fbpx

El Salvador lançou no último dia 19, domingo, o Plano Nacional de Segurança Cidadã (CNSCC). Trata-se da nova estratégia de segurança com o objetivo de confrontar a violência e a criminalidade[1]. O Plano foi apresentado ao Presidente do país, Salvador Sanchez, em janeiro deste ano (2015) e contém cinco objetivos chaves[1][2]: prevenção da violência e do crime; melhorar o sistema de justiça criminal; reabilitação e reinserção de presos; atenção e proteção a vítimas; fortalecimento de instituições responsáveis pela segurança cidadã.

Para atingir  tais objetivos, a estratégia inclui 127 ações prioritárias a serem desenvolvidas em diferentes períodos de tempo e o Plano se concentrará em 50 municipalidades, antes de ser expandido nacionalmente[1].

O investimento e financiamento virão do Governo, do setor privado e de ajuda internacional. Os valores devem chegar a 2,1 bilhões de dólares, o que representa 8,7% do orçamento nacional de El Salvador[1][2].

Especialistas em segurança e crime avaliam que a nova estratégia do país é uma resposta ao sistema de segurança deteriorado de El Salvador[1]. Até então, 2015 tem sido um ano extremamente violento, tendo junho como o mês mais sangrento desde o final da guerra civil no país[1].

Observadores apontam que criar a estratégia foi o primeiro passo, porém o verdadeiro desafio é implementar o Plano. Outros críticos mencionam que este Plano representa somente a reciclagem de ideias antigas e que já se provaram ineficientes[1].

————————————————————————————————

Imagem (FonteABC News):

http://www.insightcrime.org/news-briefs/el-salvador-launches-new-security-strategy

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.insightcrime.org/news-briefs/el-salvador-launches-new-security-strategy

[2] Ver:

https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&cad=rja&uact=8&ved=0CC0QFjACahUKEwjN64jTsOLGAhUBVz4KHR5NBU4&url=http://www.presidencia.gob.sv/wp-content/uploads/2015/01/El-Salvador-Seguro.pdf&ei=tBGpVc3BBYGu-QGempXwBA&usg=AFQjCNE7mmwSKoGpXS8fVSxDtofxe9iSMg&sig2=45sOcXlCmmYJEinzXFjWgw&bvm=bv.97949915,d.cWw

About author

Mestre em Relações Internacionais- IHEID (Genebra, Suíça) e Mestre em Estudos Avançados de Organizações Internacionais- UZH (Zurique, Suíça). Bacharel em Relações Internacionais -Unilasalle (Canoas, RS), intercâmbio na UNICAH (Tegucigalpa, Honduras). Especialidades: direitos humanos, direito internacional humanitário, segurança e paz, democratização e América Central. Experiências profissionais: ONU (DPA- MSU), BID (segurança cidadã) e ONG Geneva Call – Suíça.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!