ECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIO

Estreitam-se os laços comerciais entre o Irã e o Catar

Em dados divulgados pela Administração Alfandegária do Irã, entre março e abril de 2017, período que corresponde aos sete primeiros meses do calendário persa, as exportações iranianas para o Catar apresentaram um aumento de 117,5% em comparação com o mesmo período do ano anterior, não computado o comércio associado ao setor de óleo e gás. Este crescimento foi mais sensível a partir de junho, quando uma coalização liderada pela Arábia Saudita cortou os laços diplomáticos com Doha e implementou o bloqueio às rotas aéreas, terrestres e marítimas entre o Emirado e o restante da Península Arábica.

Encontro entre os ministros Al-Thani e Zarif em Teerã

Em uma tentativa de promover ainda mais a cooperação, o Ministro da Economia do Catar, Sheikh Ahmed bin Jassim Al-Thani, viajou a Teerã, no dia 26 de novembro, onde se reuniu com membros da alta cúpula do Governo iraniano, incluindo o Ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, e o Ministro da Indústria, Mineração e Comércio, Mohammad Shariatmadari. Um dos objetivos das conversas, segundo Shariatmadari, seria discutir propostas para quintuplicar o montante resultante das trocas comerciais entre os dois países, que atualmente ainda se encontra abaixo de 1 bilhão de dólares anuais.

O resultado concreto da visita foi a assinatura de um acordo comercial trilateral, juntamente com a Turquia. Esta medida deverá facilitar o transporte de produtos turcos para o Catar, usando o Irã como país de trânsito. Desta forma, é esperado que Doha passe a contar com uma rota de abastecimento segura que forneça uma alternativa ao isolamento imposto por seus vizinhos árabes. Em contrapartida, a Turquia, assim como o Irã, passará a ter acesso privilegiado ao mercado consumidor do Catar, país com o mais elevado Produto Interno Bruto per capita do mundo.

Após seis meses em vigência, o embargo promovido pela Arábia Saudita parece ter resultado em um efeito inverso do esperado: a aproximação política e econômica do Catar com o Irã. Na perspectiva de Doha, a parceria com Teerã representa a única alternativa que garante a sobrevivência do Emirado como um Estado autônomo. Já os iranianos celebram, além dos ganhos provenientes do aumento do fluxo de comércio, a possibilidade de expandir ainda mais a influência do país no Oriente Médio.

———————————————————————————————–                     

Fontes das Imagens:

Imagem 1Ponte dos 33 Arcos, em Isfahan” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Si-o-se_Pol#/media/File:Si-o-se-Pol.jpg

Imagem 2Encontro entre os ministros AlThani e Zarif em Teerã” (Fonte):

http://en.mfa.ir/index.aspx?fkeyid=&siteid=3&pageid=1997&newsview=488031

About author

Mestrando no programa de Pós Graduação em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e graduado em História também pela UFRJ. Atua na área de Política Internacional, formação de alianças e segurança regional. Desenvolve pesquisas com enfoque específico no estudo dos países do Cáucaso do Sul, Eurásia e espaço pós-soviético. É membro do Grupo de Pesquisas de Política Internacional (GPPI/UFRJ) e do Laboratório de Estudos dos Países do Cáucaso (LEPCáucaso).
Related posts
NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU relata violação aos Direitos Humanos em áreas de Mineração na Venezuela

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

“Ágil, Eficiente e Responsável”: a nova fórmula para a FAO

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Primeira-Ministra do Gabão: novidade histórica

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by