EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Destaques do Fórum Econômico Internacional em São Petersburgo

Entre os dias 5 e 8 de junho (2019), ocorreu em São Petersburgo, na Rússia, o 23º Fórum Econômico Internacional (SPIEF, sigla em inglês). O SPIEF é um evento anual que ocorre desde 1997, seu objetivo é reunir chefes executivos das grandes empresas russas e mundiais, além de também atrair Presidentes e Ministros de vários países para discutirem os principais desafios do cenário econômico global. Na edição de 2019, estabeleceu-se um novo recorde com a participação de 19.000 pessoas de 145 países e a representação de 1.300 empresas estrangeiras e de 2.500 companhias russas. Em destaque, tem-se a participação do Presidente da China, Xi Jinping, e do Secretário Geral das Nações Unidas, Antonio Guterres.

No dia 7 de junho, o presidente russo Vladimir Putin realizou um discurso na sessão plenária do Fórum. Sua fala abordou diversos assuntos e ressaltou-se os principais desafios do comércio internacional. Putin, portanto, destacou os temas acerca da recente guerra comercial entre os EUA e a China, além das inúmeras sanções que os americanos e os europeus utilizaram nos últimos anos contra vários países, inclusive a Rússia. De acordo com o Presidente, “países que antes eram a favor dos princípios do livre comércio e da competição justa e honesta passaram a agir de forma a criar guerras comerciais e a recorrer a sanções. Eles usam invasões econômicas, intimidação e quaisquer métodos não mercantis para eliminar a concorrência”.

Símbolo oficial do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo

Putin também utilizou do seu tempo no Fórum para questionar a importância do dólar nas transações internacionais. Assim, afirmou que “por o dólar dos EUA ter se tornado a moeda da reserva global, hoje é uma ferramenta que garante que o país emissor pressione o resto do mundo”. A Rússia, hoje, é um dos vários países do mundo que apoiam e utilizam moedas nacionais nas trocas bilaterais, o que coloca o dólar norte-americano em segundo plano e retira dos EUA a capacidade de intervir economicamente em quaisquer acordos nos quais não haja sua participação direta.

À parte da participação dos grandes empresários e líderes mundiais, a SPIEF também atrai estandes de diferentes companhias que propõem sua visão de mundo para o futuro. Houve várias inovações tecnológicas presentes no Fórum, como um robô batizado de Pythagoras, o protótipo de uma plataforma educacional para ensinar alunos a criar e programar robôs para interações sociais. Outra novidade apresentada foi um aplicativo para os óculos de realidade virtual que simula a visita de uma casa que está a venda. A partir do programa, é possível visitar os cômodos da casa e descobrir a vista das janelas, tudo isso sem que o interessado tenha que se locomover até o local.

Em resumo, o SPIEF 2019 foi bastante importante para garantir visibilidade para a Rússia e também para que acordos econômicos e comerciais fossem discutidos entre as partes presentes, tanto no âmbito privado, entre empresas, como no âmbito público, entre Estados. No total, 650 acordos no valor de 48 bilhões de dólares* foram assinados durante o evento**. Em destaque, tem-se o contrato bilateral entre Rússia e a empresa chinesa de tecnologia Huawei, sobre o qual firmou-se que a companhia implantará no território russo a tecnologia 5G. De acordo com Putin, “tentativas estão sendo feitas não apenas para desafiar a empresa Huawei no mercado global, mas para restringi-la de maneira arbitrária. Alguns círculos já chamam isso de a primeira guerra tecnológica a surgir na era digital”.  Assim, se o Presidente russo estiver certo em sua análise, Rússia e China estariam na frente dos outros Estados na utilização da inovação tecnológica mais importante nos últimos anos.

———————————————————————————————–

Notas:

48 bilhões de dólares é equivalente a, aproximadamente, 186 bilhões de reais, de acordo com a cotação do dia 10 de junho de 2019.

** Os principais acordos firmados são: o contrato realizado entre a companhia Ferrovias Russas e a Siemens para a compra de 13 trens de alta-velocidade e a sua manutenção pela empresa alemã pelos próximos 30 anos; a compra de armas russas pela Armênia; o comprometimento pelo envio de militares russos para a missão de paz das Nações Unidas na República Centro-Africana; e um acordo bilateral entre Rússia e Cuba para renovar o sistema ferroviário cubano.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 “Símbolo oficial do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo” (Fonte): https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/2d/%D0%9B%D0%BE%D0%B3%D0%BE%D1%82%D0%B8%D0%BF_%D0%9F%D0%9C%D0%AD%D0%A4.png

Imagem 2 “Presidente da Rússia, Vladimir Putindiscursa no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo” (Fonte): http://static.kremlin.ru/media/events/photos/big2x/MJnUilZ3OqwO1YCU0kmWPWzA9iStKlzZ.jpg

About author

Bacharela em Relações Internacionais e em Ciências Econômicas, ambas pelas Faculdades de Campinas (FACAMP). Participou da Newsletter do Centro de Estudos de Relações Internacionais (CERI) da FACAMP como redatora e corretora de artigos. Fez sua tese de conclusão de curso sobre as relações diplomáticas entre a Rússia e os Estados Unidos no pós Guerra Fria. Tem grande paixão pela escrita e por assuntos relacionados à Segurança Internacional e Diplomacia.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU relata violação aos Direitos Humanos em áreas de Mineração na Venezuela

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

“Ágil, Eficiente e Responsável”: a nova fórmula para a FAO

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Primeira-Ministra do Gabão: novidade histórica

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by