fbpx
ÁFRICAÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Corrida por diamantes e ocupação de espaços na África

Nas últimas semanas, o noticiário angolano vem chamando a atenção para algumas ações indianas e chinesas no país, sendo a principal delas a forte busca por diamantes. Esta procura está estimulando e desenvolvendo a indústria em Angola, modernizando-a para atender aos interessados. Sobre a exploração de pedras preciosas, a entidade “Economist Intelligence Unit”, citada pelo “Macau Hub”, afirmou: “Os diamantes vão continuar a ser a segunda maior fonte de exportações, embora de pequena dimensão em comparação com as petrolíferas[1]

Atualmente, o país exporta 8 milhões de quilates de diamantes e já existe o planejamento para expandi-la em até 2 anos. “A indústria diamantífera foi duramente atingida pela crise financeira global, quando o preço das pedras caiu a pique e várias empresas, incluindo o grupo mineiro australiano BHP Billiton, encerraram as operações em Angola[1], observa a “Economist Intelligence”.

O interesse estrangeiro pelos produtos angolanos vem crescendo nos últimos anos. Em 2009, a China ultrapassou os “Estados Unidos” como maior comprador de diamantes do país. Depois desta façanha, a Índia e a Rússia vem aumentando seus investimentos tanto em Angola como em outras áreas da região, demonstrando que esses três membros do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e “África do Sul”) estão firmes no mercado local.

Atualmente, a China e a Índia investem em vários setores, dentre eles, em infra-estrutura urbana, infra-estrutura rural e em negócios na agricultura, e a Rússia está engajada no programa espacial de Angola, trabalhando com a produção de satélites de comunicação. Cada país está estreitando suas relações com os angolanos de forma diferente, a fim de ganhar preferências comerciais. 

————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.macauhub.com.mo/pt/2013/08/05/%E2%80%9Cforte%E2%80%9D-procura-da-india-e-china-relanca-industria-de-diamantes-angolana/

————————

Ver também:

Ver:

http://www.macauhub.com.mo/pt/2013/08/09/satelite-de-telecomunicacoes-de-angola-angosat-lancado-em-2016/

Ver:

http://www.macauhub.com.mo/pt/2010/04/30/8999/ (Arquivo)

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!