fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Dados da China preocupam os investidores

O crescimento chinês neste ano (2011) apresentou índices inferiores aos do crescimento de 2009, quando as taxas de crescimento do seu “Produto Interno Bruno” (PIB) foram superiores a 9,5%. Segundo os dados apresentados pela “Agência Reuters”, citado pelo jornal “O Estado de São Paulo”, na última atualização do crescimento foi apresentada a taxa de 9,1%, apesar de os dados chineses indicarem 9,4%.

 

A “Administração Estatal de Estatísticas da China” divulgou estes dados sobre o país nesta terça feira (18 de outubro),  apresentando um crescimento aproximado de 5 trilhões de dólares nos três primeiros trimestres deste ano (2011). Com estes números o Órgão encerra seu Relatório concluindo que houve um crescimento menor que os de 2009 e 2010, mas para Chen Laiyun, porta voz da Instituição, a economia mantém seu crescimento estável.

Embora os índices não estejam tão distante dos períodos anteriores, as crises européia e norte-americana estão afetando o crescimento chinês, resultando por isso numa queda em importantes Bolsas mundiais.

Apesar da queda, a confiança dos investidores, gerada pelos dados informados pela China, levou a uma alta no câmbio das principais moedas de mercado, pois as autoridades chinesas estão trabalhando em medidas cambiais, no mercado financeiro interno e no mercado de exportações, o que vem sendo observado pelos investidores internacionais como uma trabalho em busca de um “porto seguro”.

—————-

Fontes:

VerInformoney”:

*http://www.infomoney.com.br/cambio/noticia/2233956-dolar+abre+leve+alta+olho+china+decisao+copom

**http://www.infomoney.com.br/china/noticia/2233891-pib+china+desacelera+mas+analistas+avaliam+dado+linha+com+expectativa

Ver CRI”:

http://portuguese.cri.cn/561/2011/10/18/1s141304.htm

VerEstadão”:

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,expansao-chinesa-e-a-menor-desde-2009-a-91,88589,0.htm

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!