fbpx
EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Federica Mogherini é indicada para chefiar Política Externa da UE

Federica Mogherini, Ministra das Relações Exteriores da Itália, fora indicada no último sábado (dia 30 de agosto) para assumir as funções de Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, cargo atualmente ocupado pela britânica Baronesa Catherine Ashton, tornando-se, assim, a maior responsável pela condução da política externa da União Europeia (UE).

A indicação de Mogherini, realizada pelos líderes dos 28 Estados-membros da UE, fora altamente questionada devido sua baixa experiência em um cargo executivo e por uma suposta predileção pelas políticas realizadas pelo Governo russo.

Embora tenha experiência parlamentar, eleita em 2008 para o cargo de deputada no Parlamento Italiano e, além disso, representante da Itália na assembleia da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Mogherini, cientista política de formação, passou a ocupar o cargo de Ministra apenas no início de fevereiro deste ano (2014).

Lideranças políticas de Estados-membros da UE localizados ao leste, principalmente a Presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, questionaram fortemente uma suposta posição pró-Rússia por parte de Mogherini. No sábado, Grybauskaite fora a única que se absteve na votação.

Em resposta as críticas, Mogherini afirmou: “Eu sei que os desafios são enormes, especialmente nestes tempos de crise. [Mas irei] dedicar todas as minhas energias e dedicação ao trabalho, e no interesse de todos os Estados membros e todos os cidadãos da UE[1].

Ao analisar a nomeação de Mogherini, Ettore Greco, Diretor do Instituto de Relações Exteriores de Roma, declarou que: “Acredito que seus pontos fortes não devem ser subestimados. Ela sabe como trabalhar duro, como trabalhar em equipe; e ela sempre se conduziu com, eu diria, muita serenidade […]. Eu posso vê-la como uma mediadora. E depois há a sua experiência, seus contatos construídos gradualmente durante anos de trabalho em níveis relativamente elevados […]. Desde o início de sua carreira política, ela trabalha em [questões de] política externa. Ela não é um neófito político[2].

Antes de tomar posse de seu cargo, no primeiro dia de novembro, Mogherini terá que passar por um escrutínio realizado pelo Parlamento Europeu, uma vez que o cargo de Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros está ligado à Comissão Europeia (bem como o Conselho da União Europeia).

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1a/Federica_Mogherini_daticamera.jpg

—————————————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.theguardian.com/global/2014/aug/30/portrait-federica-mogherini-eu-foreign-policy-chief

[2] Ver:

http://euobserver.com/institutional/125418

About author

Mestrando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (Usp); Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Puc-SP). Colaborador do Núcleo de Análise da Conjuntura Internacional (NACI) e do Núcleo de Estudos de Política, História e Cultura (Polithicult). Experiência profissional como consultor de negócios internacionais. Atua nas áreas de Política Internacional, Integração Europeia, Negócios Internacionais e Segurança Internacional. No CEIRI NEWSPAPER é o Coordenador do Grupo Europa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!