ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Em meio à pandemia global, exportações chinesas apresentam aumento inesperado no mês de julho

Impulsionado pela crescente demanda no exterior por eletrônicos, suprimentos médicos e outros bens a serem usados em quarentenas em todo o mundo, o crescimento das exportações da China ultrapassou as expectativas para julho (2020), com as vendas para o exterior 7,2% maiores em relação a 2019. Por outro lado, as importações chinesas contraíram 1,4% em relação ao ano anterior (2019), pior do que as previsões dos analistas em termos de dólares, informa o jornal South China Morning Post.

Um grupo de economistas consultados pela empresa de consultoria americana Bloomberg havia previsto que as exportações cairiam 0,7% em dólares americanos, enquanto as importações deveriam aumentar 0,8%. O aumento nas exportações ocorre depois de um mês melhor do que o esperado em junho (2020), quando as exportações demonstraram um crescimento de 0,5%. No entanto, as importações caíram após um crescimento de 2,7% em junho (2020). A balança comercial da China em julho (2020) ficou em 62,3 bilhões de dólares (aproximadamente 338,4 bilhões de reais, segundo a cotação de 7 de agosto de 2020) e superou os 46,2 bilhões de dólares em junho (2020) (aproximadamente 251,2 bilhões de reais, de acordo com a cotação de 7 de agosto de 2020). 

Os analistas apontaram os grandes envios de suprimentos médicos e “equipamentos para trabalho em casa” como razões por trás do aumento nas exportações. Na verdade, como outras economias ao redor do mundo entraram e saíram de quarentenas diversas vezes, os exportadores chineses parecem ter sido os beneficiários. Além disso, a China não experimentou o colapso das exportações devido à queda na demanda nos mercados desenvolvidos que muitos temiam no início da pandemia. O país também pode ter se beneficiado por ter sido a primeira economia industrial a entrar em operação, com seus exportadores preparados para capitalizar a ausência de concorrência estrangeira.      

Ministro da Defesa indonésio, Prabowo Subianto, recebe equipamento médico chinês exportado para a Indonésia (março de 2020)

Louis Kuijs, analista da Ásia-Pacífico na Oxford Economics, observou: “Em julho, a força das exportações foi em grande parte impulsionada por eletrônicos – especialmente ‘equipamentos de processamento automático de dados’, telefones celulares, eletrodomésticos, dispositivos de áudio e vídeo – e produtos de alta tecnologia, com categorias tradicionais como plástico e têxteis também contribuindo bem”.

As exportações chinesas superaram o comércio global e as expectativas deste analista em 20% a 25% no segundo trimestre”, afirmou Tomas Gatley, da consultoria britânica Gavekal Dragonomics, acrescentando que grande parte do crescimento foi devido à fraqueza nas exportações de outros países, bem como demandas relacionadas à COVID-19.

De março a junho de 2020, o comércio da China foi alimentado por grandes vendas de equipamentos médicos e de proteção. Isso continuou a contribuir para o crescimento em julho (2020), com a análise dos dados alfandegários chineses mostrando um aumento de 78% em relação a 2019 nas vendas internacionais de equipamentos médicos.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Exportações chinesas apresentam aumento inesperado no mês de julho” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:YM_Orchid_(ship,_2000)_002.jpg

Imagem 2 Ministro da Defesa indonésio, Prabowo Subianto, recebe equipamento médico chinês exportado para a Indonésia (março de 2020)”(Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/79/Serah_terima_peralatan_medis_dari_Republik_Rakyat_Tiongkok_atas_pandemi_COVID-19.jpg

About author

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade de São Paulo (USP). Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Durante a graduação, foi bolsista do Programa Santander Universidades na Universidade de Coimbra, em Portugal. Integra o Grupo de Pesquisa Pensamento e Política no Brasil da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase nas linhas de pesquisa de Pensamento Político Brasileiro e de Relações Internacionais, atuando principalmente nos estudos sobre Política Doméstica e Externa da China, Segurança Internacional, Diplomacia e Diásporas Asiáticas. Associado à Midwest Political Science Association (MPSA).
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!