O governo sul-coreano está mantendo sua agenda de reuniões, troca de informações e cooperação com países vizinhos e em outros continentes. Com a reabertura parcial da economia global evoluindo durante o controle da pandemia da COVID-19, Seul já estuda alternativas de reabertura do turismo, novos tipos de cooperação e fortalecer laços em busca de apoio para que seu candidato, o Ministro do Comércio, Yoo Myun-hee, assuma o posto de Diretor-Geral da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Nesta semana, o funcionário do Ministério das Relações Exteriores Kim Gunn liderou a delegação coreana na reunião de alto nível com os países membros da ASEAN. A cooperação bilateral entre coreanos e membros do Bloco asiático focou no andamento dos acordos da Nova Política do Sul, através da “Comunidade de Paz e Prosperidade centrada no povo”, tema principal da Cúpula Comemorativa ASEAN-ROK (ROK – Republic of Korea, sigla em inglês) do ano de 2019, para que eles sejam implementados o quanto antes.

Segundo nota oficial do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul (MOFA), alguns itens foram atualizados para a atual situação regional durante a pandemia da COVID-19, principalmente na questão da circulação de cidadãos dos países envolvidos para o aquecimento do turismo e comércio.

Representante do governo chileno, Rodrigo Yanez, junto do Vice-Ministro Lee Taeho / Fonte das imagens: Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul – Divulgação: http://www.mofa.go.kr

Temas de cooperação bilateral e comércio também foram discutidos entre o Vice-Ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Lee Taeho, e o Subsecretário das Relações Econômicas Internacionais das Relações Exteriores do Chile, Rodrigo Yánez Benitez, em visita a Seul, temas que estavam paralisados devido a suspensões administrativas por conta da pandemia. A reunião entre coreanos e chilenos também teve como destaque, além das relações bilaterais, o apoio chileno para a entrada da Coreia do Sul na Aliança do Pacífico.

Seul vem promovendo diálogos importantes para aumentar e promover a sua imagem na região da Ásia-Pacífico e posicionar figuras importantes do seu país em organismos internacionais, como o pedido de apoio das nações amigas à candidatura coreana na OMC. A Coreia do Sul vem chamando a atenção no combate a COVID-19, manutenção de sua economia e no seu desenvolvimento tecnológico que está ganhando mais espaço no cenário mundial, tornando-a num ator de peso para quaisquer nações que buscam parceiros econômicos fora de suas regiões nativas, firmando seu grau de importância como tão relevante quanto de seus vizinhos, China e Japão.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Vídeo conferência da reunião AseanROC / Fonte das imagens: Ministério das Relações Exteriores da Coreia do SulDivulgação: http://www.mofa.go.kr” (Fonte):

http://www.mofa.go.kr/upload/bbs/15745/20200827030336881.jpg

Imagem 2 Representante do governo chileno, Rodrigo Yanez, junto do ViceMinistro Lee Taeho / Fonte das imagens: Ministério das Relações Exteriores da Coreia do SulDivulgação: http://www.mofa.go.kr” (Fonte):

http://www.mofa.go.kr/upload/bbs/15745/20200827030921448.jpg

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!