CNP In Loco

CPBR 12: Smart Cities em destaque

Campus Party 2019

Cobertura Primeiro dia da Campus Party

A Cidade de São Paulo está recebendo a Campus Party Brasil em sua 12ª edição no Expo Center Norte, Zona Norte da capital paulista, entre os dias 12 e 17 de fevereiro (2019). Este é um dos principais eventos de tecnologia no país e no mundo, estando focado na inclusão digital, e-sports e na participação público e privada para melhorar no desenvolvimento da tecnologia no Brasil.

A Campus Party é de origem espanhola e o Brasil foi um dos primeiros países a receber o evento fora da Europa. Sua ideia é reunir um grande número de pessoas que utilizam diversas tecnologias diferentes, com uma jornada multidisciplinar, acumulando variados desafios para estimular, melhorar e criar novas tecnologias que ajudem a população global. O evento conta com o apoio do poder público e da iniciativa privada e, na capital paulista, resultou numa internet de 40 Gigabytes de velocidade e no maior torneio amador de e-sports do mundo.

Francesco Farruggia, Presidente do Instituto Campus Party

Segundo Francesco Farruggia, Presidente do Instituto Campus Party, toda a estrutura de fibra ótica, entre outras estruturas aplicadas na Campus, gera conectividade e banda de internet suficiente que daria para atender a uma cidade com um milhão de habitantes. Bruno Covas, Prefeito da Cidade de São Paulo, diz estar contente com o evento e declarou que ela serve de inspiração para os jovens paulistas* e paulistanos**, além de estar contente com a evolução do uso da tecnologia na região, mantendo o município em destaque no ranking de Smart Cities.

O ranking de cidades conectadas mede diversas ações, legislações, projetos e forma de atuar conjuntamente ou não com a iniciativa privada. Todas as iniciativas que a administração local utiliza para implantar a tecnologia em sua jurisdição passa a ser avaliada em vários quesitos, dentre eles, pode-se citar: Mobilidade, Acessibilidade, Eixo de Governança, Urbanismo, Educação e Empreendedorismo.

Vista da Cidade de São Paulo. (Foto: Fabricio Bomjardim / CEIRI NEWS)

No ano de 2017, segundo o Smart Cities Index, apenas São Paulo e Rio de Janeiro entraram para o Ranking Mundial, com a capital paulista na 80a colocação e a capital fluminense*** em 86a posição. A cidade dinamarquesa de Copenhague está em primeiro lugar, seguida da cidade de Singapura (República de Singapura) no segundo posto e de Estocolmo, na Suécia, em terceiro lugar.

Segundo o IESE Cities in Motion, em 2017 e 2018 a cidade de Nova York se manteve como a primeira colocada no Ranking, tendo a cidade de São Paulo como a melhor colocada no Brasil, na 116ª posição, o Rio de janeiro na 126ª, Curitiba, na 135ª e Salvador, como a única cidade do Nordeste brasileiro, na 147ª posição, de acordo com o último ranking publicado no ano de 2018

No Brasil, os parâmetros, embora bem parecidos com a métrica estrangeira, apresentam alguns elementos que fazem com que os resultados se apresentem de forma diferenciada, conforme dados do Ranking Connected Smart Cities 2018, promovido pela Urban Systems.  No estudo, baseado apenas em cidades brasileiras, Curitiba está como primeira colocada nos resultados gerais, seguida pela cidade de São Paulo, porém, a capital paulista se mantém à frente das demais cidades brasileiras, principalmente no quesito Acessibilidade e Mobilidade.

Área dos ‘campuseiros’ na Campus Party. (Foto: Fabricio Bomjardim / CEIRI NEWS)

É importante ressaltar que, no Brasil, a capital paulista e a capital paranaense**** sempre estão disputando a primeira e segunda colocação no ranking geral, revezando de posicionamento a cada novo resultado divulgado, mas, entre as demais cidades que compõem o top 10, não há tantas repetições de cidades nas mesmas posições, Campinas, Brasilia, Guarulhos, Belo Horizonte, Vitória (ES) e o Rio de Janeiro sempre estão presentes entre as 10 melhores, mas não se aproximam de São Paulo e Curitiba.

Outro ponto importante a ser observado é que, indiferente aos institutos internacionais que fazem estudos sobre Smart Cities e criam seus sistemas de pontuação e ranking, São Paulo e Curitiba prevalecem como as melhores colocadas, o Rio de Janeiro se destaca sempre em poucos pontos, como o de cidade conectada, apresentando um grande número de pessoas conectadas em boa parte do dia e da noite e, em alguns casos, os turistas estrangeiros fazem peso para melhorar esses números.

Vista da Cidade de São Paulo (Foto: Fabricio Bomjardim / CEIRI NEWS) (Foto: Fabricio Bomjardim / Brazil Photo Press)

Na Campus Party existem diversas oficinas, workshops e grupos de estudo em tecnologia, e estes não são basicamente de jovens e adultos paulistas, mas composto por pessoas de toda América Latina. Os resultados obtidos na Feira são levados para a cidade natal de cada um e seu aproveitamento vai depender das políticas e ações existentes nelas para aplicar esse potencial intelectual e criativo.

Assim como o Governador do Estado de São Paulo, João Dória, e o prefeito Bruno Covas costumam se pronunciar, as populações, paulista* e paulistana**, podem contar com iniciativas públicas, privadas e público-privadas para melhorar na inclusão digital da região, principalmente nos campos de Acessibilidade, Mobilidade e Empreendedorismo.

A região do Sudeste Brasileiro e principalmente as cidades do Estado de São Paulo sempre estão nos rankings mundiais e nacionais e se destacam em determinados temas e áreas de pesquisa, apresentam erros e acertos, mas, no campo em que elas acertam, outras administrações de municípios pelo Brasil podem se espelhar para atuarem melhor com o intercâmbio de informação para que o país como um todo seja conectado.

Como vem sendo observado por especialistas, o Brasil está crescendo no mapa dos países com grande capacidade criativa e empreendedora no campo da tecnologia, já apresenta grandes atletas de e-sports, além de ter suas principais capitais no ranking das melhores cidades do mundo, o que falta é distribuir melhor os recursos e a infraestrutura da informática e da tecnologia de ponta para que o povo brasileiro possa demonstrar sua criatividade, criar patentes nacionais e se firmar como uma nação de produção tecnológica.

———————————————————————————————–

Nota:

* Paulista refere-se a quem nasce no estado de São Paulo, em qualquer um dos seus municípios.

** Paulistano é um termo aplicado a quem nasce exclusivamente na cidade de São Paulo, capital do Estado de mesmo nome.

*** Refere-se ao Estado do Rio de Janeiro, já que a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, popularmente chamada de Rio de Janeiro, é a capital do Estado de mesmo nome.

**** Curitiba é a capital do Estado do Paraná.

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
CNP In Loco

Necessidades do Brasil em tecnologia, visíveis no Greenk Teck Show e no Brasil Game Show

CNP In Loco

Espanha condena os separatistas catalães a mais de 13 anos de prisão

CNP In Loco

Relações Bilaterais do Governo de São Paulo com a China

CNP In LocoNOTAS ANALÍTICASTecnologia

A internet e o submundo internacional*

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by