AMÉRICA DO NORTEÁSIAEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

EUA e Turquia delineando uma nova Síria no “Oriente Médio”

O presidente dos “Estados Unidos da América” (EUA), Barack Obama, e o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, reunidos no dia 16 de maio passado, em Washington, estabeleceram uma estratégia conjunta para delinear o futuro da Síria, que inclui a saída do ditador Bashar al-Assad do poder. Ambos anunciaram que estão trocando dados sobre o uso de armas químicas na guerra civil[1].

O presidente Obama defendeu, perante a imprensa, que a prioridade é trabalhar com a Turquia e outros aliados com o objetivo de “preparar uma transição para um governo representativo” e lembrou que outras  alternativas diplomáticas e militares ainda estão sendo analisadas, embora descarte qualquer ação externa. Ele não deu sinais de que vá  fornecer armas aos rebeldes que lutam contra o regime de Assad[1].

A Rússia tem enfatizado que quer mais aliados do Presidente sírio nas futuras conversas de paz e reiterou que o Irã deve ser convidado. Entre os países que também devem participar estão China, Rússia, Estados Unidos, França e Inglaterra – membros do “Conselho de Segurança” – além de outros aliados dos EUA, como Turquia, Kuwait e Qatar[1] [2].

Especialistas têm afirmado que o transbordamento do conflito sírio para além das fronteiras nacionais está desestabilizando o Oriente Médio”, sendo que a Turquia se transformou em um aliado imprescindível para os EUA, ressaltando-se que é o segundo país mais importante na região, depois de Israel[1] [2].

Para os EUA, o governo Turco, que é islâmico, deve servir de modelo para o Egito e outros governantes árabes que têm de conciliar a democratização, exigida pela população, com a influência da religião muçulmana. Assim, a Turquia se transforma em peça fundamental na nova ordem que os EUA pretendem construir no Oriente Médio, sendo capaz inclusive de delinear o futuro da Síria sem o seu atual presidente[1] [2] [3].

——————————-

ImagemPremiê Turco Edorgan e Barack Obama Reuters” (Fonte – Reuters): http://www.dw.de/crise-s%C3%ADria-%C3%A9-tema-central-na-visita-de-premi%C3%AA-turco-aos-eua/a-16817493

 

——————————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://oglobo.globo.com/mundo/eua-turquia-fecham-estrategia-para-colocar-fim-guerra-siria-8413181

[2] Ver:

http://internacional.elpais.com/internacional/2013/05/16/actualidad/1368728170_115909.html

[3] Ver:

http://www.dw.de/crise-s%C3%ADria-%C3%A9-tema-central-na-visita-de-premi%C3%AA-turco-aos-eua/a-16817493

Enhanced by Zemanta

About author

Doutorando em Estudos Estratégicos Internacionais (UFRGS-RS), Mestre em Relações Internacionais (UFF-RJ), Especialista em História das Relações Internacionais pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Graduado em Ciências Sociais e Jurídicas pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Também possui graduação em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e especialização em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado Maior do Exército. É professor universitário da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) em Relações Internacionais e atua nas áreas de Política e Segurança Internacional.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Em meio à pandemia global, exportações chinesas apresentam aumento inesperado no mês de julho

NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU relata violação aos Direitos Humanos em áreas de Mineração na Venezuela

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

“Ágil, Eficiente e Responsável”: a nova fórmula para a FAO

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by