Os “Procuradores-Gerais da República” da “Comunidade de Países de Língua Portuguesa” (CPLP) aprovaram, por unanimidade, no dia 9 de julho, a criação de uma rede judiciária entre as Procuradorias-Gerais da CPLP para facilitar o auxílio mútuo em matéria penal entre os Estados membros.

De acordo com informações publicadas pelo “Jornal de Angola”, busca-se com essa rede facilitar a “automatização da cooperação jurídica, a construção progressiva de um sistema integrado e atualizado de informação sobre os diferentes sistemas jurídicos da comunidade[1].

O Procurador-Geral do Brasil, Roberto Gourgel, destacou a importância da cooperação jurídica internacional entre os países da comunidade para o combate ao crime organizado transnacional. “Precisamos de trabalhar para que as fronteiras e as distâncias geográficas não imponham limites à atuação dos Ministérios Públicos, e para que os entraves burocráticos deixem de constituir-se nos aliados importante dos criminosos internacionais, que encontram na falta de coordenação das autoridades de diversos países um eficiente mecanismo para dificultar a prossecução penal das suas atividades[1], declarou Gourgel.

Por sua vez, o Procurador-Geral de Cabo Verde, Júlio Tavares, avaliou que a atual cooperação judiciária entre os Estados membros da CPLPnão está no nível desejado[1] e, por isso, defende a ampliação da cooperação entre as autoridades judiciárias do espaço da CPLP.

A ampliação da cooperação jurídica na CPLP será uma ferramenta importante para o combate ao narcotráfico, corrupção, tráfico de armas, branqueamento de capitais, terrorismo e demais atores difusos (ilícitos), sendo este o principal foco de atuação da rede.

—————————————————

Fontes Consultada:

[1] Ver:

http://jornaldeangola.sapo.ao/politica/cplp_cria_uma_rede_de_auxilio_judiciario

About author

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).
Related posts
NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU relata violação aos Direitos Humanos em áreas de Mineração na Venezuela

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

“Ágil, Eficiente e Responsável”: a nova fórmula para a FAO

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Primeira-Ministra do Gabão: novidade histórica

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by