fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Coalizão governista conservadora na “República da Macedônia” ganha o primeiro turno das eleições municipais

Votação na MacedôniaA coalizão governista “Organização Revolucionária Interna MacedôniaPartido Democrático pela Unidade Nacional da Macedônia” (VMRODPMNU), do premiê Nikóla Grúevski, fora vitoriosa na maioria dos municípios do país durante o primeiro turno das eleições municipais, ocorridas no último dia 24 de março. A apuração dos 100% dos votos demonstrou grande vantagem do “VMRODPMNU” em 42 municípios da “República da Macedônia” (Repúblika Makedonijá).

Em 24 circunscrições, inclusive na capital Skopje, nenhum dos candidatos conseguiu a margem de 50% dos votos[1]. A “União Social Democrata da Macedônia”* (SDSM) ganhou em 7 municípios e a “União Democrática da Integração” (DUI), em 11. Consequentemente, haverá segundo turno no próximo domingo, dia 7 de abril. O comparecimento dos eleitores foi de 67%, superando o nível atingido nas eleições de 2009.

O “Primeiro-Ministro da Macedônia” e presidente do partido governista, Nikóla Grúevski, definiu a vitória como “inédita” na história do partido. Na sequência, Bránko Crvénkovski, o líder do oposicionista SDSM ameaçou boicotar o segundo turno das eleições, pois acredita que o primeiro turno fora fraudulento[2].

O “Partido Democrático da Albânia” (PDS), o “Partido Progressista Sérvio na Macedônia”, o “Partido Nacional Democrata”, o “Partido Democrata dos Turcos” e a “União dos Roma” registraram vitória em somente um município. Os candidatos independentes ganharam dois municípios.

No começo de março um acontecimento registrado no país demonstrou a instabilidade da “Segurança Nacional”, da “Segurança Pública” e da “Segurança Corporativa[3]. Protestos violentos na base étnica ganharam força nas ruas da capital Skopje e a polícia informou que pelo menos 22 pessoas, entre elas 13 policiais, ficaram feridas durante o tumulto. Um ônibus foi incendiado, sendo este um ato que raramente é observado não só na Macedônia, mas também nos Bálcãs.

As manifestações foram iniciadas por cidadãos descontentes com a nomeação de Talat Xhaferi como novo “Ministro da Defesa”. De etnia albanesa, ele é um ex-comandante rebelde no conflito de 2001, que opôs os dois principais grupos étnicos da Macedônia. Os albaneses também organizaram um protesto na capital e ambas as manifestações se tornaram violentas.

Em 2001, o Governo macedônio assinou com os rebeldes étnicos albaneses do “Exército de Libertação Nacional” (ELN) um acordo de paz que ampliou os direitos da minoria albanesa no país. Na época, cerca de mil policiais de origem albanesa passaram a integrar as forças de “Segurança Pública” macedônia. Além disso, ao lado da língua macedônia, o albanês tornou-se idioma oficial no Parlamento nacional e também nas localidades com pelo menos 20% da população de origem étnica albanesa.

Durante uma visita oficial em Atenas, o “Ministro dos Negócios Estrangeiros da Suécia”, Nils Daniel Carl Bildt, e o “Chanceler da Grécia”, Dimítris Avramopúlos, discutiram a integração dos países daPenínsula BalcânicanaUnião Europeia” (UE) e, especialmente, o caso da Macedônia. Outro destaque durante a reunião foram os mecanismos para combater o desenvolvimento do nacionalismo no país[4].

————————

* Em macedônio, “Социјалдемократски Сојуз на Македонија”, em cirílico, ou “Socijaldemokratski Sojuz na Makedonija” (SDSM).

———————–

Imagem (Fonte):

http://www.vesti.bg/index.phtml?tid=40&oid=5631411

——————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.dnevnik.bg/evropa/razshiriavane/2013/03/25/2028589_upravliavashtite_v_makedoniia_obiaviha_mestnite_izbori/

[2] Ver:

http://www.mediapool.bg/%D0%B2%D0%BC%D1%80%D0%BE-%D0%B4%D0%BF%D0%BC%D0%BD%D0%B5-%D0%BF%D0%B5%D1%87%D0%B5%D0%BB%D0%B8-%D1%83%D0%B1%D0%B5%D0%B4%D0%B8%D1%82%D0%B5%D0%BB%D0%BD%D0%BE-%D0%BC%D0%B5%D1%81%D1%82%D0%BD%D0%B8%D1%82%D0%B5-%D0%B8%D0%B7%D0%B1%D0%BE%D1%80%D0%B8-%D0%B2-%D0%BC%D0%B0%D0%BA%D0%B5%D0%B4%D0%BE%D0%BD%D0%B8%D1%8F-news204425.html

[3] Ver:

http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,protestos-etnicos-deixam-22-feridos-na-macedonia,1003604,0.htm

[4] Ver:

http://www.utrinski.com.mk/?ItemID=927577D7DA017D46B2495DF082F733B6

About author

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!