AMÉRICA DO NORTEÁSIAEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

EUA e Turquia delineando uma nova Síria no “Oriente Médio”

O presidente dos “Estados Unidos da América” (EUA), Barack Obama, e o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, reunidos no dia 16 de maio passado, em Washington, estabeleceram uma estratégia conjunta para delinear o futuro da Síria, que inclui a saída do ditador Bashar al-Assad do poder. Ambos anunciaram que estão trocando dados sobre o uso de armas químicas na guerra civil[1].

O presidente Obama defendeu, perante a imprensa, que a prioridade é trabalhar com a Turquia e outros aliados com o objetivo de “preparar uma transição para um governo representativo” e lembrou que outras  alternativas diplomáticas e militares ainda estão sendo analisadas, embora descarte qualquer ação externa. Ele não deu sinais de que vá  fornecer armas aos rebeldes que lutam contra o regime de Assad[1].

A Rússia tem enfatizado que quer mais aliados do Presidente sírio nas futuras conversas de paz e reiterou que o Irã deve ser convidado. Entre os países que também devem participar estão China, Rússia, Estados Unidos, França e Inglaterra – membros do “Conselho de Segurança” – além de outros aliados dos EUA, como Turquia, Kuwait e Qatar[1] [2].

Especialistas têm afirmado que o transbordamento do conflito sírio para além das fronteiras nacionais está desestabilizando o Oriente Médio”, sendo que a Turquia se transformou em um aliado imprescindível para os EUA, ressaltando-se que é o segundo país mais importante na região, depois de Israel[1] [2].

Para os EUA, o governo Turco, que é islâmico, deve servir de modelo para o Egito e outros governantes árabes que têm de conciliar a democratização, exigida pela população, com a influência da religião muçulmana. Assim, a Turquia se transforma em peça fundamental na nova ordem que os EUA pretendem construir no Oriente Médio, sendo capaz inclusive de delinear o futuro da Síria sem o seu atual presidente[1] [2] [3].

——————————-

ImagemPremiê Turco Edorgan e Barack Obama Reuters” (Fonte – Reuters): http://www.dw.de/crise-s%C3%ADria-%C3%A9-tema-central-na-visita-de-premi%C3%AA-turco-aos-eua/a-16817493

 

——————————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://oglobo.globo.com/mundo/eua-turquia-fecham-estrategia-para-colocar-fim-guerra-siria-8413181

[2] Ver:

http://internacional.elpais.com/internacional/2013/05/16/actualidad/1368728170_115909.html

[3] Ver:

http://www.dw.de/crise-s%C3%ADria-%C3%A9-tema-central-na-visita-de-premi%C3%AA-turco-aos-eua/a-16817493

Enhanced by Zemanta

About author

Doutorando em Estudos Estratégicos Internacionais (UFRGS-RS), Mestre em Relações Internacionais (UFF-RJ), Especialista em História das Relações Internacionais pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Graduado em Ciências Sociais e Jurídicas pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Também possui graduação em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e especialização em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado Maior do Exército. É professor universitário da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) em Relações Internacionais e atua nas áreas de Política e Segurança Internacional.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Sarampo causou a morte de mais de 140 mil pessoas em 2018

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Tribunal considera ilegal a taxa cobrada pelo Governo britânico para a cidadania de crianças nascidas no país

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Estados se reúnem em conferência em Abu Dhabi sobre corrupção

ECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

A Reforma do Mercado de Terras na Ucrânia

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by