econômico, os diferentes usos militares, a segurança cibernética e a governança da Internet.

O desenvolvimento de respostas diplomáticas às atividades cibernéticas maliciosas conduzirá a diplomacia convencional  para o desenvolvimento de novas competência para enfrentar os desafios que dificultam uma resposta comum às possíveis formas de guerra eletrônica e aos crimes virtuais, minimizando conflitos e ofertando formas de compartilhamento de recursos,  tecnologias e canais para empreender esforços na construção de coalisões estatais e privadas,  de acordo com o direito internacional,  de maneira a assegurar a estabilidade global em questões cibernéticas.  

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Visão ampla do Salão da Assembleia Geral” (FonteFoto: ONU/Manuel Elias): https://www.un.org/en/ga/

Imagem 2 Imagem do mapa do Reino Unido com feixes de luz vindo do País de Gales, Londres e Kent(Fonte): https://www.gov.uk/government/news/uk-universities-recognised-for-excellence-in-cyber-security-research

About author

Mestrando em Direção Estratégica em Telecomunicações Universidad del Atlantico – Espanha e Porto Rico; Especialista em Expandindo a Competência Exportadora das Empresas, pela Fundação Dom Cabral. Especialista em Políticas e Estratégias Nacionais, pela Universidade do Tocantins. Graduado em Comércio Exterior, pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, São Leopoldo/RS. Atualmente é Colaborador do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) no Portal de Relações Internacionais CEIRI NEWS https://ceiri.news/. Também, autor no Portal Web Indústria 4.0 ISA (International Society of Automation), Campinas Section. Campinas/SP. Professor do MBA em Gestão e Inovação em Cidades Inteligentes – Facens – Sorocaba/SP. Desenvolvedor do Grupo de Trabalho Cidades Inteligentes – Softsul, Porto Alegre/RS. Nos últimos 3 anos atua como Vice-Presidente de Defesa Cibernética do ISCBA - Instituto Smart City Business América. Secretário da ADESG - Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, Representação Santa Maria/RS. Sócio Diretor da CronCyber Inteligência Empresarial, Cidades Inteligentes e Defesa Cibernética.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

OMS lança primeira versão de Relatório Mundial sobre Visão

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Colômbia: primeira linha de metrô de Bogotá será construída por consórcio chinês

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Mortos durante prece na Mesquita em Burkina Faso

EURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Rússia assume papel de mediador no conflito da Síria

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by