fbpx
AMÉRICA DO NORTEÁSIADEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

[:pt]EUA reforça apoio ao Japão durante ameaças da Coréia do Norte[:]

[:pt]

Durante o mês de abril, Coreia do Norte e Estados Unidos (EUA) aumentaram as tensões no cenário internacional. A ameaça de uma possível guerra nuclear entre esses países foi apresentada pela imprensa internacional, por meio da divulgação de ações de ambos os lados, com os lançamentos de mísseis balísticos de curto alcance, por decisão do governo de King Jong-Un, e pelas declarações das lideranças dos EUA, reforçando as suas alianças políticas na região, sendo o reforço mais recente o declarado com o Japão, o qual já recebeu promessas de força militar do Governo Trump.

Como forma de atingir os EUA e forçá-los a interromper o programa antimíssil com sua vizinha Coreia do Sul, o país norte-coreano prometeu lançar um míssil por semana ao mar do Japão. Para evitar que isso aconteça, na sua rede social do Twitter, o presidente estadunidense Donald Trump pediu para que o Japão investisse mais em sua defesa, enquanto isso, seu Vice-Presidente, Mike Pence, reiterou o compromisso do Governo norte-americano em garantir a segurança do país asiático.

Durante uma visita a Tóquio, onde realizou reunião com o Primeiro-Ministro nipônico, Shinzo Abe, na última terça-feira, 18 de abril, Pence afirmou que a aliança entre Japão e EUA representa uma “pedra angular da paz e da segurança no nordeste da Ásia”, e que isso significa manter um diálogo aberto com a Coreia do Norte, evitando uma possível retaliação internacional, porém sem negar este provável acontecimento. A posição do Japão quanto ao assunto é de que Washington precisa convencer a China a interferir na posição de King Jong-Un e incentivá-lo a voltar “à mesa de negociações sobre seu programa nuclear, abandonada em 2009”.

Apesar da aparência do retorno ao diálogo com a Coreia do Norte, os EUA ainda permanecem firmes na decisão de não ceder as suas ameaças e, segundo Trump, o Governo norte-americano tem a capacidade de ir sozinho à Guerra, caso aconteça uma. Em realce as intenções do Presidente, seu Vice confirmou durante sua visita a Tóquio que, se a Coreia do Norte realizar um próximo ataque nuclear, “a resposta será esmagadora”. Seu pronunciamento foi feito diante de um auditório de soldados estadunidenses do Porta-Aviões Ronald Reagan, que estavam no Japão.

———————————————————————————————–                    

Imagem 1 Foto de Satélite de ambas as Coreias à noite” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/16/The_Koreas_at_Night_%28PT%29.jpg

Imagem 2 Governador Mike Pence falando na Conferência de Ação Política Conservadora 2015 (CPAC), em National Harbor, Maryland em 27 de fevereiro de 2015” (Fonte):

https://simple.wikipedia.org/wiki/Mike_Pence#/media/File:Mike_Pence_by_Gage_Skidmore.jpg

[:]

About author

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!