fbpx
AMÉRICA DO NORTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Estados Unidos permitem retorno de seus diplomatas à Venezuela

No decorrer da semana passada, o Governo dos Estados Unidos da América (EUA) anunciou que autoriza o retorno dos seus diplomatas e funcionários da Embaixada em Caracas, capital da Venezuela. A medida ocorreu aproximadamente uma semana após a realização de eleições para os governos estaduais, nas quais o atual Governo venezuelano conquistou a maioria.

Protestos 12F (12 de fevereiro, fazendo referência ao Dia da Juventude) na Ilha de Margarita

Em meados de julho de 2017, o Departamento de Estado ordenou que seus servidores deixassem o país sul-americano devido à instabilidade e aos crescentes protestos contra Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela. A decisão foi anunciada cerca de três dias antes da realização da Assembleia Constituinte, convocada pelo Governo Maduro, para a redação de uma nova Constituição ao país.

Naquela ocasião, conforme destacou a DW, o Departamento de Estado salientou que a situação política na Venezuela era imprevisível e poderia mudar rapidamente. Segundo o comunicado, as Forças Armadas tem atuado em prol do Governo Maduro, o que tem gerado uma forte resposta policial frente às manifestações diárias, provocando 125 mortes e deixando centenas de feridos desde abril deste ano (2017).

Próximo a votação da Assembleia Constituinte, o mandatário chegou a proibir as manifestações, afirmando que aqueles que descumprissem a ordem poderiam sofrer sanções penais. A medida era uma resposta à convocação nomeada como a “Tomada de Caracas” feita pela Mesa da Unidade Democrática (MUD), que representa uma coalizão de partidos oposicionistas.

As manifestações diárias contrárias ao Governo foram diminuindo, enquanto que o governante fortificava seus aliados e o seu próprio poder. As eleições regionais ocorridas agora em outubro, nas quais cerca de 61,4% da população compareceu às urnas, podem estar refletindo esse fortalecimento, pois o Governo venceu em 17 estados, enquanto 5 governos estaduais ficaram a Mesa da Unidade Democrática, mas tal conclusão algo a ser avaliado futuramente.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Bandeira dos Estados Unidos” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bandeira_dos_Estados_Unidos#/media/File:Flag_of_the_United_States.svg

Imagem 2 Protestos 12F (12 de fevereiro, fazendo referência ao Dia da Juventude) na Ilha de Margarita” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Protestos_na_Venezuela_em_2014%E2%80%932017#/media/File:Demostration_12F_in_Venezuela_2014_6.jpg

About author

Pós-graduanda do curso de Especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É Graduanda do Curso de Políticas Públicas da UFRGS e bacharel em Relações Internacionais pela Faculdade América Latina Educacional. No presente, desenvolve estudos sobre a geopolítica e a securitização dos Estreitos internacionais e Oceanos.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!