fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

China é um parceiro estratégico de Angola

A China é considerada como “parceiro estratégico” para Angola diversificar a sua economia e suas exportações. Essas foram as palavras da ministra angolana do “Comércio”, Maria Idalina Valente.  O comércio sino-angolano cresce em ritmo saudável e, assim como o Brasil, o país africano é um dos principais parceiros lusófonos de Beijing.

Angola foi um grande país exportador antes da independência e, portanto, a China constitui para nós, efetivamente, um grande parceiro estratégico, porque por muito que se possa exportar, é sempre pouco para o mercado chinês”, afirmou Idalina, em entrevista à “Agência Lusa”.

Angola e outros representantes da “Comunidade dos Países de Língua Portuguesa” (CPLP) estarão de frente com as autoridades chinesas na “Terceria Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Econômica e Comercial entre a China e a CPLP”, que será realizada em Macau, nos dias 13 e 14 deste mês. Durante o evento, espera-se aumentar ainda mais as relações comerciais entre os envolvidos.

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!